Combates de rua se intensificam por controle de cidade na Ucrânia

"Nossos heróis não estão desistindo de suas posições em Sievierodonetsk", disse o presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy

Tropas ucranianas enfrentaram russos pelas ruas da cidade devastada de Sievierodonetsk nesta terça-feira (7), tentando manter os ganhos de uma contraofensiva-surpresa que reverteu o ímpeto em uma das batalhas terrestres mais sangrentas da guerra na Ucrânia.

A luta pela pequena cidade industrial é crucial no Leste do país, com a Rússia concentrando seu poder ofensivo na região, na esperança de alcançar um dos objetivos de guerra declarados – capturar totalmente a província de Luhansk, em nome de separatistas pró-Moscou.

Depois de se retirar de quase toda a cidade diante do avanço russo, as forças ucranianas realizaram um contra-ataque surpresa na última semana, expulsando os russos de uma faixa do centro da cidade. Desde então, os dois exércitos se enfrentam em avenidas, ambos alegando ter infligido grandes baixas ao inimigo.

“Nossos heróis não estão desistindo de suas posições em Sievierodonetsk”, disse o presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, em discurso por vídeo durante a noite, descrevendo os violentos combates de rua na cidade.

Mais cedo, ele afirmou a repórteres que os ucranianos estavam em menor número, mas ainda tinham “todas as chances” de revidar.

Antes da contraofensiva da Ucrânia, a Rússia parecia à beira de cercar as forças ucranianas na província de Luhansk, rompendo a estrada principal para Sievierodonetsk e sua cidade gêmea Lysychansk, por meio do Rio Siverskiy Donets.

Após a contraofensiva, Zelenskiy fez uma visita de surpresa a Lysychansk no domingo (5), demonstrando pessoalmente que Kiev ainda tinha rota aberta para o reduto de suas tropas.

O Ministério da Defesa da Ucrânia disse que a Rússia está lançando tropas e equipamentos em sua tentativa de capturar Sievierodonetsk. O governador de Luhansk, Serhiy Gaidai, declarou que a situação piorou desde que os defensores ucranianos repeliram os russos no fim de semana.

Luhansk e a província vizinha de Donetsk, conhecidas como Donbas, tornaram-se o foco principal da Rússia desde que suas forças foram derrotadas nos arredores de Kiev, em março, e afastadas da segunda maior cidade, Kharkiv, no mês passado.

A Rússia vem pressionando de três direções principais – leste, norte e sul – para tentar cercar os ucranianos em Donbas. O país fez progressos lentamente, mas não conseguiu dar um golpe decisivo ou cercar os ucranianos.

Em sua atualização noturna, os militares ucranianos disseram que dois civis foram mortos em bombardeios russos em Donbas, e que as forças russas dispararam contra mais de 20 comunidades, usando artilharia e ataques aéreos.

Em Druzhkivka, no bolsão ucraniano da província de Donetsk, moradores reviravam os destroços de casas destruídas pelo último bombardeio.

“Por favor, ajudem, precisamos de materiais para o telhado, para a casa, há pessoas sem abrigo”, gritou Nelya, do lado de fora de sua casa, onde o telhado foi destruído. “Minha sobrinha tem dois filhos pequenos, ela teve que cobrir um de seus filhos com o próprio corpo.”

Reuters

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e