Inovações

Nasa lança satélite Icon para estudar fronteira com o espaço

A agência espacial norte-americana( Nasa) lançou um satélite na noite dessa quinta-feira (10) para explorar a misteriosa região dinâmica onde o ar encontra o espaço, a ionosfera. O satélite, chamado de Icon - Ionospheric Connection Explorer - foi lançado, após um atraso de dois anos, por um avião que sobrevoava o Atlântico na costa da Flórida. O Icon vai estudar o brilho aéreo formado a partir de gases na ionosfera e também medirá o ambiente carregado em torno do satélite, a 580 quilômetros de altura. Há muita atividade que necessita ser estudada na ionosfera, uma das camadas da atmosfera terrestre, "a fronteira com o espaço", disse o diretor da Divisão de Heliofísica da Nasaa, Nicola Fox. O Icon "é um laboratório de física notável", afirmou o cientista Thomas Immel, da Universidade da Califórnia em Berkeley, que supervisiona a missão. Um satélite da Nasa lançado no ano passado, o Gold, também estuda a atmosfera superior, mas a partir de um patamar mais elevado. Estão previstas...
Leia mais

Descoberto protoaglomerado de galáxias mais distante do universo

O Observatório Nacional (ON) participou de uma equipe internacional que descobriu o protoaglomerado de galáxias mais distante da Terra já encontrado no universo, a 13 bilhões de anos-luz. A descoberta foi anunciada nesta sexta-feira (27), às 3h da manhã (horário de Brasília), no Japão, país que liderou a pesquisa. Para se ter uma ideia do quão distante está o protoaglomerado basta lembrar que a luz percorre cerca de 300 quilômetros a cada segundo, e que um ano-luz é a distância que ela atravessa em um ano, que equivale a mais de 9 trilhões de quilômetros. Imagem do protoaglomerado z66OD - NAOJ/Harikane et al A equipe internacional foi chefiada pelo Observatório Astronômico Nacional do Japão e contou com parceiros nos Estados Unidos, Taiwan, Reino Unido, China, Canadá, Coreia do Sul e Dinamarca, além do Brasil. A pesquisa será publicada oficialmente no The Astrophysical Journal, em 30 de setembro. O astrônomo Roderik Overzier, do Observatório Nacional, e Murilo Marinello, que na época cursava...
Leia mais

Comer ovo faz bem ou faz mal à saúde? Confira o que diz a Ciência

Os ovos têm vários atributos a seu favor: estão amplamente disponíveis, são acessíveis, fáceis de cozinhar e cheios de proteínas. "O ovo 'é feito' para ser algo com todos os componentes certos para o crescimento de um organismo, portanto, obviamente, ele é rico em nutrientes", diz Christopher Blesso, professor associado de ciência nutricional da Universidade de Connecticut, nos EUA. Comer ovos junto com outros alimentos também pode ajudar nosso corpo a absorver mais vitaminas. Por exemplo, um estudo descobriu que adicionar um ovo à salada pode aumentar a quantidade de vitamina E que nosso organismo incorpora. Mas outra característica do ovo o tem colocado algumas vezes na categoria de "vilão" da saúde: o seu alto teor de colesterol, que costuma ser associado a um risco aumentado de doenças cardíacas. Uma gema de ovo contém cerca de 185 miligramas de colesterol, que é mais da metade da quantidade diária de 300 mg de colesterol recomendada por órgãos americanos até recentemente. Isso significa que os ovos,...
Leia mais

Água anima cientistas sobre possibilidade de vida em planeta a 111 anos-luz da Terra

Astrônomos encontraram água, pela primeira vez, na atmosfera de um planeta que orbita a "zona habitável" de uma estrela distante. A descoberta faz do planeta - chamado K2-18b - um candidato plausível na busca por vida extraterrestre. Dentro de 10 anos, novos telescópios espaciais serão capazes determinar se a atmosfera do K2-18b contém gases que podem ser produzidos por organismos vivos. Os detalhes foram publicados na revista científica Nature Astronomy. A cientista Giovanna Tinetti, da University College London (UCL), descreveu a descoberta como "surpreendente". "Esta é a primeira vez que detectamos água em um planeta na zona habitável ao redor de uma estrela onde a temperatura é potencialmente compatível com a presença de vida", disse ela. A zona habitável é a região ao redor de uma estrela onde as temperaturas são suficientemente favoráveis para que a água exista na forma líquida na superfície de um planeta. O K2-18b está a 111 anos-luz de distância, longe demais para o envio de uma sonda - para efeito...
Leia mais

Transplante de fluido vaginal pode beneficiar mulheres

Médicos americanos esperam começar a oferecer transplante de fluidos vaginais — e já começaram um programa para encontrar doadores em potencial. Eles dizem acreditar que algumas mulheres podem se beneficiar de uma dose saudável de micróbios vaginais para se proteger contra uma infecção chamada vaginose bacteriana (VB). A equipe da Universidade Johns Hopkins diz que foi inspirada no sucesso de transplantes fecais. Embora a vaginosa bacteriana possa ser tratada com antibióticos, muitas vezes ela volta. Vaginose bacteriana não é uma doença sexualmente transmissível. É comum, e mulheres podem notá-la se tiverem um aumento do corrimento vaginal na maior parte dos casos com odor semelhante a peixe. A condição não é séria, mas deve ser tratada porque ter VB pode deixar as mulheres mais vulneráveis a infecções sexualmente transmissíveis e infecções urinárias. Se a mulher está grávida, aumenta o risco de ter o bebê prematuramente. Por que doar fluido vaginal ajuda? VB pode ocorrer quando há uma mudança no equilíbrio natural de bactérias na vagina. A vagina, como o...
Leia mais

Laboratório da UFRJ produz pele humana para pesquisas

O campus do Fundão da UFRJ, Universidade Federal do Rio de Janeiro, ganhou o primeiro laboratório do país de bioengenharia de tecidos que vai disponibilizar pele reconstruída para testes em produtos. O material produzido pela unidade será utilizado em substituição ao uso de animais como cobaias em testes de produtos. O processo começa com a doação de restos de cirurgias plásticas para o laboratório. Daí se extraem os chamados queratinócitos. Essas células são cultivadas em placas de cultura e, depois de 17 dias em contato com o ar, se proliferam, formando múltiplas camadas de pele. O laboratório, situado no campus da UFRJ, será gerido pela Episkin, uma subsidiária da L’Oréal. Sua inauguração constitui antecipação do prazo do dia 24 de setembro dado pelo CONCEA, Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal, para o fim do uso de animais em testes de segurança sempre que haja uma alternativa validada. Em três anos de atividade da Episkin no Brasil, mais de 5 mil tecidos...
Leia mais

Oxigênio em excesso matou seres vivos na Terra, mostram estudos

Novos estudos indicam que há 2 bilhões de anos um fenômeno de criação de oxigênio em excesso destruiu quase 100% dos organismos vivos na Terra. Os responsáveis foram os micro-organismos, os únicos seres existentes à época. “Grande momento de oxidação”  foi o nome dado a essa fase, considerada a maior catástrofe da biosfera na Terra. Segundo Malcolm Hodgskiss, do Departamento de Geologia da Universidade de Standford, um dos autores do estudo, a investigação começou quando, nas ilhas Belcher, no Canadá, foi recolhida uma amostra de “barite”, um mineral com mais de 2 bilhões de anos. Amostras como essa têm traços químicos e formações inscritas que permitem descobrir e entender o passado, ainda que ele se refira a momentos muito anteriores à primeira existência do homem na Terra. De acordo com os investigadores, a alteração drástica da atmosfera teve origem na fotossíntese excessiva dos micro-organismos, o que levou a um boom de oxigênio a que nem esses micro-organismos conseguiram subsistir. O fenômeno já era conhecido. A...
Leia mais

Crânio descoberto na Etiópia pode mudar o que sabemos sobre evolução humana

Pesquisadores descobriram um crânio quase completo de um ancestral do homem que viveu há 3,8 milhões de anos na Etiópia. A descoberta, publicada na revista científica Nature, desafia a ideia que temos sobre evolução humana. E pode nos fazer repensar a tese de que os humanos vieram de uma espécie em particular de primata, a que pertence Lucy - cujos restos mortais foram encontrados em 1974. O crânio foi encontrado pelo professor Yohannes Haile-Selassie em um local chamado Miro Dora, na região de Afar, na Etiópia. O cientista, ligado ao Museu de História Natural de Cleveland em Ohio, nos EUA, afirmou que reconheceu imediatamente o significado do fóssil. "Pensei comigo mesmo: 'Meu Deus, estou vendo o que acho que estou vendo?'. E, de repente, estava pulando de um lado para o outro, foi quando percebi que era o que tinha sonhado", contou. Segundo Haile-Selassie, trata-se do melhor exemplar encontrado até agora de um ancestral do homem, semelhante a um primata, chamado Australopithecus anamensis - o...
Leia mais

Escassez: Areia, gás hélio e outros 4 recursos naturais estão acabando

Cada vez mais, estamos nos dando conta da escassez dos recursos naturais. Você provavelmente já ouviu falar sobre a crescente escassez de água, do petróleo e de abelhas, mas há mais recursos que estão acabando e cujo desaparecimento pode modificar vários aspectos de nossas vidas. Aqui estão seis deles que talvez você não saiba que caminham para um esgotamento. 1. Espaço em órbita Desde 2019, há cerca de 500 mil objetos em órbita ao redor da Terra. Apenas cerca de 2 mil deles são realmente funcionais, satélites que usamos diariamente para comunicações, GPS e para assistir a nossos programas favoritos. Os demais são restos de lançamentos de foguetes e colisões passadas de objetos em órbita. O problema é que essa cifra de 500 mil cobre só os objetos que estão sendo ativamente rastreados. E, na medida em que a tecnologia melhora, fica mais fácil introduzir algo em órbita. Não há controle de tráfego aéreo para todos esses objetos que voam sobre o planeta, e ainda não há...
Leia mais

Os chips que irão revolucionar a pesquisa médica e diminuir uso de animais de laboratório

Quando Ken-Ichiro Kamei, engenheiro da Universidade de Kyoto, sai para beber com seus amigos, ele geralmente leva consigo um de seus "corpos em um chip". Quando o tema do trabalho inevitavelmente surge, ele pega o chip – que se parece a uma lâmina de laboratório, com minúsculos canais cobertos por uma camada de silicone - e declara: "Faço estes dispositivos para recriar humanos e animais". Reações de surpresa inevitavelmente surgem. "É como se eu fosse um mágico e meus amigos me pedissem para fazer truques", Kamei ri. Kamei está na vanguarda de um novo campo da biotecnologia que busca replicar órgãos, sistemas e corpos em formato de chips. Enquanto experimentos bioquímicos realizados em placas tradicionais são estáticos e isolados, os chips usados por Kamei têm um sistema de canais, válvulas e bombas que permitem interações mais complexas - a ponto de poderem imitar a fisiologia de um sistema vivo. Reconhecendo o potencial que tais chips têm de revolucionar a pesquisa médica,...
Leia mais