Meio Ambiente

Mata Atlântica é o bioma com maior captação de água do país

A Mata Atlântica, que em 2010 representava 42% da retirada de água do país, passou a 39% em 2017. Este bioma concentra grande parte da população brasileira e, mesmo com a redução, apresenta a maior captação de água do país, com destaque para o abastecimento urbano. Os dados constam do estudo Contas de Ecossistemas: Condição dos Corpos Hídricos, divulgado hoje (15), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Tanto em 2010 quanto em 2017, a segunda maior captação foi observada no Cerrado, que passou de 20% da retirada de água do país para 23%. O Cerrado apresentou a maior taxa de crescimento de retirada de água, que se deu principalmente para a irrigação e expansão agrícola. Em terceiro lugar, vem o Pampa, que manteve a taxa de 17% de captação de água em 2010 e 2017. Este bioma, por sua vez, tem grande participação na agricultura irrigada no país, com destaque para o cultivo de arroz. A...
Leia mais

Amazônia perdeu 2,3 milhões de hectares em 2020, 65% deles no Brasil

A Amazônia Internacional perdeu 2,3 milhões de hectares em 2020, 65% no Brasil, país com a maior parte da floresta e também responsável pela maior área devastada, informou nesta terça-feira o Projeto de Monitoramento da Amazônia Andina (MAAP). Segundo o MAAP, a área desmatada durante 2020 em Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana Francesa, Guiana, Peru, Suriname e Venezuela é 17% maior que a relatada no ano anterior e equivalente à área do estado de Sergipe. Este foi o terceiro pior registro dos últimos 20 anos. EFE ...
Leia mais

70% dos resíduos do mar brasileiro são plástico, mostra estudo

Pesquisa da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe) mostra que o plástico é responsável por 70% dos resíduos encontrados nos mares brasileiros. Segundo o estudo, realizado durante 2020, o isopor é o segundo resíduo mais presente, com participação de 10%. Os dados, divulgados hoje (25), são do projeto Lixo Fora D’Água, da Abrelpe, iniciado em 2018. De acordo com o levantamento, os resíduos coletados nas orlas das praias têm cerca de 10% de sua origem in loco, ou seja, nas próprias praias e o restante (90%), são provenientes de outras áreas urbanas.  “Constatamos que os resíduos no mar são predominantemente itens de consumo domiciliar. E os fragmentos de plástico e isopor deteriorados, por exemplo, indicam origem distante da praia”, destaca o diretor presidente da Abrelpe, Carlos Silva Filho. Segundo a pesquisa, em 2020 houve uma queda drástica da presença no mar de itens como bitucas de cigarro, canudos e copos descartáveis. Em contrapartida, itens como tampinhas e...
Leia mais

Desmatamento na Amazônia tem queda de 70% em janeiro, diz governo

O mês de janeiro apresentou a menor área de alertas de desmatamento na Amazônia Legal dos últimos quatro anos, com uma redução de 70% em relação a janeiro de 2020. A informação foi divulgada hoje (12), em Brasília, pelo Ministério da Defesa, com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Segundo a pasta, nos últimos seis meses, os avisos de desmatamento tiveram redução de 21%. “Entre agosto de 2020 e janeiro de 2021 foram 988 km² [quilômetros quadrados] de redução em alertas, de acordo com dados do Inpe. A título comparativo, trata-se de uma área superior à área urbana da cidade de São Paulo - maior centro urbano do país com aproximadamente 950 km²”, informou o Ministério da Defesa. A pasta acrescentou que esses dados demonstram “o bom desempenho” do trabalho integrado coordenado pelo Conselho Nacional da Amazônia Legal na região, principalmente por meio da Operação Verde Brasil 2.  Do início da operação, em maio de 2020, até janeiro deste ano,...
Leia mais

Brasil propõe corte no orçamento de 2021 para proteção ambiental à medida que o desmatamento aumenta

O governo do Brasil, sob o presidente Jair Bolsonaro, está propondo o menor orçamento para proteção ambiental em pelo menos 13 anos, apesar da destruição crescente da floresta amazônica do país, de acordo com dados da organização sem fins lucrativos Contas Abertas. O desmatamento na porção brasileira da maior floresta tropical do mundo atingiu um pico de 12 anos em 2020, de acordo com dados do governo. Desde que assumiu o cargo em 2019, Bolsonaro drenou fundos de agências ambientais e nomeou funcionários que promovem táticas mais suaves contra a extração ilegal de madeira e outros crimes. A eleição do presidente dos EUA, Joe Biden, pode aumentar a pressão sobre o Brasil por causa de seu histórico ambiental. Biden disse durante sua campanha que o mundo deveria oferecer dinheiro ao Brasil para preservar a Amazônia e ameaçou consequências econômicas não especificadas se não o fizesse. “Há muita pressão sobre o Brasil por causa do tratamento que dá ao meio ambiente”,...
Leia mais

Geleira boliviana Tuni está desaparecendo, dizem cientistas

A geleira Tuni, na Bolívia, está desaparecendo mais rápido do que o inicialmente previsto, de acordo com cientistas da nação andina, uma situação que provavelmente agravará a escassez de água que já atinge a capital La Paz, a apenas 60 quilômetros (km) de distância. Cientistas da Universidad Mayor de San Andrés (UMSA), que monitoram Tuni e outras geleiras regionais, disseram à Reuters que a geleira, antes extensa, foi reduzida a apenas 1 km².  Se antes previam que duraria até 2025, agora dizem que seu desaparecimento é iminente. “Todo esse setor já foi coberto de gelo”, disse o glaciologista Edson Ramírez. Em grande parte do antigo caminho da geleira, agora há apenas restos de rocha, expostos pela primeira vez em séculos. Embora a geleira esteja recuando desde a Pequena Era Glacial, quando enormes campos de gelo cobriam muitas montanhas andinas, a rápida mudança do clima acelerou o processo, de acordo com cientistas bolivianos. Chuvas torrenciais e secas se tornaram mais comuns e a neve nas montanhas menos estável,...
Leia mais

Ser humano já consome plástico até na cerveja

Não há como escapar. Está no ar, no açúcar, no sal, na água de torneira, na cerveja gelada. A presença de micropartículas de plásticos já faz parte do cotidiano de qualquer cidadão do mundo. Estima-se que, ao longo de um ano, cada pessoa tenha ingerido algo entre 74 e 121 mil partículas desse material. Em agosto do ano passado, a Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou o relatório Microplastics in drinking-water (Microplásticos na água potável), no qual analisa mais de 50 estudos sobre a presença de partículas e fibras plásticas em águas naturais, potáveis e de esgoto. O objetivo do relatório era avaliar os riscos à saúde. Por enquanto, não há consenso sobre como esse material tem afetado a vida humana. Partículas acima de 150 micrômetros são facilmente excretadas pelo organismo e, assim, não representariam grande risco à saúde. O que se sabe é que temos ingerido essas micropartículas por meio de ingestão e inalação. E comer plástico não parece...
Leia mais

Líderes europeus chegam a acordo sobre meta climática mais rígida

Os líderes europeus, reunidos em Bruxelas, chegaram a um acordo para reduzir as emissões de dióxido de carbono (CO²) em 55% até 2030, em relação aos níveis de 1990. O acordo foi anunciado pelo presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, depois de um longo debate que se prolongou durante a madrugada. "A Europa é líder na luta contra as alterações climáticas. Decidimos reduzir as nossas emissões de gases de efeito de estufa pelo menos 55% até 2030", escreveu Michel em sua conta no Twitter. A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, afirmou que o acordo agora alcançado permite colocar a Europa “no caminho claro para a neutralidade climática em 2050”. A nova meta visa a colocar a União Europeia (UE) no caminho certo para alcançar emissões zero até 2050, prazo que os cientistas defendem que o mundo deve cumprir para evitar os impactos mais catastróficos nas mudanças climáticas. Para Bruxelas, o acordo oferece a possibilidade de a Europa afirmar a sua liderança climática...
Leia mais

Ano de 2020 será um dos três mais quentes em um século e meio, alerta OMM

O ano de 2020 será um dos três mais quentes em mais de um século e meio, de acordo com a medição científica das temperaturas, segundo alertou nesta quarta-feira a Organização Meteorológica Mundial (OMM), que também citou um aumento sem precedentes no degelo do Ártico. A temperatura média global, de acordo com os cálculos da agência, será até 1,2º Celsius mais alta neste ano, que os níveis pré-industriais (1850-1900), um valor semelhante ao de 2019 e só superado por 2016, o ano mais quente da história, quando o fenômeno El Niño contribuiu para a alta. Os dados confirmam, além disso, que a década de 2011 a 2020 é a mais quente que se tem registro na história. O panorama é detalhado em informe preliminar da OMM, sobre as condições climáticas deste ano. As conclusões definitivas serão divulgadas em março, quando será confirmado se 2020 é o segundo ou o terceiro ano mais quente da história, já que está quase empatado com...
Leia mais

Microplásticos: sociedade fica prejudicada com pedido de segredo de justiça

Nem mesmo teve a primeira audiência de conciliação da ACP que foi ingressada pelo Instituto de Desenvolvimento Sustentável de Comunidades Humanizar-IDESC, marcada para essa quarta-feira (18) e adiada para 03 de fevereiro de 2021 contra as empresas Altacoppo, Arcos Dorados (Mc Donalds), Casas Bahia (Via Varejo), Copobras, Eco Ventures (GoGreen P-Life), Lojas Americanas, Plaslix, Res Brasil (D2W), Strawplast, Supricorp (Gimb) e World Post e também a AGU-Advocacia Geral da União. O pedido de adiamento feito pelas Casas Bahia, teve como argumento não ter sido intimada no prazo que a lei determina, a ré Eco Ventures já está pedindo ao juiz acatar seu pedido de correr o processo dessa ACP-Ação Civil Pública, em segredo de justiça. Os argumentos colocados no pedido não são convincentes para essa situação jurídica de segredo de justiça. Fica a pergunta: o que estão querendo esconder? Outra questão a se considerar no mesmo pedido feito pela importadora e distribuidora do aditivo poluidor oxidegradável GoGreen P-Life, a...
Leia mais
http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e