Mundo

A quem cabe assumir o poder na Bolívia após a renúncia de Evo Morales?

A resposta para o vazio de poder no qual a Bolívia ficou após as renúncias do presidente Evo Morales e das autoridades que poderiam sucedê-lo constitucionalmente está nas mãos da Assembleia Legislativa (o Parlamento do país) e terá que passar por um acordo político. Morales e seu vice-presidente, Álvaro García Linera, anunciaram na tarde de domingo (10) que entregavam seus cargos em um vídeo transmitido pela televisão estatal, sem até o momento apresentarem as respectivas cartas de renúncia. Também anunciaram renúncia os presidentes do Senado, Adriana Salvatierra, e da Câmara dos Deputados, Víctor Borda, ambos governistas, e os seguintes na linha de sucessão. O que aconteceu em 2005 Uma situação similar à de agora aconteceu na Bolívia em 2005, quando o então presidente Carlos Mesa renunciou em meio a graves conflitos sociais. Mesa havia assumido a presidência do país em 2003, após a renúncia de Gonzalo Sánchez de Lozada no chamado "outubro negro", una revolta social contra a decisão governamental de exportar gás...
Leia mais

Espanha: socialistas voltam a ganhar eleições mas perdem força

A Espanha voltou às urnas pela segunda vez este ano e os socialistas do Partido Socialista Obrero Español (PSOE) ganharam as eleições gerais desse domingo (10), mas sem maioria absoluta. O PSOE ganhou com 28% e perdeu três deputados, comparativamente às eleições de abril passado, ficando com 120 deputados. O conservador Partido Popular (PP) elegeu mais 21 deputados e reforçou-se como segunda força política espanhola com quase 21% dos votos, A novidade do pleito foram os 15,9% da legenda Vox que, com 52 deputados (mais 28 do que elegeu em abril), passa a ser a terceira força política. Segue-se o partido Unidas Podemos, que alcançou os 12,84%, embora tenha perdido sete deputados, e o Ciudadanos que, com 6,79%, passou de 57 para 10 deputados, o que levou Albert Rivera, líder da legenda, a apresentar sua demissão. Impasse Sem maioria absoluta e com perda de força parlamentar por parte da esquerda, as últimas eleições voltam a trazer um impasse político na Espanha. Mas Pedro...
Leia mais

Após renúncia de Morales, Bolívia tem vazio de poder

A Bolívia nesta segunda-feira hoje (11) sem governante. No domingo (10), o presidente Evo Morales renunciou ao cargo, após uma onda de protestos que já durava 21 dias. Também renunciaram Álvaro García Linera, vice-presidente do país, Víctor Borda, presidente da Câmara de Deputados, e Adriana Salvatierra, presidente do Senado. A Constituição boliviana estabelece que “em caso de impedimento ou ausência definitiva do presidente, ele será substituído pelo vice-presidente e, na ausência deste, pelo presidente do Senado, e na ausência deste pelo presidente da Câmara dos Deputados. Neste último caso, novas eleições serão convocadas dentro de um período máximo de noventa dias”. De acordo com Salvatierra, que renunciou à Presidência do Senado, “a renúncia da presidência (do Senado) não implica necessariamente sucessão em linha direta pelo vice-presidente, mas que uma sessão deve ser realizada para definir nova presidência para o Senado". Diante da ausência dos chefes das duas câmaras, o vice-presidente do Senado deve convocar uma sessão e encaminhar os próximos passos....
Leia mais

Secretário-geral da ONU alerta sobre riscos de tsunamis

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Antônio Guterres, renovou alerta de que a elevação no nível dos oceanos em decorrência do aquecimento global aumenta os riscos de danos causados por tsunamis. Ele fez a advertência em um comunicado divulgado no Dia Mundial da Conscientização sobre Tsunamis, que foi celebrado na terça-feira (5). A ONU determinou a criação da data em 2015, sob a iniciativa do Japão. Ao invés de referir-se à situação como "mudança climática", Guterres usou o termo "emergência climática" em sua declaração. Segundo ele, estima-se que 680 milhões de pessoas estejam em risco por viverem em áreas costeiras de baixa elevação e que o número pode passar de 1 bilhão até 2050. Guterres disse ainda que, nos 15 anos desde o tsunami ocorrido no Oceano Índico em 2004, um grande progresso foi feito para aprimorar os sistemas de alerta preventivo no Oceano Índico, no Caribe e outras regiões, o que possibilitou que diversas vidas fossem salvas. No entanto, ele...
Leia mais

Alterações climáticas: 11 mil cientistas alertam para “sofrimento incalculável”

Para marcar os 40 anos da primeira conferência mundial sobre o clima, realizada em Genebra em 1979, mais de 11 mil cientistas de 153 países alertaram para o "sofrimento incalculável" que as alterações climáticas irão provocar, a menos que haja grandes transformações na sociedade. “Declaramos clara e inequivocamente que o planeta enfrenta uma emergência climática”, dizem os cientistas na revista BioScience, em artigo publicado nessa terça-feira (5). “Para garantir um futuro sustentável, precisamos mudar a forma como vivemos”. “Isso implica grandes transformações no modo como a sociedade global funciona e interage com os ecossistemas naturais”, acrescentam os cientistas, alertando ainda que não há tempo a perder. “A crise climática já chegou e avança mais rápido do que a maioria dos cientistas esperava. É mais grave do que se pensava e ameaça ecossistemas naturais e o destino da humanidade”. As medidas sugeridas pelos especialistas passam por deter o crescimento populacional – atualmente há mais 200 mil pessoas no mundo a cada dia -, reduzir...
Leia mais

Coreia do Sul: um gigante cultural no mundo

O Brasil foi o primeiro país da América Latina e o oitavo do mundo a estabelecer relações com a Coreia do Sul, no momento em que o país asiático se encontrava em grande dificuldade econômica. Os dois países estão celebrando 60 anos de relações diplomáticas em um cenário bilateral de muitas oportunidades. A Coreia é hoje uma das mais prósperas nações do mundo em razão do desenvolvimento tecnológico e da presença de suas empresas ao redor do mundo. O momento atual é ideal para que Brasil e Coreia do Sul elevem o patamar de suas relações, tendo em vista a complementariedade econômica e o dinamismo cultural das duas nações. Para completar, existe a expectativa entre os governos dos dois países de que a Coreia do Sul assine um acordo comercial com o Mercosul em meados de 2020, o que favorece ainda mais a percepção de um fortalecimento das relações entre as duas nações. Pelo lado econômico, há décadas as empresas coreanas...
Leia mais

Revolta contra a Igreja Universal gera morte e crise diplomática em país africano

A cúpula da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) tenta conter uma revolta popular que provocou a depredação de vários templos da igreja e a morte de um adolescente em São Tomé e Príncipe, um dos 23 países africanos onde a denominação brasileira está presente. A crise — que envolveu chefes de Estado africanos, mobilizou congressistas brasileiros e o Itamaraty — pode resultar na expulsão da Iurd de São Tomé e Príncipe, uma ex-colônia portuguesa insular com cerca de 200 mil habitantes no oeste da África. O imbróglio teve início em 11 de setembro, quando um pastor são-tomense da Universal foi preso na Costa do Marfim, acusado de ser o autor de mensagens que denunciariam supostos abusos da igreja contra funcionários africanos. Segundo a Iurd, que havia denunciado as mensagens à polícia marfinense, os textos continham "mentiras absurdas e calúnias" sobre a igreja, divulgados por aplicativos de conversas e por um perfil falso no Facebook. O são-tomense preso, Iudumilo da Costa...
Leia mais

Líder supremo do Irã descarta diálogo com o governo americano

O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, descartou mais uma vez a possibilidade de diálogo com os Estados Unidos (EUA) na data que marca a invasão da embaixada americana no país há 40 anos. No dia 4 de novembro de 1979, pouco depois da queda do xá do Irã, no regime apoiado pelos EUA, estudantes ocuparam a embaixada americana em Teerã, exigindo a entrega do líder deposto. A crise durou 444 dias, e o governo americano cortou as relações diplomáticas com o país. O líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, celebrou a data em pronunciamento para estudantes nesse domingo (3). Ele acusou o governo americano de não haver mudado nos últimos 40 anos, prosseguindo com "o mesmo comportamento cruel e agressivo". Khamenei refutou a possibilidade de qualquer diálogo com os Estados Unidos, afirmando que "aqueles que acreditam que negociações com o inimigo resolverão nosso problema estão 100% enganados". Acfrescentou que "uma forma de bloquear a infiltração da América dá-se por meio...
Leia mais

BID une esforços para encarar futuro “complexo” da economia da América Latina

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) reuniu nessa quinta-feira (31) os principais especialistas das Américas em identidade digital e inclusão econômica para debater os desafios enfrentados pela economia do continente, que está entre os que têm as piores perspectivas de crescimento, de acordo com as últimas previsões globais. O complexo cenário foi analisado nesta quinta-feira no Foromic, o principal evento sobre inovação para a inclusão da América Latina e do Caribe e que é realizado até sexta-feira (1) em Punta Cana (República Dominicana) com o objetivo de discutir amplamente e encontrar soluções em três eixos importantes do futuro da região: novas finanças, negócios em transformação e melhores vidas. "Estamos, no Foromic, focados no grande desafio da inclusão, já que não podemos deixar de reconhecer que nossa região está passando por um momento muito complexo", disse o presidente do BID, Luis Alberto Moreno, na sessão inaugural da edição 2019 do evento. Moreno disse que é importante encontrar soluções que "melhorem a vida...
Leia mais

Twitter vai passar a proibir todos os tipos de propaganda política

O microblog Twitter anunciou que vai passar a proibir todos os tipos de propaganda política em todo o mundo a partir de novembro. A decisão foi tuitada pelo diretor Jack Dorsey. Ele disse que a proibição de todos os tipos de propaganda política paga passará a valer do dia 22 de novembro em diante, mas algumas exceções, como, por exemplo, anúncios em apoio ao recenseamento eleitoral, ainda serão permitidas. O Twitter adotou a medida em meio às crescentes críticas de que anúncios pagos em redes sociais provocam campanhas de difamação e que muitos deles contêm equívocos ou informações falsas. A medida contrasta com o Facebook, que afirmou que não vai proibir propagandas políticas e nem vai verificar o conteúdo de anúncios de políticos. ...
Leia mais
http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e