Controle emocional é possível no mundo moderno?

Manter equilíbrio na área emocional pode trazer melhores resultados nas relações de trabalho

Reprodução/ Internet

Grande parte do que fazemos em nosso dia a dia está atrelada à emoção. Sentimentos como amor, tristeza, raiva, medo, prazer, surpresa, vergonha etc., andam lado a lado. Escolher as emoções é algo que não temos comando, mas é possível manter um controle emocional, reconhecendo seus sentimentos. É o que explica a consultora para desenvolvimento humano Marcinéia Oliveira, “aprender a dominar nossas emoções é muito importante em qualquer campo de nossa vida. Afinal, ninguém está imune a situações tensas e momentos estressantes, tanto na vida pessoal como na profissional. Precisamos aprender a desenvolver nossa inteligência emocional para enfrentarmos as situações que nos apresentam”, diz a consultora.

Obter este controle é essencial em todos os âmbitos da vida, e no trabalho não é diferente o equilíbrio deve ser constante. O estresse e a competição são parceiros para desequilibrar o emocional de alguém. De acordo com a consultora Marcinéia, se as emoções não forem controladas, podem trazer prejuízos não somente para os outros, mas também em si mesmo, “as nossas emoções dão um colorido especial em nossa vida, porém se não forem bem controladas estas mesmas emoções podem levar-nos a ruína”, adverte Marcinéia.

A especialista diz que mesmo um profissional sendo excelente, se não tiver o controle de suas emoções “dificilmente será bem sucedido”, enfatiza.Quando a emoção nos domina, agimos por impulso, segundo Daniel Goleman em seu livro Inteligência Emocional, “‘o primeiro impulso’ numa situação emocional é do coração, não da cabeça”, e é nessa hora que nossa inteligência emocional deve ser ativada. Conforme Marcinéia, “quando desenvolvemos nossa inteligência emocional nos tornamos capazes de perceber nossas emoções e também controlá-las, usando-as de forma construtiva, o que poderá melhorar nossos relacionamentos profissionais e pessoais”, esclarece a consultora.

Nervosismo, estresse, pressão alta, tremor são alguns dos sintomas que podem abalar o emocional. “Por dois anos passei por estresse no meu trabalho, e isso começou a afetar minha saúde. Sempre fui uma pessoa calma, mas cheguei a perder o controle emocional no meu trabalho. Hoje estou bem, pois sai de lá”, conta a técnica em administração que prefere não se identificar.

Como podemos aprender, então, a lidar de uma maneira eficaz com a emoção no ambiente de trabalho? Há algum exercício ou técnica para isto? Marcinéia explica que a mudança do comportamento vem quando a pessoa torna-se consciente que algo deve ser transformado. “Para se conhecer melhor é necessário tirar um tempo para refletir e avaliar a maneira como agimos e reagimos diante das nossas ações e as de outras pessoas, bem como analisar a maneira como julgamos os fatos que acontecem no nosso dia a dia. Quando compreendemos nossos próprios pensamentos, ações e sentimentos podemos nos empenhar para que produzam reações benéficas, mesmo sobre pressão”, afirma a consultora.

Controlando sua emoção através do coaching

A consultora Marcinéia conta um pouco mais sobre controle emocional ao O Estado RJ através de algumas perguntas que seguem abaixo.

O Estado RJ: O que é coaching?

Marcinéia Oliveira: Um profissional capacitado e qualificado pode ser de apoio para ajudar uma pessoa a desenvolver sua inteligência emocional. No entanto, a pessoa que precisar de ajuda para aprender a controlar suas emoções, pode recorrer à programação neolinguística e diversas técnicas, que será eficiente apenas se a pessoa estiver disposta a fazer as mudanças em sua maneira de agir e reagir. Autoconhecimento é primeiro passo.

OERJ: Como identificar quem precisa desse coaching emocional?

M.O.: A maneira como age e reage, as situações cotidianas podem ser um parâmetro para avaliarmos se a pessoa precisa de apoio para gerir suas emoções diariamente.

OERJ: E para alguém que não tem conseguido manter o equilíbrio de suas emoções no ambiente de trabalho, qual sua dica?

M.O.: Colocar como prioridade em sua vida o aprendizado do controle de suas emoções. Gosto muito do que  David Ryback, em seu livro intitulado – Emoção no local de trabalho aconselha, ele diz que  “Ser emocionalmente inteligente não é ser competitivo nem despreocupado. É saber usar sua sensibilidade emocional seja qual for seu nível de profundidade.”. A busca por este equilíbrio é muito importante, e a pessoa pode e deve gastar tempo analisando suas emoções, estudando e principalmente gastar tempo para melhorar esta área. Afinal assim como tem cursos para melhorar a parte técnica, também há cursos para melhorar o controle das emoções.

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e