Controle seu drone antes que ele controle você

Voar não é mais só para pássaros. Meu Abner que o diga

Toda IA, ou Inteligência Artificial, que se preze deve ter um nome. SIRI, Alexa, Cortana, Bia e por aí vai. O meu IA é um drone e eu o batizei de Abner.

Para quem não se lembra, ou nasceu muito tempo depois e não viveu o ápice das séries em preto e branco numa TV de tubo, Abner era o marido da Sra. Kravitz, a fofoqueira da janela ao lado da Samantha Adams, a feiticeira e que não vem ao caso agora. Melhor procurar no Google para se inteirar. Abner era o marido da Sra. Kravitz, a qual já tinha batizado minha vizinha fofoqueira, que fazia isso com a vassoura dela aqui.

Sendo assim, Abner era o cordial e cordato saco de pancadas da esposa, a qual não tinha nada a fazer se não ficar espionando a casa – e a vida – dos outros. E para quem tem a memória curta ou não sabe, tenho essa mania de colocar nome em tudo o que é relevante para o momento. Às vezes os nomes “pegam”, pra tristeza de alguns. Abner é um dronezinho muito lindo, um pequeno notável, que faz voos distantes, até que alguém comece a se incomodar, afinal, ele pode voar por até 7 km de distância, assim bruxa nenhuma consegue capturá-lo e ele pode ficar meio invisível por causa da altura.

A Feiticeira
Quem disse, quem viu?

Abner, o meu, pode bisbilhotar tudo, desde a mata, os bichos e o entorno. Pode também, como fazem seus primos policiais, encontrar nichos de noias, de vagabundos e até aquele cantinho escuro pra vc fazer o que ninguém quer que saia nos jornais e nas redes (anti)sociais. Abner pode flagrar coisas e lugares distantes e voltar pra casa sem que ninguém o roube, porque, ao tocá-lo, ele faz um chilique tão alto que dá medo. Ainda assim ele é discreto, zumbe como uma vespa sem ser visto, olha tudo o que você não vê e, se alguém o vir, ele pode levar uma tomatada ou uma laranjada nos circuitos. Aí é fim de jogo.

Um drone particular não pode voar por aí bisbilhotando a vida alheia, é feio demais, nossas mães nos ensinaram isso e temos mais o que fazer. Mas uma voadinha ao redor da sua casa, desviando de fios, aviões e aves, sem enfiar a cara no quintal do lado até pode, desde que seu drone tenha autorização da ANAC para isso. Abner tem, pode, mas não faz. A Sra. Kravitz não deixa. Bobão.

Por

paula.toom@oestadorj.com.br

Jornalista, tradutora, revisora e redatora. Tem 3 cachorros, 3 gatos fixos e mais um monte ao seu redor. Cuida para que eles não sejam abandonados pelas sarjetas. É editora-chefe das colunas que você lê aqui.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e