Mundo

“Pirataria moderna”: EUA são acusados de desvio de equipamentos que iriam para Alemanha, França e Brasil

Os EUA foram acusados de redirecionar para si mesmos um conjunto de 200 mil máscaras que tinha como destino original a Alemanha, em um ato descrito como "pirataria moderna". Autoridades em Berlim disseram que o embarque das máscaras, produzidas nos EUA. teria sido "confiscado" em Bangcoc, na Tailândia. As máscaras modelo FFP2, que haviam sido encomendadas pela polícia de Berlim, não teriam chegado a seu destino final. Andreas Geisel, ministro do interior da Alemanha, disse que as máscaras foram "desviadas" para os EUA. Casos semelhantes, incluindo o que vem sendo descrito como "roubo" de contratos pelos norte-americanos, que estariam fazendo propostas financeiras mais altas do que as já assinadas entre países e fornecedores, também foram reportados pela França e pelo Brasil. A 3M, empresa americana que produz as máscaras, foi proibida de exportar seus produtos médicos para outros países após o presidente Donald Trump recorrer a uma lei da época da Guerra da Coreia, que aconteceu nos anos 1950. Na sexta-feira, Trump disse...
Leia mais

China e EUA: o impacto da pandemia sobre a disputa por hegemonia

A pandemia do coronavírus ocorre numa época em que a China desafia o status de potência hegemônica global dos Estados Unidos. Ironicamente, uma trégua na guerra comercial havia sido decretada em dezembro, pouco antes do surto. A China tinha se comprometido a aumentar a importação de produtos americanos.  Assim como na guerra comercial, a disputa com relação à pandemia tem idas e vindas. Ao longo de três meses, o presidente Donald Trump insistiu em culpar a China. Já a imprensa oficial chinesa veiculou teorias de que o vírus teria sido criado pelo Serviço Secreto americano. Houve uma nova trégua, depois de uma conversa telefônica entre os presidentes Trump e Xi Jinping. Há um consenso entre os analistas, no entanto, que essa é uma disputa que veio pra ficar. Seja no comércio, na tecnologia do 5G ou até no surto inesperado de um novo vírus. CNN ...
Leia mais

Coronavírus: cidade chinesa proíbe consumo de carne de cães e gatos

Shenzhen, uma das maiores cidades da China, anunciou nessa quinta-feira (2) que acrescentará o ato de comer cães e gatos na sua proibição de comércio e consumo de animais selvagens, imposta em março como parte da crise causada pelo novo coronavírus. Em seu site, o governo municipal diz que essa é a regulamentação mais rigorosa já imposta em território chinês desde que as autoridades nacionais iniciaram uma campanha contra o consumo de animais. A ideia surgiu por suspeitas de que a pandemia de Covid-19 teve início em um mercado em Wuhan que vendia esse tipo de mercadoria. A lista de animais terrestres permitidos é limitada a porcos, vacas, ovelhas, burros, coelhos, galinhas, patos, gansos, pombos e codornas, além de outras espécies listadas no Diretório Nacional de Recursos Genéticos de Gado e Aves Doméstica", que também inclui búfalos, camelos e cavalos. Comer animais como cobras ou lagartos também é proibido. Contudo, a megalópole do sudeste também permitirá o consumo contínuo de produtos...
Leia mais

Trump anuncia acordo entre russos e sauditas para subir preço do petróleo

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta quinta-feira (2) que Rússia e Arábia Saudita chegaram a um acordo para aumentar o preço do petróleo, reduzindo a oferta entre 10 e 15 milhões de barris, o que desencadeou automaticamente uma reação positiva nos mercados. "Acabo de falar com o meu amigo MBS (iniciais do príncipe herdeiro saudita, Mohamed bin Salman), que falou com o presidente (Vladimir) Putin, e espero que façam um corte de cerca de 10 milhões de barris e talvez algo substancialmente maior, que, se acontecer, será excelente para a indústria de petróleo e gás", disse o republicano no Twitter. Em seguida, Trump especificou que o corte pode ser de até 15 milhões de barris. As declarações do presidente americano fizeram com que os contratos de futuros do petróleo subissem 35%, para US$ 27,39, enquanto o preço do barril de petróleo Brent, a referência na Europa, subiu 47%, para US$ 36,29. Na quarta-feira (31), em entrevista coletiva na...
Leia mais

Universidade Johns Hopkins calcula um milhão de casos de coronavírus no mundo

Uma das mais respeitadas instituições de saúde do mundo, a Universidade Johns Hopkins vem se notabilizando nesta pandemia de coronavírus por suas atualizações em tempo real no número de casos da doença. Nesta quinta-feira (2), o mapa do coronavírus da instituição mostrou que 1.002.159 pessoas já foram infectadas pela COVID-19, divididas em 181 países ou regiões, segundo atualização feita as 16h. Ainda segundo o levantamento, o número de mortes pela doença ultrapassou a marca de 50 mil. A nota positiva é que mais de 200 mil pessoas já estão curadas do coronavírus. O número da universidade é maior do que os aferidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que confirma até o momento 896 mil casos confirmados em 205 países. ...
Leia mais

Cuba: embargo dos EUA impede envio de máscaras e testes de coronavírus

Cuba denunciou na quarta-feira (1) que as restrições do embargo imposto pelos Estados Unidos frustraram a doação de máscaras, ventiladores e testes para detectar o vírus SARS-CoV-2 enviado pelo gigante eletrônico chinês Alibaba à ilha, que já tem seis mortes e 212 casos confirmados de Covid-19. "As coisas são sempre mais difíceis para Cuba. Mesmo em tempos de pandemia, nós cubanos não podemos respirar facilmente", disse o embaixador do país em Pequim, Carlos Miguel Pereira, citado na capa do jornal oficial "Granma", que conta como a empresa de transportes contratada por Alibaba desistiu de chegar aos portos da ilha. Os EUA recusaram no último minuto o pedido de Cuba, impedido de chegar ao país devido ao em embargo econômico, financeiro e comercial que Washington mantém desde 1962, reforçado desde a chegada do presidente Donald Trump à Casa Branca, em 2017. A medida, chamada em Cuba de bloqueio, impões, entre outras restrições, que a ilha utilize o dólar nas transações internacionais, proíbe...
Leia mais

Argentina: pobreza urbana sobe a 35,5% no 2º semestre de 2019

A pobreza na população urbana da Argentina ficou em 35,5% durante o segundo semestre de 2019, 0,1% acima da taxa registrada nos seis primeiros meses do ano passado, segundo informações divulgadas pelo Instituto Nacional de Estatística e Censos (Indec). O instituto disse em relatório que a taxa de indigência foi de 8% na segunda metade do ano, 0,3% acima do que nos seis meses anteriores. Em comparação com o segundo semestre de 2018, a taxa de pobreza aumentou 3,5% entre julho e dezembro do ano passado, e a taxa de indigência aumentou 1,3%. As estatísticas oficiais mostram que no final de dezembro do ano passado 2,4 milhões de famílias estavam abaixo da linha de pobreza, o que representa 9,9 milhões de pessoas. Além disso, 536.466 famílias estão abaixo da linha de indigência, incluindo 2,2 milhões de pessoas. A conta leva em consideração o padrão de vida nos 31 centros urbanos mais populosos do país, que cobrem 28 milhões de pessoas, de um...
Leia mais

China começa a contabilizar casos assintomáticos de covid-19

As autoridades chinesas estão voltadas agora para os pacientes que transportam silenciosamente o novo coronavírus. Nesta quarta-feira (1º) foram identificados 130 novos casos assintomáticos. A proporção de pessoas que contraiu o vírus mas não tem sintomas é ainda desconhecida, mas os especialistas acreditam que esses pacientes também podem transmitir o vírus. O diretor do Centro Norte-Americano para Controle e Prevenção de Doenças acredita que pelo menos um em cada quatro casos de covid-19 é assintomático. A Comissão Nacional de Saúde da China anunciou que vai começar a divulgar o número de casos assintomáticos registrados no país e vai impor uma quarentena de 14 dias a esses pacientes. Foram identificados hoje 130 novos casos assintomáticos. No total, de acordo com as autoridades chinesas, há 1.500 casos assintomáticos que estão sendo isolados e monitorados, sendo 205 procedentes do exterior. Durante o momento mais agudo da infeção, a China considerou que os casos assintomáticos seriam de “baixo risco” e não deveriam ser incluídos na contagem dos casos confirmados. Esses casos foram geralmente...
Leia mais

Bolsas europeias avançam no dia, mas têm pior trimestre em 18 anos

Os mercados acionários da Europa encerraram em alta nesta terça-feira (31), registrando o seu pior trimestre em quase 18 anos após uma brutal liquidação na esteira do surto do coronavírus. O índice pan-europeu STOXX 600 fechou em alta de 1,7% no dia, tendo anteriormente adentrado em território negativo antes de se estabelecer abaixo das máximas intradiárias. Os mercados encontraram sustentação na queda em novos casos na Itália, o país mais atingido da Europa. Já no trimestre, o STOXX 600 perdeu 23%, ou 2,8 trilhões de dólares, com uma grande quantidade das perdas ocorrendo em março, seu pior mês já registrado, com a rápida disseminação do coronavírus e as medidas subsequentes para combater os efeitos sobre a atividade econômica. O surto também resultou em um ambiente de negociação muito mais volátil, com o indicador de volatilidade regional girando em torno dos níveis vistos pela última vez durante a crise financeira de 2008. No entanto, os mercados regionais têm conseguido recuperar algumas de suas...
Leia mais

China tem expansão inesperada na atividade industrial em março

A atividade industrial da China expandiu inesperadamente em março após um colapso no mês anterior, mas analistas alertam que uma recuperação durável no curto prazo está longe de ser garantida já que a crise do coronavírus afeta a demanda externa e ameaça a economia. O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) oficial da China subiu para 52 em março ante a mínima recorde de 35,7 em fevereiro, informou nesta terça-feira a Agência Nacional de Estatísticas, acima da marca de 50 que separa crescimento de contração. Analistas esperavam uma leitura de 45,0 em março. A agência atribuiu a recuperação inesperada no PMI à base de comparação muito baixa em fevereiro e alertou que a leitura não sinaliza uma estabilização da atividade econômica. Essa visão foi ecoada por muitos analistas, que alertam para mais um período de dificuldades para as empresas e a economia da China devido à disseminação do vírus em todo o mundo e às medidas de contenção...
Leia mais
http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e