Cidades litorâneas apostam em massagens para atrair moradores e turistas

Ubatuba (SP), Caraguatatuba (SP) e Paraty (RJ) são alguns
dos municípios praianos que estão investindo em espaços terapêuticos, proporcionando a moradores e visitantes técnicas de relaxamento que geram bem-estar e estimulam a energia vital do corpo e espírito

Há alguns anos já reconhecido como um país onde a demanda por massagens está crescendo sem parar, o Brasil vê também o desenvolvimento deste mercado especialmente nas cidades litorâneas.

Além das capitais à beira-mar, como Rio de Janeiro, Fortaleza (CE), Florianópolis (SC) e Salvador (BA), localidades menores como Ubatuba, Caraguatatuba, Guarujá, Santos (SP), Paraty e Búzios (RJ) também entraram no mapa dessa terapia.

Uma novidade que há pouco tempo chegou ao país é a massagem havaiana, que aproveita o nosso clima tropical para conquistar cada vez mais adeptos. Também conhecida como “lomilomi” – palavra que nas línguas havaiana e samoana significa “amassar, esfregar ou acalmar; trabalha para dentro e para fora, como as patas de um felino”.

A técnica se popularizou em todo o mundo por causa do turismo havaiano, mas também é uma prática tradicional nas vizinhas Ilhas Polinésias do Taiti, Polinésia Francesa, Samoa e Tokelau.

Os massagistas especializados nesta terapia usam as palmas das mãos, antebraços, dedos, nós dos dedos, cotovelos, joelhos e pés. Alguns podem até utilizar madeiras e pedras, podendo inclusive ser realizado com ou sem emoliente.

A massagem havaiana combate o estresse e a depressão; relaxa a musculatura; alivia dores; reequilibra o sistema digestivo; melhora o sistema respiratório e renova as energias.

Outra terapia que vem sendo bastante procurada é a massagem com conchas (dessas que são encontradas nas praias ou em lojas à beira-mar), que é extremamente relaxante e suaviza a pele, facilitando a drenagem linfática, atenuando linhas de expressão e flacidez da pele, por conta da ativação da microcirculação subcutânea.

Após a limpeza e esterilização, com água fervente, as conchas (com tamanhos variando entre 6 e 11 cm) são usadas nas massagens com a associação de óleos e cremes, devendo ser limpas depois do uso com álcool canforado para evitar a formação de fungos pela umidade.

 Relaxante, a massagem com conchas atenua linhas de expressão, ativa a circulação, diminui a flacidez, estimula o metabolismo cutâneo e deixa a pele limpa. Evita inclusive o aparecimento de espinhas.

Clínicas e spas de cidades litorâneas também dispõem de massagens mais usuais, como a sueca, a ayurvédica, shiatsu, reflexologia, aromaterapia e as sensuais (sensitive, tântrica, tailandesa e nuru). Em diversas regiões do país, homens e mulheres buscam por sessões de massagem em cidades litorâneas, através de buscas online como massagistas em Ubatuba, massagistas em Caraguatatuba, massagistas em Paraty, entre outras localidades onde é possível localizar em guias do segmento, indicações de profissionais e spas.

A massagem sensitive estimula as zonas erógenas, com movimentos contínuos e suaves a partir de toques com as pontas dos dedos. Ajuda a eliminar tensões, criando uma comunicação nova do corpo com a consciência.

A tailandesa, por sua vez, é indicada para reduzir a dor e o estresse. Além disso, ajuda a melhorar a flexibilidade e a circulação sanguínea. O terapeuta usa seus pés, joelhos, polegares, palmas e cotovelos, além de pressão, compressão e alongamento, no corpo do paciente.

A técnica nuru é feita com um ou mais massagistas, nus e cobertos com uma loção de massagem incolor e inodora, que se esfregam contra o corpo do cliente. Isto desencadeia fortes sensações táteis para aliviar o estresse. A massagem relaxa a musculatura, desintoxica o organismo e provoca maiores sensações de prazer.

Bastante aplicada no Brasil, a massagem tântrica proporciona diversos benefícios aos praticantes. Desperta a sexualidade, ajudando inclusive a resolver bloqueios de ordem emocional, visto que a técnica favorece o autoconhecimento do corpo. Além disso, ajuda a refinar a sensibilidade, no intuito de expandir e intensificar a sensação orgástica, encadeando diversos agrupamentos musculares na reação bioelétrica do orgasmo.

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e