Comunidade gay da Austrália comemora votação a favor de casamento homossexual

A Austrália se tornará a 26ª nação a formalizar esse tipo de união se a legislação for aprovada no Parlamento

Print page

Os australianos votaram majoritariamente a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo, abrindo caminho para a aprovação de uma lei até o fim deste ano. A decisão foi comemorada nessa quarta-feira (15) pela comunidade gay, com pessoas usando vestidos de casamento e ternos com lantejoulas e declarando “nosso amor é verdadeiro”.

A Austrália se tornará a 26ª nação a formalizar esse tipo de união se a legislação for aprovada no Parlamento. A decisão é esperada, apesar de algumas manifestações contrárias da ala conservadora do governo.

Milhares de pessoas reunidas em um parque de Sydney se abraçaram e choraram quando o estatístico-chefe do país revelou, ao vivo em um telão, que 61,6% dos eleitores consultados aprovaram a igualdade de matrimônio e que 38,4% se manifestaram contrários à medida.

Ian Thorpe, nadador olímpico australiano que assumiu ser gay há três anos, disse que o resultado foi um grande alívio. “Significa que o que você sente por outra pessoa, quem quer que seja, é igual”, disse Thorpe aos repórteres durante as comemorações em Sydney.

A votação voluntária não tem aplicação obrigatória, mas o primeiro-ministro Malcolm Turnbull disse imediatamente que cumprirá a promessa de apresentar um projeto de lei ao Parlamento, com o objetivo de aprovar a lei até o Natal.

Turnbull minimizou o temor de uma divisão em seu governo de coalizão, em reação à iniciativa, devido ao fato de a facção conservadora estar pressionando por emendas para proteger liberdades religiosas que discriminam casais homossexuais.

“É inequívoco, é esmagador. Eles falaram aos milhões e votaram majoritariamente no sim pela igualdade de matrimônio”, afirmou Turnbull aos repórteres em Canberra, após o anúncio dos resultados.”Eles votaram sim pela justiça, sim pelo comprometimento, sim pelo amor”.

Um projeto de lei de igualdade matrimonial foi apresentado ao Parlamento no fim dessa quarta-feira (pelo horário local).

O resultado simboliza um divisor de águas para os direitos gays na Austrália, onde o envolvimento em atividades homossexuais era ilegal em alguns estados até 1997.

Quase 80% dos eleitores registrados participaram da sondagem – um comparecimento maior do que o do Brexit, como é conhecido o processo de separação do Reino Unido da União Europeia, e do que o do referendo sobre casamento homossexual da Irlanda.

“Gostei de ver, Austrália”, tuitou a apresentadora norte-americana Ellen DeGeneres, que é casada com a atriz australiana Portia de Rossi, nos Estados Unidos.

da Agência Reuters

Por

Webjornal O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e