Do vinil ao streaming

Streaming oferece milhões de músicas e filmes de forma personalizada

Já percebeu que não é mais possível encontrar CDs e DVDs com a facilidade do passado? Mas não se assuste com a palavra passado na frase anterior. É que até bem pouco tempo atrás, para organizar uma festa, por exemplo, reunia-se uma enorme quantidade de CDs, K7s ou vinis. Dependendo da idade do leitor, algumas dessas palavras podem soar desconhecidas. Mas acredite, eu vivi tudo isso.

Os vinis permitiam curtir o artista, o som não era perfeito, mas agitava as festas dos anos 80, 90 e 2000. As fitas K7s eram companheiras de muitos dos meus momentos. Na infância eu tinha um gravador infantil. Ele garantiu por um tempo a diversão da vizinhança e ampliou ainda mais o meu gosto pela música. Achava o máximo poder gravar as vozes, minha e de meus amigos com um microfone vermelho e branco. Poder ouvir naquele projeto de gravador os meus cantores preferidos, que na ocasião estavam Xuxa e Balão Mágico, me trazia então, mais alegria.

Um tanto mais crescida, além do gosto por ouvir músicas, passei a frequentar locadoras de vídeo. Outro estabelecimento que talvez seja desconhecido de alguns leitores. Mas era um lugar fantástico. Ali era possível locar fitas VHS, com os filmes que eram lançamentos ou clássicos do cinema. Assim como em uma biblioteca, deixar de devolver no prazo, gerava multas e um tempo de suspensão. Essa era a pior parte. Ficar sem poder retirar filmes por um tempo, era ficar sem diversão por longa data.

Hoje não tem CDs, VHS, fita K7, nem vinil. Nunca se imaginou que mesmo sem tantas formas de diversão, estaríamos repletos de canções e filmes com muito mais rapidez e facilidade. Os serviços de streaming abrangem tanto as músicas que tanto amo, quanto os filmes. Agora muito mais amplo que as prateleiras que víamos nas lojas disponíveis para venda. E os filmes que transcendem as quantidades disponíveis para locações.

A alegria de poder acessar tantos filmes e músicas, com um piscar de olhos, é algo que só é possível em nosso mundo cada vez mais conectado. Hoje meu gravador da infância não conseguiria se conectar com as novas formas de envio de áudio, não teria espaço. O filme VHS não teria possibilidade de ser assistido, não temos mais videocassetes. Os vinis são ainda usados pelos DJs, com grande habilidade, mas de forma distinta da que era no passado. No entanto, as possibilidades dos dias atuais parecem ser infinitas. A sensação que tenho é de que a cada segundo parecem chegar milhões de filmes ao streaming e milhares de músicas nas plataformas digitais. Essa era digital é mesmo surpreendente, pois parece que as escolhas dos filmes e estilos musicais ofertados a nós por ali são feitas pelos nossos amigos.

Por

cristiane.lopes@oestadorj.com.br

* Jornalista e especialista em Gestão Cultural. Amante da cultura e das artes.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e