Inovações

Hospitais italianos tratam coronavírus com sangue de pacientes curados

O Hospital Policlínico de Pavia, na Lombardia, no norte da Itália, iniciou um tratamento experimental de terapia com plasma, um procedimento que usa o sangue de pacientes curados pela Covid-19 para tratar aqueles que estão em estado grave. O centro hospitalar pediu doações de sangue daqueles que se recuperaram do novo coronavírus e os primeiros a chegar foram de um casal de médicos, os primeiros aspectos positivos para o vírus na província, de acordo com relatos da mídia italiana. "É uma terapia que já foi usada com sucesso contra SARS e Ebola e que permite que outras terapias sejam realizadas ao mesmo tempo", explicou Cesare Perotti, chefe de Imuno-hematologia da Policlínica de Pavia, ao meio de comunicação local "Il Ticino". O procedimento consiste em uma transfusão de sangue de um paciente já curado, que possui um "plasma hiperimune" com anticorpos contra a Covid-19 e é utilizado para casos graves. A terapia com plasma já havia sido aprovada pela delegação de médicos chineses...
Leia mais

Vacina elaborada em universidade dos EUA tem bons resultados em ratos

Pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, testaram com êxito com ratos uma vacina que neutraliza o novo coronavírus, que provoca a Covid-19, doença que se tornou pandêmica, segundo artigo publicado nesta quinta-feira na revista "EBioMedicine". Os cientistas envolvidos no estudo, no entanto, apontaram que a avaliação da eficácia com humanos infectados pelo patógeno pode demorar meses. Segundo o artigo, a vacina é administrada em ratos através de microagulhas e produz anticorpos específicos contra o SARS-CoV-2, em quantidades consideradas para neutralizá-lo. "Tivemos experiências prévias com o SARS-CoV, em 2003, e com o MERS-CoV, em 2014", explica Andrea Gambotto, professor de cirurgia da Faculdade de Medicina da Universidade de Pittsburgh, se referindo a dois vírus relacionados com o que causa a Covid-19. De acordo com o especialista, as pesquisas anteriores ensinaram aos cientistas que uma proteína em particular, conhecida como "spike" (uma espécie de chave, que se insere em um receptor das células humanas, para penetrá-las), é importante...
Leia mais

Cientistas chineses anunciam descoberta contra coronavírus

Um grupo de cientistas chineses isolou vários anticorpos que considera "extremamente eficientes" para impedir a capacidade do novo coronavírus de entrar nas células, o que pode ser útil tanto para tratar quanto para prevenir a covid-19. Atualmente, não existe tratamento comprovadamente eficaz para a doença, que surgiu na China e está se proliferando pelo mundo na forma de uma pandemia que já infectou mais de 850 mil pessoas e matou 42 mil.Zhang Linqi, da Universidade Tsinghua, de Pequim, disse que um remédio feito com anticorpos como os que sua equipe descobriu poderia ser usado de forma mais eficaz do que as abordagens atuais, incluindo o que ele chamou de tratamentos "limítrofes", como o plasma. O plasma contém anticorpos, mas é limitado pelo tipo de sangue. No início de janeiro, a equipe de Zhang e um grupo do 3º Hospital Popular de Shenzhen começaram a analisar anticorpos do sangue colhido de pacientes recuperados da covid-19, isolando 206 anticorpos monoclonais que mostraram o que ele descreveu...
Leia mais

Cães farejadores serão treinados para detectar coronavírus

Cães farejadores especializados em detecção de doenças devem ser testados para ver se conseguem detectar o sars-cov-2, o novo coronavírus causador da atual pandemia. A entidade sem fins lucrativos Medical Detection Dogs (cães de detecção médica, em inglês) já treinou cães para detectar o cheiro da malária, de câncer de próstata e da doença de Parkinson. A instituição planeja fazer testes com o vírus causador da covid-19 com a Universidade de Durham e a Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres (LSHTM), ambas no Reino Unido. A chefe de ong, Claire Guest, disse que precisa descobrir como "capturar com segurança o odor do vírus dos pacientes". "A princípio, temos certeza de que os cães poderiam detectar a covid-19", disse ela. 'Rápido e eficaz' Se isso for comprovado, os cães podem ser usados para rastrear qualquer pessoa, incluindo aquelas sem sintomas. "Isso seria rápido, eficaz e não invasivo e garantirá que os recursos limitados de testes do NHS (o sistema de saúde público britânico) sejam...
Leia mais

USP desenvolve vacina contra coronavírus diferente da americana

De acordo com o jornal da USP, a vacina para o coronavírus está em desenvolvimento por pesquisadores da Universidade de São Paulo. Os testes ainda não foram feitos em animais ou humanos, mas a expectativa é de que aconteça dentro de alguns meses, resultando numa vacina com resposta rápida contra o vírus, possibilitando a criação dos anticorpos necessários. Jorge Kalil – Foto: Ramon Moser / UFRGS O professor Jorge Kalil, diretor do Laboratório de Imunologia do Instituto do Coração (Incor) da Faculdade de Medicina da USP, fala que o processo de desenvolvimento da vacina se dá a partir da criação de uma partícula semelhante ao coronavírus, o VLP (virus-like particle, em inglês), que, na verdade, é como se fosse um vírus oco, sem o material genético e, portanto, sem a transmissibilidade da doença, o que torna seguro usar em vacinas. “Colocamos as partes do coronavírus que são importantes para desencadear uma forte resposta do sistema imunológico, para emitir os anticorpos bloqueadores e...
Leia mais

Cientistas australianos descobrem como o corpo combate a covid-19

Cientistas australianos disseram ter identificado pela primeira vez como o sistema imunológico combate a infecção pelo novo coronavírus, causador da doença covid-19. A pesquisa, publicada na revista médica Nature Medicine, mostra que as pessoas estão se recuperando da infecção pelo novo coronavírus da mesma maneira como elas se recuperam de uma gripe. Segundo os especialistas, determinar quais células do sistema imunológico atuam no combate ao vírus poderá ajudar no desenvolvimento de uma vacina. Globalmente, as autoridades já confirmaram mais de 170 mil casos de infecção pelo coronavírus e mais de 7 mil mortes. Cerca de 80 mil infectados já se recuperaram. Outros especialistas afirmaram que a pesquisa do Instituto Peter Doherty para Infecção e Imunidade, de Melbourne, é "um grande avanço". O que foi descoberto? Muitas pessoas já se recuperaram da covid-19, o que demonstra que o sistema imunológico consegue combater efetivamente o vírus, já que não existe hoje um tratamento que ofereça a cura da doença. Os pesquisadores australianos identificaram quatro tipos de células...
Leia mais

Brasileiros desenvolvem vacina para combater variedade do covid-19

Cientistas do Laboratório de Imunologia do Instituto do Coração (Incor), da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), desenvolvem uma vacina contra o Sars-CoV-2, variedade do coronavírus que provoca síndrome respiratória aguda grave. O diretor do laboratório e coordenador do projeto, Jorge Kalil, ressalta que a vacina não deverá ficar pronta logo, uma vez que o processo envolve rigorosos testes de segurança. A equipe do laboratório do Incor ainda realizará testes em camundongos para comprovar a eficácia da vacina. Em seguida, buscará firmar colaborações com outras instituições de pesquisa para finalizar o desenvolvimento da substância e produzir uma candidata a vacina contra Covid-19. Em entrevista à Agência Brasil, Jorge Kalil disse que não é possível precisar quando a vacina será lançada, devido à série de protocolos que devem ser seguidos à risca. Ele ponderou, ainda, que "fazer uma vacina não significa produzir a vacina", mas sim "o conceito da vacina e como ela vai funcionar". "Mesmo as vacinas que estão...
Leia mais

Caranguejo de sangue azul salva milhões de vidas todos os anos

A maioria das pessoas no mundo não sabe que sua saúde pode depender de um caranguejo de sangue azul de aparência estranha. Os caranguejos-ferradura são uma das criaturas mais antigas do mundo — sobreviveram aos dinossauros e acredita-se que estejam no planeta há pelo menos 450 milhões de anos. Os do Atlântico podem ser vistos desde a primavera até os picos da estação de desova, em maio e junho, na maré alta durante a lua cheia ou nova. Temos sorte de que esses "fósseis vivos", encontrados nos oceanos Atlântico, Índico e Pacífico, ainda estejam por aí, pois eles já salvaram milhões de vidas. Colheita de sangue Os cientistas têm extraído o sangue azul da ferradura desde os anos 1970, para testar se equipamentos médicos e medicamentos intravenosos são estéreis para uso. A presença de bactérias nocivas no equipamento pode matar, mas o sangue do caranguejo-ferradura é hipersensível a toxinas bacterianas. Ele é usado para testar a contaminação durante a fabricação de qualquer coisa que possa...
Leia mais

O exótico e inóspito mega planeta onde ‘chove ferro’

Astrônomos observaram um planeta distante onde provavelmente "chove ferro". Parece um filme de ficção científica, mas é a natureza de um dos mundos mais extremos que estamos descobrindo agora. Wasp-76b, como é conhecido, orbita tão perto de sua estrela, que suas temperaturas durante o dia excedem 2.400°C — calor suficiente para vaporizar metais. A período da noite do planeta, por sua vez, é 1.000°C mais frio, permitindo que esses metais condensem e caiam como chuva. É um ambiente bizarro, de acordo com David Ehrenreich, da Universidade de Gênova. "Imagina que em vez de um chuvisco de gotas de água, você tem gotas de ferro caindo", diz ele O pesquisador suíço e colegas acabam de publicar seus achados sobre esse lugar estranho no periódico Nature. A equipe descreve como usou o novo instrumento Espresso, um espetrógrafo concebido para procurar planetas do tipo terrestre em torno de estrelas do tipo solar. O equipamento foi usado no Observatório Europeu do Sul, no Chile, do Telescópio Europeu Extremamente...
Leia mais

Cientistas identificam proteína que transporta o novo coronavírus

Uma equipe de cientistas chineses identificou a estrutura completa da proteína ACE2, que o coronavírus usa para entrar nas células humanas, o que pode facilitar o desenvolvimento de possíveis terapias antivirais. O estudo, publicado na revista científica Science, é assinado por investigadores de três instituições da China, país onde o coronavírus, que provoca a doença Covid-19, foi detectado pela primeira vez, no fim do ano passado. "A nossa descoberta não só ajuda a compreender a mecânica da infecção viral" como também "facilita o desenvolvimento de técnicas de detecção do vírus e possíveis terapias antivirais", dizem os autores do estudo, citados na revista. A equipe, liderada por Renhong Yan, do Instituto Westlake de Estudos Avançados, analisou e descreveu a estrutura da proteína ACE2, que não se conhecia totalmente até agora. É a proteína ACE2 que o novo coronavírus "sequestra" para entrar nas células humanas. Números do novo coronavírus O surto de Covid-19, detectado em dezembro na China, e que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, provocou...
Leia mais
http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e