Inovações

Buraco na camada de ozônio no Polo Sul supera o da Antártica

O buraco no ozônio que se forma a cada ano no Polo Sul agora é maior que o registrado na Antártica, segundo cientistas do Serviço de Monitoramento da Atmosfera Copernicus, da União Europeia, divulgaram nesta quinta-feira (16). O ozônio se esgota e forma um buraco sobre a Antártica na primavera do Hemisfério Sul, que vai de agosto a outubro. Normalmente atinge seu maior tamanho entre meados de setembro e meados de outubro, de acordo com o Copernicus. Depois de crescer “consideravelmente” na semana passada, o buraco agora é maior que 75% dos buracos na camada de ozônio dos anos anteriores, no mesmo estágio desde 1979, se tornando superior ao do continente vizinho. “Este ano, o buraco na camada de ozônio se desenvolveu conforme o esperado no início da temporada”, disse Vincent-Henri Peuch, diretor da Copernicus, em nota. “Agora nossas previsões mostram que o buraco deste ano evoluiu um pouco maior do que o normal”, continuou Peuch. O buraco do ano passado começou a ser aberto...
Leia mais

Cientistas irão ressuscitar mamute extinto há 4 mil anos

Trazer criaturas extintas de volta à vida é quase que a força vital na ficção científica. Em sua forma mais perigosa, pense em Jurassic Park e seu estábulo de dinossauros. Os avanços na genética, no entanto, estão tornando a ressurreição de animais perdidos uma possibilidade real. Os cientistas já clonaram animais em extinção, por exemplo, e podem sequenciar DNA extraído de ossos e carcaças de animais daqueles que deixaram de existir há muito tempo. Agora, os geneticistas — nome daqueles que se dedicam à genética — liderados pela George Church da Harvard Medical School, pretendem trazer o mamute peludo, que desapareceu há 4.000 anos, de volta à vida. Os esforços receberam um grande impulso nesta segunda-feira (13) com o anúncio de um investimento de US$ 15 milhões. Com o aporte, os cientistas imaginam um futuro onde o gigante da era do gelo com presas será restaurado ao seu habitat. Híbrido de elefante-mamute Os defensores dizem que trazer de volta o mamute em uma forma...
Leia mais

Conheça a Eve, a marca de ‘carros voadores’ da Embraer

A era dos “carros voadores” está perto de começar, e a Embraer é um dos nomes que pode ajudar a escrever essa história. Ou melhor, a Eve Urban Air Mobility é quem vai assumir essa nova frente de trabalho nos negócios da fabricante aeronáutica brasileira. A Eve é o empreendimento mais recente da Embraer. A subsidiária foi lançada em outubro de 2020 pela EmbraerX, divisão da fabricante brasileira focada em projetos de “inovação disruptiva”, como ela mesma se define. O objetivo da nova empresa é acelerar a criação de soluções para tornar o mercado de Mobilidade Aérea Urbana (UAM) uma realidade. Isto quer dizer que a Eve vai participar do desenvolvimento de todas as etapas necessárias para habilitar o mercado UAM. É uma atuação que compreende criação de bases de serviços e redes de suporte, pontos de embarque e desembarque de passageiros em centros urbanos, adaptações nos regulamentos de tráfego aéreo e, claro, a produção dos eVTOLs (sigla em inglês para veículos elétricos de pouso e decolagem...
Leia mais

Pesquisadores identificam sinal de rádio emitido a partir do centro da galáxia

Pesquisadores identificaram a emissão regular e altamente polarizada de um sinal de rádio a partir do centro da galáxia. Ela foi vista por seis vezes entre janeiro e setembro de 2020. O estudo foi publicado na revista The Astrophysical Journal. A transmissão do sinal foi de 888 MHz com um grau de polarização é de 25%, considerada alta. A detecção foi realizada a partir do telescópio Pathfinder, localizado no Observatório de Radioastronomia de Murchison, no oeste da Austrália. O estudo foi continuado entre novembro de 2020 e fevereiro de 2021, com o telescópio MeerKAT, localizado na África do Sul, com um intervalo de 4 a 6 semanas. Entretanto, não foi mais identificado o sinal. A fonte de detecção na galáxia chegou a um pico de densidade de fluxo de 5,6 mJy (equivalente a aproximadamente 50 MHz) no período. Ela ainda estava altamente polarizada circularmente e com 80% de polarização linear. Mas desapareceu rapidamente dentro de um dia. “Nós discutimos possíveis identificações incluindo uma estrela de baixa massa ou...
Leia mais

DNA de 7 mil anos de adolescente revela um grupo de humanos até então desconhecido

Os ossos de uma adolescente caçadora-coletora que morreu há mais de 7.000 anos na ilha indonésia de Sulawesi contam a história de um grupo de humanos até então desconhecido. Esta linhagem humana distinta nunca foi encontrada em nenhum outro lugar do mundo, de acordo com novas pesquisas. O estudo foi publicado quarta-feira (25) na revista Nature. “Nós descobrimos o primeiro DNA humano antigo na região da ilha entre a Ásia e a Austrália, conhecida como ‘Wallacea’, fornecendo uma nova visão sobre a diversidade genética e a história da população dos primeiros humanos modernos nesta parte pouco conhecida do mundo”, disse o co-autor do estudo Adam Brumm, professor de arqueologia no Centro de Pesquisa Australiano para Evolução Humana da Griffith University, por e-mail. Os primeiros humanos modernos usaram as ilhas Wallacea, principalmente as ilhas indonésias que incluem Sulawesi, Lombok e Flores, quando cruzaram da Eurásia para o continente australiano há mais de 50.000 anos, acreditam os pesquisadores. Ainda não se sabe a rota exata...
Leia mais

‘Lua Azul’: fenômeno raro que está prevista para aparecer neste sábado

Este fim de semana você terá a chance de ver a rara Lua Azul antes que ela se torne “apenas uma lembrança” até 2024. A Lua Azul é a terceira lua cheia em uma temporada de quatro luas cheias, ao invés de três usuais, de acordo com a revista Sky & Telescope. O fenômeno já inspirou música, arte e linguagem – como canções de sucesso “When My Blue Moon Turns to Gold Again” e “Blue Moon”, gravadas por vários artistas, incluindo Elvis Presley. A Nasa relatou a primeiro uso registrado do termo “Blue Moon” (“Lua Azul”) na língua inglesa em 1528, enquanto a Sky & Telescope rastreou a origem do termo no Maine Farmers ‘Almanac publicado na década de 1930. “A introdução da Lua Azul significou que os nomes tradicionais de Lua cheia, como Lua do Lobo e Lua da Colheita, permaneceram em (sincronia) com sua temporada”, disse Diana Hannikainen, editora observadora da Sky & Telescope, em um comunicado à imprensa. Isso...
Leia mais

As superbactérias potencialmente fatais que podem ser transmitidas de cachorros para os donos

Um grupo de pesquisadores em Portugal identificou em cachorros a presença de um gene que oferece às bactérias resistência contra a colistina, um antibiótico geralmente usado como último recurso no caso de ineficácia de medicamentos. O estudo sobre a descoberta foi apresentado pela microbiologista Juliana Menezes, da Universidade de Lisboa, na edição deste ano do Congresso Europeu de Microbiologia Clínica e Doenças Infecciosas. O trabalho ainda não foi revisado por outros cientistas. Menezes e sua equipe analisaram amostras de 102 cães e gatos e de 80 pessoas na capital portuguesa entre fevereiro de 2018 e fevereiro de 2020. Do total, 12 amostras apresentaram resistência à colistina (também conhecida como polimixina). Em dois casos, o gene MCR-1 foi identificado tanto nos donos quanto nos animais domésticos, que apresentavam lesões na pele ligadas à bactéria Escherichia coli (E. Coli, bactérias que residem normalmente no intestino de pessoas saudáveis, mas que podem causar ocasionalmente infecção no trato digestivo, no trato urinário ou em muitas outras partes...
Leia mais

Astronautas chineses começam a fazer da nova estação espacial seu lar

Três astronautas chineses começaram hoje (18) a fazer da nova estação espacial da China o seu lar, depois de terem chegado nessa quinta-feira (17), em um lançamento bem-sucedido, que marcou novo avanço no ambicioso programa espacial do país. A nave Shenzhou-12 atracou à estação espacial da China cerca de seis horas depois de partir do centro de lançamentos de Jiuquan, na orla do deserto de Gobi, no noroeste da China. Cerca de três horas depois, o comandante Nie Haisheng, seguido por Liu Boming e o estreante Tang Hongbo, abriram as escotilhas e flutuaram para o módulo residencial da estação Tianhe-1. As fotos divulgadas pela China mostram os astronautas a desempacotar equipamento e a saudar o público na Terra. "Trata-se da primeira vez que os chineses entram na sua própria estação espacial", disse a emissora estatal CCTV, à noite. Com a operação de ontem, a China aumentou para 14 o número de astronautas que lançou para o espaço, desde a primeira vez em 2003, tornando-se o terceiro país...
Leia mais

China envia esta semana primeiros astronautas para sua nova estação

A China planeia enviar nesta quinta-feira (17) os três primeiros membros de uma tripulação para a nova estação espacial construída pelo país, informou hoje (16) a agência espacial chinesa. Dois dos astronautas participaram de missões anteriores, enquanto o terceiro vai para o espaço pela primeira vez, disse aos jornalistas o diretor assistente da Agência Espacial Tripulada da China, Ji Qiming, no Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan, no noroeste do país. A seção principal da estação Tianhe, ou Harmonia Celestial, foi lançada em órbita em 29 de abril. Os três homens que vão partir para a estação espacial planejam permanecer por um período de três meses, para realizarem caminhadas no espaço, trabalho de manutenção e experiências científicas. Os astronautas vão viajar na nave Shenzhou-12, lançada pelo foguete Longa Marcha-2F Y12. Trata-se da terceira de 11 missões previstas até o final do próximo ano pela China, para construir e manter a estação espacial e enviar tripulantes e suprimentos. Mais dois módulos da estação devem ser lançados...
Leia mais

Sibéria: ser que voltou à vida após 24 mil anos congelado

Um organismo multicelular microscópico voltou à vida depois de ter ficado congelado por 24 mil anos na Sibéria. É o que aponta uma pesquisa em que cientistas desenterraram o animal conhecido como rotífero bdeloide no rio Alayeza, no Ártico russo. Depois de descongelado, ele foi capaz de se reproduzir assexuadamente, mesmo após passar milênios em um estado de latência conhecido como criptobiose Pesquisas anteriores já tinham apontado que eles poderiam sobreviver congelados por até dez anos. O novo estudo, publicado nesta semana na revista Current Biology, sugere que eles podem sobreviver milhares de anos ou até indefinidamente. "A conclusão é que um organismo multicelular pode ser congelado e armazenado como tal por milhares de anos e depois voltar à vida — um sonho de muitos escritores de ficção", disse Stas Malavin, do Instituto de Problemas Físico-Químicos e Biológicos em Ciências do Solo, na Rússia, à agência de notícias Press Association. Para examinar o processo, os cientistas que participaram do estudo congelaram e...
Leia mais
http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e