Rio de Janeiro

Multa será de R$ 106 por pessoas sem máscaras no Estado do Rio

O governo do Rio de Janeiro multará em R$ 106,65 pessoas que estejam sem máscara em espaços públicos, transportes públicos, estabelecimentos comerciais e repartições públicas estaduais. A multa chegará a R$ 700 no caso de pessoas jurídicas. O decreto que regulamenta o uso de máscara e a multa para quem descumprir a regra deverá ser sancionada pelo governador fluminense, Wilson Witzel, na segunda-feira (13). A medida visa aumentar a proteção das pessoas contra o novo coronavírus, que causa a covid-19. As multas começarão a ser aplicadas, pela vigilância sanitária, polícias e agentes do programa Segurança Presente após 15 dias da publicação do decreto no Diário Oficial do Estado. Os valores arrecadados serão destinados ao Fundo Estadual de Saúde. ...
Leia mais

MP apreende R$ 8,5 milhões em ação contra fraudes na saúde do Rio

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) apreendeu ontem (10) R$ 8,5 milhões em espécie, durante nova fase da Operação Mercadores do Caos, que investiga fraudes em contratos para compra de respiradores mecânicos, usados, entre outras coisas, para o atendimento a pacientes com covid-19 no estado do Rio. De acordo com o MPRJ, R$ 7 milhões estavam em real. O restante estava em moeda estrangeira (dólar, euro e libra esterlina). Segundo o Ministério Público, a quantia foi entregue espontaneamente por um dos investigados no inquérito, cujo nome não foi revelado. O dinheiro terminou de ser contado na madrugada de hoje (11) com a ajuda de máquinas emprestadas pelo Banco do Brasil, na presença do investigado e de seu advogado. Na fase de ontem da operação, o ex-secretário estadual de Saúde Edmar Santos foi preso por suspeita de envolvimento com o esquema que teria fraudado contratos para a compra dos respiradores. O MPRJ também conseguiu, na sexta-feira, o arresto judicial de...
Leia mais

Witzel: situação se agrava com prisão de Edmar

Integrantes do governo Wilson Witzel relataram que a prisão do ex-secretário de Saúde do Rio Edmar Santos nesta sexta-feira (10) piora a relação entre o Executivo fluminense e o Legislativo. Segundo secretários, o clima fica mais favorável para um processo de impeachment do governador com a prisão de um membro de primeiro escalão e aliado de primeira hora do governo - Edmar ficou no cargo de janeiro de 2019 até o final de maio deste ano, já em meio às investigações de fraudes em compras para combate do coronavírus.  Na manhã de hoje, aliados de Witzel afirmaram estar surpresos com a prisão de Edmar, uma vez que ele já é investigado em âmbito administrativo. O Ministério Público do Rio apura envolvimento dele com a compra emergencial de antibióticos ineficazes para combate ao coronavírus. Os contratos somam R$ 110,6 milhões. Para governistas, Edmar, mesmo que não tenha se beneficiado de eventuais desvios, tem culpa de não ter cuidado dos contratos fechados...
Leia mais

Prefeito e vice de Itaguaí são cassados pela Câmara de Vereadores

O prefeito de Itaguaí (RJ), Carlo Busatto Júnior, Charlinho, e o vice Abeilard Goulart, Abelardinho, tiveram seus mandatos cassados em decisão da Câmara Municipal, na madrugada de hoje (10). Eles sofreram impeachment, por 16 votos a favor e um contrário, por crimes de responsabilidade. O único voto a favor foi do líder do governo na Câmara, Sandro da Hermínio (PP). A sessão da câmara começou às 18h de ontem e aprovou o relatório da Comissão Especial Processante (CEP), que concluiu que os dois gestores cometeram esses crimes. A maioria dos vereadores considerou que Charlinho cometeu ilegalidade em procedimento licitatório em contratação de empresa de lixo e danos ao erário público. Já Abelardinho foi cassado por ter, segundo o relatório da CEP, favorecido terceiros. Com a cassação, os dois tornaram-se inelegíveis por oito anos. Eles já tinham sido cassados em sessão em março deste ano, mas continuaram no cargo devido a uma liminar obtida no Supremo Tribunal Federal (STF). A prefeitura de Itaguaí será assumida pelo presidente da Câmara, Rubem...
Leia mais

MP prende ex-secretário de Saúde do Rio Edmar Santos

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) prendeu hoje (10) o ex-secretário estadual de Saúde fluminense Edmar Santos. Ele é suspeito de integrar uma organização criminosa que fraudou contratos de compra de respiradores pulmonares, que são usados em pacientes com covid-19. De acordo com o MP, ele foi preso em sua casa, em Botafogo, na zona sul da cidade. Também estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão em outra casa do ex-secretário, em Itaipava, na região serrana do Rio de Janeiro. A ação de hoje é um desdobramento da Operação Mercadores do Caos, sobre fraudes em contratos da Secretaria Estadual de Saúde, que já tinha resultado na prisão do ex-subsecretário executivo Gabriell Neves, no início de maio deste ano. Dias depois da prisão de Neves, ainda em maio, Edmar Santos foi exonerado do cargo de secretário estadual de Saúde. De acordo com o MPRJ, também foi obtido junto à Justiça o arresto de R$ 36,9 milhões em bens...
Leia mais

Ex-subsecretária do Rio aponta irregularidades na Saúde, em depoimento

A ex subsecretária de gestão da Atenção à Saúde, da Secretaria de Estado de Saúde (SES) do Rio de Janeiro Mariana Scardua disse que o Plano de Ação para o Enfrentamento da Covid-19 não foi cumprido integralmente após a saída dela do cargo. A médica foi ouvida hoje (9) em audiência pública das Comissões de Saúde e Especial de Fiscalização dos Gastos na Saúde Pública Durante o Combate do Coronavírus da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). Segundo Mariana Scardua, atendendo um pedido do Ministério da Saúde, o planejamento começou a ser feito pela sua equipe técnica e definia etapas para avançar nas ações conforme aumentasse o nível de contaminação da população pelo novo coronavírus no estado.  De início, deveriam ser ativados todos os leitos possíveis na rede de saúde já existente e fazer ampliações das unidades que fossem necessárias. Depois, se houvesse avanço da contaminação, deveriam ser contratados leitos na rede privada. A construção de hospitais...
Leia mais

Líder de milícia pagou R$ 6 mil a PMs para livrar criminoso de ser preso

Apontado como líder da milícia alvo da “Operação Porto Firme”, deflagrada pela Polícia Civil e Ministério Público do Rio nesta quinta-feira (09), o capitão da PM Leonardo Magalhães Gomes da Silva é acusado por pagar propina a policiais militares para livrar um criminoso de ser preso. De acordo com as investigações, “Capitão” seria o líder de um grupo de milicianos que atua que atua na região de Vargem Grande, na Zona Oeste do Rio, e entregou R$ 6 mil a policiais durante uma abordagem a um dos criminosos que compõem o grupo.  Ele é alvo de mandado de prisão e é, no momento, considerado foragido. De acordo com o Ministério Público, existem nas investigações provas de que PMs sabiam dos crimes cometidos pela milícia. Mas, ao invés de agirem como policiais e reprimirem as ações criminosas, os PMs iam conversar com os integrantes do grupo. Isso, para o MP, leva à conclusão de que existe um grupo de policiais pagos...
Leia mais

Polícia Civil faz operação contra milícias no Rio de Janeiro

A Polícia Civil realiza uma operação contra milicianos na manhã desta quinta-feira (9) no Rio de Janeiro. Os agentes cumprem 16 mandados de prisão e 51 de busca e apreensão. Os alvos da Operação Porto Firme estão localizados nos bairros de Vargem Pequena e Vargem Grande, Zona Oeste da capital fluminense. De acordo com informações do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), os investigados são acusados de participar de uma organização criminosa responsável por tráfico de drogas e de armas de fogo, extorsões, homicídios, agiotagem e corrupção ativa.  O delegado Antonio Ricardo Nunes, chefe da Divisão de Homicídios, informou que o grupo “é responsável por homicídios, tráfico de drogas e tráfico de armas”. “Eles expulsam os traficantes do local para montar os negócios de entorpecentes. É uma organização que conta com um grupo grande de pessoas.” Cinco mandados de prisão já foram cumpridos. Um policial militar, o cabo Fernando Mendes Alves (conhecido como "Biro"), foi preso em Vargem Pequena. De...
Leia mais

Estado do Rio de Janeiro se aproxima de 11 mil mortes por covid-19

O estado do Rio de Janeiro registrou 10.970 mortes por covid-19. O número de casos confirmados da doença chega a 126.329 infectados. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (8), pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). Foram registrados 89 óbitos e 2.243 infectados desde o boletim divulgado nesta terça-feira. Há outros 1.029 óbitos em investigação para a doença e 105.231 pacientes se recuperaram. A capital lidera o número de mortes, com 7.101 vítimas. Em seguida, entre os municípios com mais óbitos, aparecem São Gonçalo (490), Duque de Caxias (464), Nova Iguaçu (354), São João de Meriti (244), Niterói (232), Belford Roxo (184), Magé (140), Itaboraí (134), Campos dos Goytacazes (121), Mesquita (112), Petrópolis (97), Macaé (88), Angra dos Reis (87), Nilópolis (87), Itaguaí (80), Volta Redonda (72), Maricá (61) e Cabo Frio (50). A liderança no número de casos confirmados também é da capital, com 62.463 infectados. Em seguida, entre os municípios com maior número de casos confirmados, aparecem Niterói (6.911), São Gonçalo...
Leia mais

Polícia Militar ocupa comunidades da zona oeste do Rio

Tropas de elite da Polícia Militar (PM) ocupam, desde a noite de terça-feira (7) e madrugada de hoje (8), várias comunidades na região da Praça Seca e o bairro do Tanque, em Jacarepaguá, zona oeste do Rio, devido a uma guerra entre traficantes e milicianos pelo controle do território, que abrange várias comunidades, e do comércio de drogas e na região. Três suspeitos de envolvimento na disputa morreram em confronto com as forças de segurança. Tudo começou quando criminosos do Comando Vermelho, a maior facção do Rio, saíram das comunidades do Lins de Vasconcelos, na zona norte, durante a noite e atravessaram a mata fechada até a Praça Seca, onde fica o Morro São José Operário, no final da Rua Barão, que é dominada pela milícia. Grupos de traficantes armados invadiram e tomaram o morro, depois de intenso tiroteio, com uso de armas pesadas e de granadas. Em menor número e em desvantagem no armamento, os milicianos se retiraram. Os moradores das...
Leia mais
http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e