Dólar recua para R$ 4,83

A cotação desta quinta-feira foi o menor valor para encerramento desde 13 de março de 2020 (R$ 4,812)

O Ibovespa subiu 1,36%, aos 119.052,91 pontos, nesta quinta-feira (24) – esse é o maior patamar desde 1º de setembro de 2021, quando bateu 119.396 pontos. À época, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o Brasil estava perto de aprovar as reformas tributária e administrativa.

Nesta tarde, o principal índice da B3 intensificou a alta após a fala do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. Ele afirmou que o ciclo de elevação de juros do Brasil deve acabar em maio, indicando uma taxa Selic final de 12,75%, menor que o esperado pelo mercado, portanto, favorecendo a renda variável, em especial ações de setores como tecnologia e varejo.

Já o dólar recuou 0,28%, e terminou o dia a R$ 4,831, após chegar na mínima de R$ 4,677. A cotação desta quinta-feira foi o menor valor para encerramento desde 13 de março de 2020 (R$ 4,812).

A moeda refletiu a perspectiva de juros brasileiros menores que o previsto e a intensificação de um aperto monetário maior nos Estados Unidos após a divulgação dos pedidos semanais de auxílio-desemprego abaixo do esperado.

Ao longo dos dias, moeda norte-americana avança no exterior, mas cai em relação ao real devido ao fluxo de entrada de capital em 2022 apoiado nos juros altos do Brasil – um dos maiores do mundo -, nos ativos considerados descontados na bolsa de valores e na busca de investidores por mercados produtores de commodities, cujos preços dispararam com a guerra na Ucrânia.

Na quarta-feira (23), o dólar caiu 1,44%, a R$ 4,844, o menor valor para encerramento desde 13 de março de 2020. Já o Ibovespa subiu 0,16%, aos 117.457,34 pontos, no maior patamar desde 6 de setembro de 2021. CNN

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e