Últimas e Geral

Faturamento caiu em mais de 80% das indústrias nos últimos 45 dias

Pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que 82% das indústrias do país tiveram queda de faturamento nos últimos 45 dias. O levantamento, divulgado hoje (29), foi feito a partir de entrevistas com 1.017 executivos industriais de todas as regiões do Brasil entre os dias 15 e 25 de maio. A margem de erro é de três pontos percentuais. Segundo a pesquisa, entre as empresas que tiveram queda de faturamento, 49% informaram que a diminuição foi maior do que 50%; 29%, que a queda foi de 31% a 50%; 18%, de 11% a 30%; e 4%, até 10%. Em relação à produção, 36% dos executivos industriais entrevistados disseram que diminuiu muito; 16%,  que ficou igual; 14%, diminuiu mais ou menos; 13%, foi totalmente paralisada; 12%, diminuiu pouco; 3%, aumentou muito; 3%, aumentou mais ou menos; e 3%, aumentou pouco. Apesar da queda no faturamento e na produção, a maioria dos industriais disse ser favorável ao isolamento social como forma de...
Leia mais

Número de mortos por covid-19 chega a 4.856 no estado do Rio

O estado do Rio de Janeiro informou mais 251 óbitos e 2,3 mil casos confirmados da covid-19. De acordo com o balanço divulgado hoje (28), o total de infecções diagnosticadas nos municípios fluminenses chegou a 44.866, e o número de vítimas a 4.856. Apesar de terem sido acrescentados no balanço desta quinta-feira (28), os casos e mortes não necessariamente ocorreram nas últimas 24 horas. Os números  refletem os resultados de testes laboratoriais, que muitas vezes levam dias para ficar prontos e podem sair depois da morte dos doentes, por exemplo. O número de recuperados da covid-19 não foi atualizado e continua em 31.934. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde, há 1.286 mortes em investigação e, em 259, o novo coronavírus (covid-19) foi descartado. O município do Rio de Janeiro superou hoje (28) o patamar de 25 mil casos confirmados, com 25.974 infectados. Desde o início da pandemia, 3.293 vítimas testaram positivo para coronavírus na cidade. Duque de Caxias, na Baixada Fluminense,...
Leia mais

Dólar fecha em alta e aproxima-se de R$ 5,40 após seis dias de queda

Depois de seis sessões seguidas de queda, o dólar voltou a subir e aproximou-se de R$ 5,40. A bolsa de valores encerrou em baixa depois de ter fechado no maior nível em quase três meses ontem. O dólar comercial encerrou esta quinta-feira (28) vendido a R$ 5,386, com alta de R$ 0,103 (1,95%). A moeda chegou a ser vendida pouco acima de R$ 5,30, mas acelerou durante a tarde até fechar na máxima do dia. A moeda norte-americana acumula valorização de 34,28% em 2020. O euro comercial fechou o dia vendido a R$ 5,968, com alta de 2,79%. A libra comercial subiu 2,94% e terminou a sessão vendida a R$ 6,658. O Banco Central (BC) interveio pouco no mercado hoje. A autoridade monetária ofertou até US$ 620 milhões para rolar (renovar) contratos de swap cambial – venda de dólares no mercado futuro – que venceriam em julho. Bolsa de valores No mercado de ações, o dia foi marcado pela volatilidade. O Ibovespa, índice da B3...
Leia mais

Tensão entre Bolsonaro e STF é preocupante

Os deputados federais Coronel Tadeu (PSL-SP) e Kim Kataguiri (DEM-SP) acreditam que o cenário político no país tem se intensificado cada dia mais, principalmente devido às falas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Coronel Tadeu disse durante o Debate 360 na CNN nesta quinta-feira (28) que elevar o tom “não é um bom negócio para o jogo político”. Já Kataguiri considera o discurso do presidente um “método para acirrar os ânimos”. “Essa tensão entre os poderes está aumentando cada vez mais e, na minha opinião, não é bom. O tom precisa ser conciliador o tempo todo. São três poderes independentes. Às vezes, [elevar o tom] prejudica algumas outras ações políticas que estão ocorrendo”, avaliou o deputado do PSL. Já para Kataguiri, o discurso do presidente, que já vem sendo utilizado há tempo, é “de quem quer dar golpe e de quem não respeita as instituições”. As falas de Bolsonaro, segundo o parlamentar, são contraditórias. “Ao mesmo tempo que ele sinaliza...
Leia mais

Moro diz que campanhas difamatórias não têm a ver com liberdade de expressão

O ex-ministro da Justiça Sergio Moro comentou nesta quinta-feira (28) sobre a investigação da PF (Polícia Federal) contra fake news, dizendo que "campanhas difamatórias contra adversários, ameaças e notícias falsas não têm a ver com liberdade de expressão".  Moro disse ainda que a discussão não pode se tornar ponto focal neste momento. "Um debate que não pode tirar o foco do que importa agora: defender o estado de direito e a vida", escreveu. Nesta quarta-feira (27), a PF cumpriu diversos mandados de busca e apreensão no âmbito da investigação que apura uma rede de produção e propagação de conteúdo enganoso. Alguns dos alvos foram o ex-deputado federal Roberto Jefferson, o empresário Luciano Hang e o blogueiro Allan dos Santos. Em nota, o STF (Supremo Tribunal Federal) disse que as provas e laudos apontam a "existência de uma associação criminosa dedicada a disseminação de notícias falsas, ataques ofensivos a diversas pessoas, às autoridades e às Instituições".  Nesta manhã, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que "invadir casas...
Leia mais

Fachin manda a plenário pedido para suspender inquérito das fake news

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), pediu urgência, nesta quinta-feira (28), para que seja enviado ao Plenário da Corte o pedido do procurador-geral da República, Augusto Aras, para suspender investigações do inquérito das fake news. “A medida cautelar foi indicada à pauta do Plenário em 15.05.2019 (eDOC 45), havendo solicitado a preferência no julgamento junto à Presidência, nos termos do art. 129 do RISTF, em 13.08.2019 (eDOC 80). Reitero a indicação de preferência à Presidência, permitindo ao Plenário decidir o pedido cautelar, inclusive o ora deduzido. À Secretaria para as providências necessárias. Publique-se", escreveu o ministro. O pedido de Aras foi feito no mesmo dia em que a Polícia Federal executou uma operação no curso do inquérito aberto no STF para apurar a disseminação de fake news e ataques à corte. Por ordem do ministro Alexandre de Moraes, a PF cumpriu 29 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso,...
Leia mais

Alcolumbre entra em campo como bombeiro e pede calma a Bolsonaro

O presidente do Congresso Nacional, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), conversou com o presidente Jair Bolsonaro nesta quinta-feira na intenção de pedir calma ao chefe do Executivo diante de um acirramento do clima político e de uma escalada de ameaças de quebra da normalidade democrática, informaram duas fontes. O movimento de Alcolumbre, assim como o do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), sinaliza tentativa de diminuir a temperatura política em Brasília. Mais cedo, Maia disse não acreditar que a instabilidade política chegue a uma “situação extrema” a ponto de ameaçar a normalidade democrática, e acrescentou que segue na tentativa permanente de diálogo. Na avaliação de uma das fontes, parlamentar independente, a atitude pode resultar em uma banalização dos ataques a instituições democráticas. Segundo essa fonte, princípios democráticos têm perdido espaço, enquanto Bolsonaro e aliados perdem o medo dos órgãos de controle. A avaliação dessa fonte é que os presidentes das duas Casas deveriam ser mais incisivos, avaliação compartilhada por outros parlamentares. Alcolumbre...
Leia mais

“Não haverá outro dia como ontem, acabou!”, diz Bolsonaro sobre inquérito das fake news

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira que “não haverá mais outro dia como ontem” e que “acabou”, numa referência à operação da Polícia Federal que cumpriu mandados de busca e apreensão na véspera contra pessoas aliadas a ele e acusadas de envolvimento na produção e distribuição e fake news. “Não teremos outro dia igual a ontém. Acabou, porra!”, disse Bolsonaro, visivelmente irritado, em uma fala a jornalistas em frente ao Palácio da Alvorada. “Acabou, não dá para admitir mais atitudes de certas pessoas, individuais, tomando de forma quase que pessoal certas ações. Nós somos um país livre e vamos continuar livre mesmo com sacrifício da própria vida.” Em mais de 20 minutos de fala, o presidente não admitiu que os jornalistas fizessem perguntas e, quando questionado, foi embora. Bolsonaro não explicou o que quis dizer com “acabou”, ou o que pretendia fazer contra o inquérito das fake news. “Ninguém mais do que eu tem demonstrando que tenho compromisso com democracia...
Leia mais

Brasileiros preferem Europa a EUA para 1ª viagem pós-pandemia, diz pesquisa

A Europa é o destino preferido da maioria dos turistas brasileiros para a primeira viagem ao exterior após a pandemia do novo coronavírus, de acordo com uma pesquisa liderada pela Universidade Estadual do Ceará (Uece). Foram entrevistadas online 775 pessoas maiores de 15 anos em todo o território nacional em maio e com viagens marcadas e/ou intenção firme de viajar. Para 49,7%, o turismo dentro do Brasil é o preferencial depois da pandemia, e entre os que pretendem ir ao exterior, 32,6% escolherão a Europa. Os Estados Unidos, que decidiram vetar a entrada de pessoas que estiveram no Brasil nos últimos 14 dias para evitar a importação de casos do novo coronavírus, aparecem em segundo lugar como destino no exterior, com 6,3%, e a Ásia em terceiro, com 4,3% da preferência dos entrevistados. O estudo mostrou que a principal motivação dos turistas é a cultural (50,6%), seguida pelas categorias sol e praia (22,3%), natureza (19,3%) e família e amigos (7,9%). Em relação...
Leia mais

Hungria reabrirá cinemas e teatros ao ar livre e permitirá público no esporte

O governo da Hungria anunciou nesta quinta-feira a reabertura de cinemas e teatros ao ar livre, piscinas públicas, além da autorização para a presença de torcedores nas arquibancadas de instalações esportivas, em mais uma fase de relaxamento de medidas de combate à Covid-19. Em todos os locais, no entanto, conforme explicou o ministro de Governância, Geregly Gulyas, serão adotadas medidas de segurança para evitar a propagação do novo coronavírus. Nos estádios de futebol e locais de disputa de outras modalidades profissionais, entre cada espectador deverá ser respeitada a distância de três assentos vazios nas laterais, além de um atrás e outro na frente. A mesma lógica se aplicará nos cinemas e teatros ao ar livre, assim como no circo, que só poderão funcionar se as medidas forem respeitadas. Em Budapeste, onde medidas mais rígidas estavam em vigor, devido ao número maior de casos, a partir da meia-noite de hoje (hora local), poderão ser reabertos os interiores de bares e restaurantes. Atualmente, a Hungria...
Leia mais
http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e