Saúde

Mais uma vacina contra a Covid-19 começa a ser testada em humanos

Nesta segunda-feira (25), a empresa de biotecnologia de Maryland (EUA) Novavax anunciou planos para iniciar a inscrição de aproximadamente 130 pessoas em um ensaio com uma nova vacina experimental contra a Covid-19. A empresa diz que espera obter resultados preliminares de segurança e eficácia em julho. Esta é a décima companhia do mundo a iniciar testes em humanos de possíveis vacinas contra a doença causada pelo novo coronavírus. O primeiro voluntário deve ser vacinado na noite desta segunda-feira (25) na Austrália, onde a fase inicial do julgamento está sendo realizada em dois locais. A vacina, denominada NVX-CoV2373, produziu altos níveis de anticorpos neutralizantes em testes pré-clínicos, declarou a empresa em um comunicado.  "Esses resultados fornecem fortes evidências de que a candidata a vacina será altamente imunogênica em seres humanos, levando à proteção contra a Covid-19 e, assim, ajudando a controlar a propagação desta doença", afirmou. O anúncio foi feito apenas na declaração e os dados não foram revisados por pares ou publicados...
Leia mais

Mortes por Covid-19 no Brasil podem chegar a 125 mil até agosto

O Instituto de Métricas e Avaliação da Saúde (IHME), da Universidade de Washington, reviu para 125 mil as projeções de mortes por Covid-19 no Brasil, até o início de agosto. O cálculo diz que o número de vítimas fatais da doença pode variar entre 68 e 221 mil. De acordo com o boletim divulgado pelo Ministério da Saúde nesta segunda-feira (25), a Covid-19 já provocou 23.473 mortes no país. O novo estudo substitui a projeção anterior de 90 mil mortes em decorrência do coronavírus no Brasil, que foi apresentada no dia 12 de maio, e inclui previsões para 19 dos 26 estados brasileiros que possuem mais de 50 mortes. O instituto diz que refez o cálculo, depois de incluir e analisar novos dados sobre casos, hospitalizações, mortes, testes e mobilidade.  "O Brasil deve seguir a liderança de Wuhan, China, bem como a Itália, a Espanha e Nova York, impondo mandatos e medidas para obter o controle de uma epidemia em rápida evolução...
Leia mais

Vital Brazil e UFRJ testam soro para tratar covid-19

Pesquisadores do Instituto Vital Brazil e da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) estão estudando um soro hiperimune que pode tratar a covid-19. Esse medicamento é do mesmo tipo daqueles usados contra a raiva e contra picada de animais peçonhentos.   O soro é feito a partir do plasma sanguíneo de cavalos. No caso dos soros antiveneno, o sangue equino produz agentes de defesa contra a toxina inoculada no corpo. A partir desse plasma com anticorpos, é criado o soro.  O mesmo processo é usado no soro contra a raiva, aplicado em pessoas que possivelmente tiveram contato com o vírus e que impede que o agente viral se manifeste no corpo do infectado. No estudo contra o novo coronavírus, a UFRJ isolará e inativará o vírus, para que ele possa começar a ser inoculado em cavalos do Instituto Vital Brazil. O teste começa na próxima quarta-feira (27). “Já vimos em muitas pesquisas realizadas pelo mundo em que o tratamento a partir do...
Leia mais

Governo proíbe entrada de estrangeiros no país por 30 dias

O governo federal publicou em edição extra do Diário Oficial da União uma portaria que restringe a entrada de estrangeiros no Brasil por 30 dias em decorrência da pandemia do novo coronavírus. A entrada de estrangeiros, de qualquer nacionalidade, fica proibida por rodovias ou outros meios terrestres, por via aérea ou por transporte aquaviário. O prazo de 30 dias poderá ser prorrogado por recomendação técnica da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que foi a entidade que recomendou a restrição. Pelo ato, a restrição não se aplica a brasileiros natos ou naturalizados; imigrantes que tenham residência permanente no Brasil; profissionais estrangeiros em missão que estejam a serviço de organismo internacional; passageiros em trânsito internacional, desde que não saiam da área internacional do aeroporto e que o país de destino admita o seu ingresso; funcionários estrangeiros acreditado junto ao Governo brasileiro; além de estrangeiros que sejam cônjunges, conpanheiros, filhos, pais ou curadores de brasileiros; que tenham o ingresso autorizado pelo governo brasileiro...
Leia mais

Estudo identifica que cloroquina aumenta risco de arritmia cardíaca

Um artigo científico publicado hoje (22) na revista médico-científica The Lancet afirmou que não houve melhora significativa na condição de saúde de pacientes medicados com quatro protocolos diferentes de cloroquina e hidroxicloroquina. Feito por um grupo de cardiologistas, o foco da pesquisa foi identificar arritmias cardíacas e mortalidade hospitalar em pessoas sob o efeito dos medicamentos. O estudo foi realizado em um grupo multinacional de pacientes espalhados por 671 hospitais do mundo. Ao todo, 96.032 pacientes participaram dos testes, sendo que cerca de 15% total - 14.888 pessoas - foram medicados. Protocolo 01 - Apenas cloroquinaProtocolo 02 - Cloroquina e antibióticosProtocolo 03 - Apenas hidroxicloroquinaProtocolo 04 - Hidroxicloroquina e antibióticos1.868 pacientes3.783 pacientes3.016 pacientes6.221 pacientes De acordo com a pesquisa, a mortalidade nos grupos que usaram as diferentes variações de protocolo baseadas na cloroquina ficou em 9,3% - acima do número do grupo de controle, as outras 81.144 pessoas. Neste grupo, que não foi medicado da mesma maneira, a taxa ficou em 0,3%. De acordo...
Leia mais

Esgoto pode indicar percentual de contaminados pela covid-19

Procedimento eficiente para a identificação de doenças infecto-contagiosas, o exame de fezes, quando feito em larga escala – via monitoramento de redes de esgoto – pode ser uma forma eficaz de identificar o percentual de indivíduos contaminados pelo novo coronavírus (covid-19) em uma região. Entre as vantagens dessa técnica está a de abranger tanto pessoas que apresentam como que não apresentam os sintomas da doença (assintomáticas). O monitoramento de esgotos como ferramenta de vigilância epidemiológica não é uma novidade. Em meados dos anos 1850, o inglês John Snow usou dessa ferramenta para entender a ocorrência da cólera e identificar as residências de pessoas que morreram por conta da doença no bairro do Soho, em Londres. Projeto-piloto Diante da expectativa de essa ferramenta poder ser aplicada também para acompanhar a situação da atual pandemia no país, o projeto-piloto Monitoramento Covid Esgotos está sendo implementado nos sistemas de esgoto de Belo Horizonte e Contagem, ambos de Minas Gerais. Ao fazer esse tipo de...
Leia mais

Covid-19 atinge 62% dos municípios brasileiros; 24% registram mortes

Em entrevista diária do Ministério da Saúde, nesta quinta-feira (21), o diretor do Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças Não Transmissíveis, Eduardo Macário, apresentou gráficos que mostram o avanço da covid-19 no Brasil. A doença, que já infectou mais de 310 mil brasileiros, está presente em 62.6% dos municípios brasileiros, sendo que 24,3% registraram óbitos em decorrência do novo coronavírus. Covid-19 nos municípios brasileiros - Ministério da Saúde O diretor voltou a explicar que os números de mortes registrados podem ser de óbitos ocorridos dias ou semanas antes. Pela dinâmica de alimentação dos dados, aos fins de semana há menos registros e às terças-feiras há mais casos em razão do acúmulo de notificações. Atualmente há 3.521 falecimentos aguardando resultados laboratoriais. Mas ele reiterou que o Brasil está em uma curva ascendente. “Temos sim um aumento de casos, e principalmente na questão dos óbitos confirmados por coronavírus no Brasil. [Isso pode causar uma] falsa impressão de que mortes estão diminuindo nas últimas...
Leia mais

Ex-chefe da Anvisa alerta para riscos de cloroquina contra Covid-19

 O novo protocolo do Ministério da Saúde para uso do medicamento cloroquina nos estágios iniciais da Covid-19 é uma “barbaridade”, na avaliação do ex-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) Gonzalo Vecina Neto, que aponta ainda que a adoção do medicamento pode provocar mais mortes do que evitar, devido aos graves efeitos colaterais.Enfermeira mostra hidroxicloroquina no Hospital Conceição em Porto Alegre 23/4/2020 REUTERS/Diego Vara Segundo Vecina, que é médico sanitarista e professor da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP), não há comprovação científica da eficácia da cloroquina contra o coronavírus e é “inacreditável que em pleno Século 21 a gente esteja vivendo de magia”. “É inacreditável. Não tem evidência científica. É a opinião de um capitão que consegue convencer um general a fazer”, disse Vecina Neto à Reuters, referindo-se à patente com a qual Bolsonaro deixou o Exército para em seguida entrar na política e ao fato de o general Eduardo Pazuello ocupar no momento...
Leia mais

Coronavírus pode se tornar endêmico

O novo coronavírus ainda vai ficar por muito tempo "à solta", alertou a Organização Mundial da Saúde (OMS). Em todo o mundo, mais de 4,2 milhões de pessoas já foram infectadas, das quais 300 mil morreram. Os especialistas não sabem ao certo quando o contágio pode ser interrompido e agora dizem que o vírus pode nunca desaparecer. "O coronavírus pode se tornar outro vírus endêmico em nossas comunidades e nunca desaparecer", disse Michael Ryan, diretor-executivo da OMS. "Acho importante sermos realistas e não me parece que alguém possa prever quando a doença desaparecerá", acrescentou. Mas o que é um vírus endêmico? A definição pode ser encontrada no site do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos. Endêmica "refere-se à presença constante e/ou prevalência habitual de uma doença ou agente infeccioso em uma população de uma área geográfica", explica o CDC. Eles também incluem o termo "hiperendêmico", que se refere a níveis altos e persistentes de ocorrência da doença. Nas palavras de Rosalind Eggo,...
Leia mais

Tabagismo e coronavírus são combinação catastrófica

O diretor executivo da Fundação do Câncer, Luiz Augusto Maltoni, disse que como o tabagismo é fator de risco para infecções respiratórias, doenças vasculares, cardiovasculares e pulmonares, e o novo coronavírus tem aí sua principal porta de entrada, a "combinação é catastrófica". Análise publicada na China, dos primeiros casos de covid-19, comparando grupos de fumantes e não fumantes, mostrou que a doença teve evolução mais grave e maior índice de letalidade no grupo de fumantes. “Alguns artigos mostraram 1,5 vez mais, outros 2,4 vezes mais. Ou seja, você mais do que duplica a chance de a doença se agravar e duplica os óbitos em relação ao grupo que não fuma”. Disseminação Maltoni chamou a atenção para o fato de o vírus se disseminar com facilidade, principalmente por contaminação pelo perdigoto (gotículas contaminadas de saliva). Outro agravante em relação ao tabagismo é o uso de narguilé (espécie de cachimbo de água de origem oriental, utilizado para fumar tabaco aromatizado e, ocasionalmente, maconha...
Leia mais
http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e