Celso de Mello pede que PGR diga se Bolsonaro deve depor pessoalmente

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), pediu nesta sexta-feira (26) que a Procuradoria-Geral da República (PGR) se manifeste sobre a forma como o presidente Jair Bolsonaro deve prestar depoimento — pessoalmente ou por escrito — no âmbito das investigações que apuram se o chefe do Executivo tentou interferir politicamente na Polícia Federal.

A delegada da Polícia Federal Christiane Correa Machado encaminhou, na última sexta-feira (19), um ofício ao ministro. No documento, ela informa que as investigações relacionadas ao Inquérito 4.831, referentes a possíveis interferências do presidente na PF, se encontram em estágio avançado. Ela também informou o STF sobre a necessidade de colher o depoimento do presidente Jair Bolsonaro.

Aberto a partir de declarações do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro, o inquérito 4.831 pode levar à apresentação de uma denúncia contra o chefe do Executivo.

Em 2017, o ministro Luís Roberto Barroso, do STF, garantiu ao então presidente Michel Temer, investigado no inquérito dos Portos, o direito de depor por escrito. Na ocasião, a defesa de Temer encaminhou um documento com as respostas do emedebista às 50 perguntas da PF sobre as investigações.

Por

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e