Dólar fecha em R$ 4,66, menor valor em mais de 2 anos; Ibovespa sobe a 121 mil pontos

Com isso, o real manteve um fluxo de investimentos baseado nos juros altos do Brasil, ativos descontados na bolsa de valores e busca por mercados ligados a commodities, cujos preços dispararam com a pandemia e a guerra na Ucrânia

O dólar caiu 2,02%, cotado a R$ 4,666 nesta sexta-feira (1º), com um recuo semanal de 1,69%, o quinto consecutivo, e atingindo o menor valor desde 5 de março de 2020. Já o Ibovespa subiu 1,31%, fechando em 121.570 pontos, maior valor desde 1º de agosto de 2021. Na semana, o avanço, terceiro seguido, foi de 2,1%.

Durante a sessão, o mercado repercutiu o relatório Payroll de emprego não-agrícola dos Estados Unidos. A geração de vagas veio abaixo do esperado, mas a taxa de desemprego ficou no menor nível em dois anos e os salários seguem subindo.

Os dados fortaleceram apostas em uma alta de 0,5 ponto percentual nos juros pelo Federal Reserve em maio, mas também reduziram temores de uma possível recessão no país. A elevação nessa magnitude já é esperada pelo mercado, afetando pouco os fluxos atuais de investimento.

Com isso, o real manteve um fluxo de investimentos baseado nos juros altos do Brasil, ativos descontados na bolsa de valores e busca por mercados ligados a commodities, cujos preços dispararam com a pandemia e a guerra na Ucrânia.

Ao mesmo tempo, a bolsa foi puxada para cima por ações ligadas a commodities e ao consumo interno, que são beneficiadas pela redução nas curvas de juros futuros (DIs) conforme o mercado converge para a projeção do Banco Central de taxa Selic de 12,75% em 2022, e não 13%.

A nova rodada de negociações entre Ucrânia e Rússia, com o governo russo afirmando que viu avanço nas conversas, reduziu a aversão a riscos dos investidores, beneficiando o real e o Ibovespa.

No Brasil, os investidores monitoraram o início da greve de servidores do Banco Central e o possível impacto do movimento, em especial a possibilidade de um reajuste de 5% para os servidores públicos, o que representaria mais gastos pelo governo e eleva temores de um descontrole fiscal, um cenário que favoreceria o dólar.

Na quinta-feira (31), o dólar caiu 0,47%, encerrando a R$ 4,762, no menor valor desde 12 de março de 2020. No trimestre, a queda foi de 14,55%, a maior desde 2009. Já o Ibovespa recuou 0,22%, aos 119.999,23 pontos, enquanto que, no trimestre, a alta foi de 14,5%, a maior desde 2020. CNN

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e