Inovações

Fósseis humanos da África têm 1 milhão de anos a mais do que se pensava anteriormente

Um novo estudo, publicado na segunda-feira (27), na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences, revelou que fósseis de Australopithecus encontrados nas cavernas de Sterkfontein, na África do Sul, têm um ano a mais do que se pensava anteriormente — tornando-os mais antigos do que o famoso fóssil de Lucy (também conhecido como Dinkinesh) da Etiópia. Lucy foi encontrada na década de 1970 e representa a espécie Australopithecus afarensis, que viveu há 3,2 milhões de anos. Agora, utilizando uma nova técnica para datar os sedimentos das cavernas de Sterkfontein, pesquisadores da Universidade de Witwatersrand, na África do Sul, descobriram que os novos fósseis do gênero Australopithecus têm entre 3,4 milhões a 3,6 milhões de anos — e não entre dois e 2,6 milhões de anos como datados antes. As cavernas ficam a cerca de 50 quilômetros a noroeste da cidade sul-africana Joanesburgo e são consideradas  Berço da Humanidade. As grutas, incluídas nesta rede chamada de “Membro 4”, revelaram detalhes sobre a evolução humana e ambiental que abrange cerca de quatro...
Leia mais

Inteligência artificial pode ter sentimento

Em até dez anos, os sistemas de inteligência artificial serão capazes de ter “sentimentos” e tomar decisões próprias, disse hoje (24) o vice-presidente para América Latina da H2O.ai, Daniel Garbuglio. “Para que a gente precisa de máquinas que têm sentimento? Isso é um caminho que está se convergindo em futuro de cinco a dez anos”, afirmou durante palestra na Viasoft Connect, evento de inovação que acontece em Curitiba. A empresa, com sede nos Estados Unidos, desenvolveu soluções para mais de 20 mil organizações em todo o mundo. O executivo explicou que, atualmente, as inteligências artificiais são baseadas em algoritmos, modelos que trazem respostas a partir de dados e cálculos. No entanto, segundo ele, o desenvolvimento desse tipo de tecnologia está avançando na direção de buscar replicar as formas subjetivas de tomada de decisão dos seres humanos. “O modelo [atual] trabalha em cima de um modelo matemático e pronto. O que estão fazendo, e não quer dizer que eu concorde com isso,...
Leia mais

Nasa formará equipe científica para estudar OVNIs

A Nasa afirmou nessa quinta-feira (9) que planeja reunir uma equipe de cientistas para examinar “objetos aéreos não identificados”, conhecidos como OVNIs, no mais recente sinal da seriedade com a qual o governo dos Estados Unidos encara o assunto. A agência especial dos Estados Unidos afirmou que o foco estará em identificar dados disponíveis, as melhores maneiras de reunir mais dados e como ela pode usar essa informação para avançar a compreensão científica sobre o assunto. A Nasa escolheu David Spergel, que chefiava o Departamento de Astrofísica da Universidade de Princeton, para liderar a equipe científica, e Daniel Evans, ex-pesquisador da Diretoria de Missões Científicas da Nasa, para comandar o estudo. Uma equipe de cientistas deve ser reunida até o outono do Hemisfério Norte, e então ela passará cerca de nove meses desenvolvendo um relatório público sobre suas descobertas, disse Evans. A Nasa gastará “de algumas dezenas de milhares de dólares” a não mais de 100 mil dólares nessa operação, acrescentou...
Leia mais

Nova espaçonave da Nasa poderá conduzir missão inédita em Vênus

A Nasa lançará uma missão para voar por Vênus. A espaçonave deve posar na atomosfera hostil do planeta em 2029. Chamada DAVINCI, uma sigla para “Deep Atmosphere Venus Investigation of Noble Gases Chemistry and Imaging”, que poderia ser traduzido como “investigação da atmosfera de vênus”, a missão será a primeira a estudar Vênus através de sobrevoos e descida. A expectativa é de que a espaçonave explore a atmosfera venusiana em camadas e alcance sua superfície em junho de 2031. A missão DAVINCI será capaz de capturar dados sobre Vênus que os cientistas estão ansiosos para medir desde o início dos anos 1980. Apenas duas missões da Nasa já visitaram o segundo planeta mais próximo do nosso sol – Pioneer em 1978 e Magellan no início dos anos 1990. A espaçonave servirá essencialmente como um laboratório de química voadora, capaz de medir diferentes aspectos da atmosfera e do clima de Vênus e tirar as primeiras imagens de descida das terras altas do...
Leia mais

Coração de porco com células-tronco humanas pode virar alternativa de tratamento

A primeira vez que a bióloga molecular Doris Taylor viu as células-tronco do coração baterem em uníssono em uma placa de Petri, ela ficou fascinada. “Isso realmente mudou minha vida”, disse Taylor, que dirigiu pesquisas de medicina regenerativa no Instituto do Coração do Texas, em Houston, até 2020. Esse objetivo tornou-se realidade. Na quarta-feira (1º), na conferência Life Itself, um evento de saúde e bem-estar apresentado em parceria com a CNN, Taylor mostrou ao público a estrutura de um coração de porco infundido com células-tronco humanas –criando um coração humano viável e pulsante que o corpo não rejeitará. Por quê? Porque é feito dos próprios tecidos dessa pessoa. “Agora podemos realmente imaginar a construção de um coração humano personalizado, levando transplantes de coração de um procedimento de emergência em que você está tão doente para um procedimento planejado”, disse Taylor à plateia. “Isso reduz seu risco, eliminando a necessidade de drogas [que evitam rejeição]. Usando suas próprias células para construir esse coração, reduz o...
Leia mais

Antigo réptil voador “Dragão da Morte” é descoberto na Argentina

Cientistas argentinos descobriram uma nova espécie de um enorme réptil voador apelidado de "O Dragão da Morte" que viveu há 86 milhões de anos ao lado de dinossauros, em uma descoberta que traz novas percepções sobre um predador cujo corpo era tão longo quanto um ônibus escolar. A nova espécie de réptil voador antigo, ou pterossauro, media cerca de 9 metros de comprimento e os pesquisadores dizem que ela antecedeu os pássaros como uma das primeiras criaturas na Terra a usar asas para caçar suas presas em céus pré-históricos. A equipe de paleontólogos descobriu os fósseis do recém-nomeado Thanatosdrakon amaru nas montanhas dos Andes, na província de Mendoza, na Argentina. Eles concluíram que as rochas que preservavam os restos do réptil datavam de 86 milhões de anos ao período Cretáceo. A data estimada significa que esses temíveis répteis voadores viveram pelo menos cerca de 20 milhões de anos antes de um impacto de asteroide no que hoje é a península mexicana de Yucatán...
Leia mais

Engenheiro de 28 anos será o segundo brasileiro a voar para o espaço

O engenheiro de produção mineiro Victor Correa Hespanha se tornará o 2º brasileiro a viajar para o espaço após ser sorteado para participar da missão NS-21, da Blue Origin, empresa de exploração espacial do bilionário Jeff Bezos. O anúncio foi feito nesta terça-feira (10) pela companhia. Com isso, o engenheiro sucederá o ex-ministro Marcos Pontes, do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações, que esteve na Espação Espacial Internacional em 2006. Hespanha foi sorteado após investir no Gen-1, ativo da Crypto Space Agency, empresa que desenvolveu produtos para empresas como SpaceX, NASA, Reaction Engines, Virgin Hyperloop One e Qualcomm — todas no ramo da tecnologia espacial. Em nota, o engenheiro afirmou que esta foi a primeira vez que ele investiu em criptomoedas e em NFTs. “Comprei pensando no potencial de valorização, nunca imaginei que seria sorteado. Estou realizando um sonho de criança por meio de um NFT, a ficha ainda está caindo”, declarou. A Crypto Space Agency afirmou que “disponibilizou 5.555 Gen-1 no mercado e prevê...
Leia mais

Avião alimentado por energia solar pode permanecer meses no ar

Em 2016, um avião de aparência bizarra, coberto por mais de 17 mil painéis solares, mostrou ao mundo um vislumbre do futuro da aviação. Com a envergadura das asas de um Boeing 747, mas pesando apenas o equivalente a um carro SUV, ele sobrevoou a Terra sem usar uma gota de combustível. Chamado de Solar Impulse 2, ele foi idealizado pelo explorador suíço Bertrand Piccard e o engenheiro suíço Bertrand Borschberg, construído para demonstrar o potencial da energia renovável. Depois de um voo que quebrou recordes, ele alcançou um objetivo – mas agora está ganhando um novo propósito de existência. Em 2019, a máquina foi comprada pela Skydweller Aero, uma startup que busca torná-la no primeiro “pseudosatélite” comercialmente viável do mundo, capaz de fazer o trabalho de um satélite em órbita, mas com mais flexibilidade e menos impacto ambiental. “O pseudosatélite é uma aeronave que fica no ar, podemos dizer, indefinitivamente”, disse o CEO da Skydweller, Robert Miller. “Isso significa 30,...
Leia mais

Réptil de 225 milhões de anos não é pterossauro

Pesquisa feita por especialistas brasileiros concluiu que o Faxinalipterus minimus, proveniente de rochas do Triássico, com cerca de 25 milhões de anos, encontrado no Rio Grande do Sul, não é um réptil alado, como se pensava. O estudo, de pesquisadores do Museu Nacional, das universidades federais de Santa Maria, Regional do Cariri, Federal do Pampa, Federal do Rio Grande do Sul e do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia (Coppe/UFRJ), foi publicado com destaque na revista científica PeerJ. O mais importante do trabalho, segundo o diretor do Museu Nacional (MN), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Alexander Kellner, é provar que a instituição está viva “e que, graças aos pesquisadores e às parcerias, consegue produzir ciência de qualidade. A descoberta feita agora é importante porque mexe com as ideias que se têm com relação à evolução do voo dos répteis, afirmou Kellner. Ele reforçou a necessidade de se investir em ciência básica, porque é desse modo que os pesquisadores conseguem produzir. Em 2010, um grupo...
Leia mais

Maio terá primeiro eclipse lunar total do ano e chuva de meteoros

Maio trará novidades para aqueles que gostam de observar o céu: o primeiro eclipse lunar total do ano poderá ser observado no Brasil. O fenômeno ocorre a partir das 22h30 do dia 15 de maio, e perdura até às 3h50 da madrugada do dia 16 – com auge às 1h11. O último eclipse lunar total ocorreu em 2019, no dia 21 de janeiro. A lua pode aparentar 7% maior e ter uma coloração vermelha, devido ao fenômeno chamado de “dispersão de Rayleigh”. “Durante um eclipse lunar, a Lua fica vermelha porque a única luz solar que atinge a Lua passa pela atmosfera da Terra. Quanto mais poeira ou nuvens na atmosfera da Terra durante o eclipse, mais vermelha a Lua aparecerá. É como se todos os amanheceres e entardeceres do mundo fossem projetados na Lua”, explicou a Nasa em seu site. O eclipse poderá ser visto das Américas do Sul e do Norte, e parcialmente da Europa e da África. Não é...
Leia mais
http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e