Dólar termina em alta

A moeda norte americana emendou a terceira alta nesta quarta-feira, firmando-se acima de R$ 5,50 e fechando na máxima em mais de uma semana

O Ibovespa encerrou a sessão desta quarta-feira (17) em queda de 1,39%, aos 102.948,45 pontos – menor patamar desde 6 de novembro de 2020 (100.925,11 pontos). A moeda norte-americana, por outro lado, fechou em alta de 0,48%, cotado a R$ 5,526.

Especialistas acreditam que tiveram quatro grandes pontos para a queda da bolsa hoje: o primeiro é o vencimento de opções, o segundo é o fim da temporada de balanços financeiros do terceiro trimestre, o terceiro é o preço do petróleo negociado em janeiro de 2022 e o quarto é a inflação cada vez mais resistente no Brasil.

A bolsa paulista começou a sessão de hoje com viés positivo, ensaiando uma recuperação da queda na véspera.

Contudo, ao longo do dia, segundo Rodrigo Crespi, analista da Guide Investimentos, a bolsa refletiu o vencimento de opções. O que significa que o titular de algumas ações puderam comprar ou vender seus ativos até o pregão de hoje.

“Por conta desse momento [de vencimentos], existiu um fluxo maior de negociações, o que ocasionou um sobe e desce mais forte [no Ibovespa]”, afirma Franchini.

Moeda norte-americana

O dólar emendou a terceira alta nesta quarta-feira, firmando-se acima de R$ 5,50 e fechando na máxima em mais de uma semana, com as operações locais novamente guiadas pelo clima externo mais conservador e pela incerteza sobre o rumo das discussões fiscais no Brasil.

Pela manhã, a moeda norte-americana teve uma leve queda frente ao real, após registrar ganho acentuado na tarde de ontem (16). Porém, ao longo do dia, o dólar conseguiu se recuperar e fechou no azul.

Rodrigo Franchini, sócio da Monte Bravo Investimentos, explica que a moeda de última referência alcançou preços bem esticados nos últimos meses, “e o que aconteceu hoje é apenas ajustes diários por conta de movimentos de entrada por conta de juros brasileiros”.

Na véspera, a moeda norte-americana spot fechou em alta de 0,79%, a R$ 5,499 na venda.

Balanços financeiros

A Eletrobras (ELET6) teve lucro líquido de R$ 964,5 milhões no terceiro trimestre deste ano, 65,7% menor que o apontado um ano antes (R$ 2,81 bilhões). A queda, segundo a companhia, ocorreu por conta de ajustes na contabilização de provisões para contingências no montante de R$ 9,43 bilhões.

A Méliuz (CASH3), que também divulgou seu balanço financeiro após o fechamento de ontemregistrou prejuízo entre julho e setembro de R$ 2,95 milhões, revertendo o lucro de R$ 4,73 milhões um ano antes.

Commodity

O Petróleo é mais um destaque nesta quarta-feira (17), que pode ter puxado o Ibovespa para baixo, acredita Crespi.

O brent, negociada em janeiro de 2022, na bolsa de Londres, caia 2,75%, a US$ 80,16, às 18h25. Enquanto o WTI, negociado também para janeiro de 2022, na bolsa dos Estados Unidos, tinha baixa de 3,09%, a US$ 77,28.

A Petrobras (PETR4) caiu 2,53%, a R$ 26,58, nesta sessão.

A companhia tem o peso de 6,22% na carteira do Ibovespa.

Perspectivas inflacionárias

Outro ponto no radar dos investidores, segundo Crespi, é o controle inflacionário cada vez mais resistente, o que faz os juros permanecerem mais esticados.

Para 2021, a previsão do Boletim Focus de ontem (16) para o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) passou de 8,49% para 9,77% em um mês. Enquanto o mercado já espera que a Selic finalize 2021 em 9,25% a.a. e alcance 11% a.a. em 2022.

No pregão de ontem, o principal índice brasileiro fechou em queda de 1,8%, na segunda sessão seguida de perdas, reduzindo a performance positiva em novembro para 0,9%. CNN

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e