Saúde

Casos de covid-19 crescem 3% e mortes caem 11%

Os novos casos de covid-19 continuam aumentando, dentro da margem de estabilidade. É o que mostra o novo boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, que analisa a Semana Epidemiológica (SE) 22, de 30 de maio a 5 de junho. O total de novos casos registrados no período marcou aumento de 3% sobre a semana anterior. Na Semana Epidemiológica 22 foram confirmados 435.825 novos casos, contra 424.161 na semana anterior. A média móvel de casos (total no período dividido por sete dias) ficou em 62.261. O resultado da SE 22 mostra uma retomada do crescimento da curva de casos após uma queda na semana anterior. A redução dos novos diagnósticos positivos de covid-19 foi iniciada em março, com um aumento na SE 13.   Os boletins epidemiológicos do Ministério da Saúde sobre o Coronavírus reúnem a avaliação da pasta sobre a evolução da pandemia, considerando as semanas epidemiológicas, tipo de mediação empregada por autoridades de saúde para essas situações. A semana epidemiológica é...
Leia mais

Bolsonaro pede parecer para desobrigar uso de máscara por vacinados

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (10), durante cerimônia no Palácio do Planalto, que pediu ao Ministério da Saúde um parecer para desobrigar o uso de máscara por pessoas que já estejam vacinadas ou que tiveram a covid-19.  "Acabei de conversar com um tal de Queiroga, não sei se vocês sabem quem é. Nosso ministro da Saúde. Ele vai ultimar um parecer visando a desobrigar o uso de máscara por parte daqueles que estejam vacinados ou que já foram contaminados para tirar este símbolo que, obviamente, tem a sua utilidade para quem está infectado", afirmou o presidente durante solenidade para anúncio de medidas do Ministério do Turismo. A obrigação do uso de máscara em espaços e ambientes públicos, entre outras medidas sanitárias, é definida em decretos estaduais e municipais, por iniciativa de prefeitos e governadores, conforme decisão vigente do Supremo Tribunal Federal (STF). De acordo com epidemiologistas, a população vacinada ou que já teve a doença deve continuar usando máscaras porque,...
Leia mais

Concessão de benefícios do INSS fica mais rápida a partir desta quinta

A partir desta quinta-feira (10) começam a valer os novos prazos para concessão de benefícios do INSS. As novas datas foram fruto de acordo da instituição e de outros órgãos do governo federal com o Ministério Público Federal (MPF) e a Defensoria Pública da União (DPU). De acordo com o presidente do INSS, Leonardo Rolim, o acordo firmado vai ao encontro das ações que a instituição já vem dotando desde 2020 para reduzir o tempo de espera do segurado. “Contratamos servidores temporários; ampliamos as equipes de análise em 22%; ampliamos o número de benefícios concedidos de forma automatizada; realizamos mutirões para os benefícios mais solicitados, como auxílio-maternidade e pensão por morte, entre outras ações”, afirma. Confira a seguir os novos prazos: Benefício assistencial à pessoa com deficiência90 diasBenefício assistencial ao idoso90 diasAposentadorias, salvo por invalidez90 diasAposentadoria por invalidez comum e acidentária45 diasSalário maternidade30 diasPensão por morte60 diasAuxílio reclusão60 dias Caso os prazos não sejam cumpridos, haverá o pagamento de juros de mora ao segurado,...
Leia mais

Menos de 30% comparecem a unidades de saúde para tomar vacina da gripe

Menos de 30% do público-alvo compareceu a um posto de saúde para tomar a vacina de gripe este ano. A 2ª fase da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza 2021 termina hoje (8) com 23 milhões de doses aplicadas, para um total de 79,7 milhões de pessoas aptas a receber a vacina. O foco da 2ª fase era imunizar idosos com mais de 60 anos e professores. Foram contempladas 15,3 milhões de pessoas – menos da metade das 33 milhões esperadas pelo Ministério da Saúde. Até o momento, foram distribuídas 58,3 milhões de doses. O grupo mais atendido foi o de idosos (9,9 milhões de doses), seguido por crianças (8,3 milhões), trabalhadores da saúde (2,3 milhões), gestantes (978 mil) e professores (836 mil). A cobertura vacinal por segmentos foi mais ampla em crianças (52,3%), puérperas (50,9%) e gestantes (45,8%). Na comparação entre unidades da Federação, as melhores coberturas vacinais foram registradas no Distrito Federal (104%), em Sergipe (33,8%), no Piauí...
Leia mais

Baixa adesão: vacinação contra a gripe entra na terceira fase

Um dia antes do fim do último dia da segunda etapa da campanha nacional de vacinação contra a gripe, dedicada a idosos com mais de 60 anos e professores, a imunização segue registrando baixa adesão da população. Nesta fase, a expectativa era chegar a 33 milhões de pessoas vacinadas, mas segundo o Vacinômetro do Ministério da Saúde, apesar de mais de 58,3 milhões de doses já terem sido distribuídas aos 26 estados brasileiros e ao Distrito Federal, a meta está longe de ser atingida. Em todo país, somente cerca de 22,1 milhões de pessoas haviam sido imunizadas. Terceira etapa A terceira e última fase da campanha começa na próxima quarta-feira (9) e abrangerá cerca de 22 milhões de pessoas. Desta vez, os alvos serão integrantes das Forças Armadas, de segurança e de salvamento; pessoas com comorbidades, condições clínicas especiais ou com deficiência permanente; caminhoneiros; trabalhadores de transporte coletivo rodoviário; trabalhadores portuários; funcionários do sistema de privação de liberdade; população privada...
Leia mais

Maioria das doenças infecciosas tem origem em animais selvagens

Pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) fizeram uma revisão bibliográfica de dados e os resultados revelaram que de 60% a 75% das doenças infecciosas são derivadas de microrganismos que originalmente circulavam em espécies de animais selvagens e saltaram para os seres humanos. Embora o salto de patógenos de uma espécie de animal selvagem para outra e, posteriormente, para humanos seja comum como mostram os dados, é raro que esses eventos levem a uma situação epidêmica. Entretanto, a proliferação dessas doenças entre os seres humanos é facilitada pelas ações humanas. Entre as doenças já conhecidas e resultado desse salto, está a covid-19, cujo vírus Sars-Cov-2 se adaptou ao ser humano, com grande poder de transmissibilidade, o que reforça o papel da ação humana na cadeia de disseminação do vírus. “Podemos citar também os casos de Influenza, cujo salto para a espécie humano foi favorecido pela criação de aves e suínos em um mesmo ambiente, ao longo...
Leia mais

Dietas vegana e onívora promovem ganho de massa muscular equivalente

Quando se trata de ganhar massa e força muscular, é mais importante atentar para a quantidade de proteína ingerida do que para a origem do nutriente. Esta é a conclusão de um estudo que comparou o efeito de treinos de força (musculação) em voluntários que mantiveram dietas onívoras e veganas, ambas com teores proteicos considerados adequados. No estudo, conduzido por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP),um total de 38 jovens adultos saudáveis – sendo 19 onívoros e 19 veganos – foram monitorados por 12 semanas. Além dos treinos desenhados para o ganho de massa e força muscular, os voluntários seguiram dietas mistas (com fontes proteicas animais e vegetais) ou exclusivamente à base de plantas, ambas com o teor indicado de proteína (1,6 grama por quilo corporal por dia). Ao final dos três meses, não foi verificada diferença no percentual de ganho de massa e força muscular entre os indivíduos veganos e onívoros. "Assim como qualquer outra proteína do nosso corpo, entre...
Leia mais

Lesões na pele podem ser indicativo de covid-19

Lesões na pele como púrpura, necrose e lesões vasculares podem ser indicativo de covid-19. É o que aponta a revisão sistemática de estudos científicos feita pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). O estudo mostra que manifestações cutâneas podem ser tanto indicativos como consequências da doença. “Algumas são como se fossem manifestações do vírus, com os outros sintomas gerais, como febre, por exemplo, e outras, principalmente as mais tardias, são consequência. São problemas da vascularização, da coagulação, e acabam acarretando sequelas na pele”, disse à Agência Brasil a assessora do Departamento de Medicina Interna da SBD, Camila Seque, responsável pela pesquisa. Segundo os estudos, esses sintomas aparecem em  6% a 10% dos casos. De acordo com o documento, as lesões de pele podem surgir em até quatro semanas após o início dos sintomas gerais da doença mas, principalmente, no primeiros 15 dias. Os quadros de exantema (manchas vermelhas) e urticária costumam ser mais precoces, com início concomitante aos sintomas gerais...
Leia mais

Covid-19: Brasil registra 95.601 novos casos em 24 h

O Brasil registrou 2.507 mortes e 95.601 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, segundo dados divulgados pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde nesta quarta-feira (2). Este é o maior número diário de novas contaminações pelo vírus desde 25 de março, quando foram registrados 100.736 casos da doença no Brasil.  Com a atualização dos dados da pandemia, o país já soma 467.706 óbitos e 16.720.081 contaminações pelo novo coronavírus. A média móvel de mortes pela Covid-19 permanece em um patamar alto. Nesta quarta-feira a média móvel de óbitos, referentes aos últimos sete dias, está em 1.897. O pico da média móvel de mortes foi atingido em abril deste ano, quando o número chegou a 3.124. No ranking mundial, o Brasil ocupa a segunda colocação em número de mortes, atrás apenas dos EUA, e o país é a terceira nação com maior número de infectados, atrás dos EUA e da Índia, segundo dados da Universidade Johns Hopkins.  Os estados de São...
Leia mais

Covid-19: especialistas preveem que terceira onda pode atingir Brasil em junho

Especialistas acreditam que uma possível terceira onda da Covid-19 pode chegar ao Brasil em junho. Segundo o epidemiologista e professor da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) Pedro Hallal, a expectativa desse aumento de casos era esperada apenas para o mês seguinte. "A tendência era [a terceira onda] viesse em julho e vai chegar em junho por vários motivos", disse Hallal. "O primeiro deles é que o patamar inicial já é muito alto. Quando estabilizamos em dois mil óbitos por dia, já começamos a reabrir o país." Além disso, o ritmo lento de vacinação e a descoberta de novas variantes podem deixar essa terceira onda da doença ainda pior. De acordo com uma estimativa do matemático Osmar Pinto Neto, da Universidade Anhembi Morumbi, o número de mortes pelo novo coronavírus pode chegar a 615 mil pessoas até agosto se a imunização não avançar.  Quanto às cepas da doença, o país tenta conter atualmente a variante originária da Índia, que já tem oito casos confirmados...
Leia mais
http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e