Curiosidades

Cientistas acham restos do maior carnívoro que já existiu na Europa

Bípede gigantesco, carnívoro e com uma cabeça que lembra os crocodilos modernos - esta é a descrição básica dos fósseis de espinossauro encontrados recentemente na Ilha de Wright, no sul da Inglaterra. Paleontologistas britânicos afirmaram na quinta-feira (9) que acharam partes do esqueleto de um espinossauro, que viveu há cerca de 125 milhões de anos, durante o período Cretáceo. Com base nos fósseis, os especialistas estimam que o animal tivesse mais de 10 metros de altura, podendo chegar até 15 metros. Com a descoberta, o espinossauro - primo do mais famoso carnívoro pré-histórico, o Tyrannosaurus rex - passa a ser o maior carnívoro a ter pisado em solo europeu da história. O esqueleto do gigante, entretanto, não está completo. Foram achados fósseis das vértebras, ossos das costas, quadril e cauda, além de fragmentos dos membros superiores e inferiores. A espécie ainda não tem nome científico definido, mas foi apelidada de “espinossaurídeo da pedra branca”, em alusão ao local onde foi...
Leia mais

Os segredos do bacalhau

Naturais das águas geladas do norte europeu, eles têm séculos de tradição na culinária portuguesa. Com a chamada técnica de salga, que permite a conservação da carne durante longos períodos após a pesca, o bacalhau tornou-se fonte perfeita para alimentar marinheiros, exploradores e colonizadores do velho continente, durante expedições. Trazido ao Brasil, logo tornou-se iguaria de aristocratas. Combinado à tradição cristã de não consumir carne vermelha durante a Semana Santa, o bacalhau conquistou espaço na mesa dos brasileiros e não pode faltar à mesa durante o almoço da Sexta-Feira Santa. O bacalhau, no entanto, não é apenas um peixe. É um tipo de preparo específico que pode ser feito com várias espécies da família Gadidae. O mais caro e apreciado é o Gadus morhua - geralmente servido em postas altas e conhecido popularmente como bacalhau do Porto. O quilo do Gadus morhua custa, em média, R$ 150. A variedade mais consumida no Brasil é o Saithe, de origem norueguesa. Com fibras mais firmes do que o...
Leia mais

Café: 13 fatos que talvez você desconheça sobre essa bebida

O mundo nunca esteve tão obcecado por café. Quer a gente tome uma xícara para acordar pela manhã, um espresso depois do almoço ou um cappuccino no fim da tarde, nunca consumimos tanto. Em 1991, o consumo global foi de cerca de 90 milhões de sacas de 60 kg, segundo a Organização Internacional do Café (ICO, na sigla em inglês). No ano 2020/21, o consumo estimado foi de mais de 167 milhões de sacas. Então, no Dia Internacional do Café (14), que tal pegar sua xícara favorita e fazer uma pausa para ler estas 13 curiosidades que talvez você não saiba sobre o café? 1. O café é, na verdade, uma cereja Os grãos que você prepara são, na verdade, as sementes torradas de um fruto, que é conhecido como grão cereja ou simplesmente cereja. Se você morder a cereja, vai encontrar duas sementes que se desenvolvem com os lados achatados. Em apenas cerca de 5% do café do mundo, de acordo com a...
Leia mais

Cientistas rejuvenescem pele de mulher em 30 anos, diz estudo

Cientistas da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, conseguiram, pela primeira vez, rejuvenescer em 30 anos as células da pele de uma mulher de 53. Os pesquisadores acreditam que, com a mesma técnica, podem reproduzir os resultados com outros tecidos do corpo. A capacidade de fazer retroceder o envelhecimento é crucial para prevenir e tratar doenças relacionadas à idade, como problemas cardíacos e neurológicos. O estudo foi publicado sexta-feira (8) na revista científica eLife por cientistas britânicos, alemães e portugueses do Instituto Babraham, de epigenética, em Cambridge. Ele tem base na mesma técnica de reprogramação celular usada para criar nos anos 90 a ovelha clonada Dolly, no Instituto Roslin, também no Reino Unido. Ainda em fase inicial, a pesquisa promete revolucionar a medicina regenerativa. “Conseguiremos identificar os genes específicos que rejuvenescem sem ter de reprogramar a célula”, diz Wolf Reik, principal autor do estudo. Uma das ferramentas para reparar ou substituir as células danificadas com o avanço da idade é a capacidade de transformar...
Leia mais

Flores de 99 milhões de anos são encontrada perfeitamente preservadas

Flores descobertas perfeitamente preservadas em blocos de âmbar floresceram aos pés de dinossauros, sugerindo que algumas plantas com flores na África do Sul, permaneceram inalteradas por 99 milhões de anos, revela um novo estudo publicado na revista Nature Plants na segunda-feira (31). As duas plantas floresceram no que hoje é Mianmar e podem esclarecer como as plantas com flores evoluíram — um episódio importante na história da vida que já foi descrito por Charles Darwin como um “mistério abominável”. As flores são efêmeras: florescem, se transformam em fruto e depois desaparecem. Como tal, flores antigas não estão bem representadas no registro fóssil, tornando-as — e a história que elas carregam — particularmente preciosas. “As folhas geralmente são produzidas em maior número que as flores e são muito mais robustas, além de apresentarem maior potencial de preservação. Uma folha é descartada ‘como está’ no final de sua vida útil, enquanto uma flor se transforma em fruto, que então é comido ou se desintegra como parte...
Leia mais

A pipoca pode ser um lanche mais saudável do que você imaginava

No quesito lanches noturnos, a pipoca é imbatível. Ela é uma “refeição” ideal porque dá mais saciedade do que outros lanches e porque não depende de fritura para ter um bom sabor. Ela também pode ser preparada em minutos, sem nenhum aparelho especial (além de uma panela ou um microondas), e é possível temperá-la da maneira como quiser. A “noite da pipoca” também não precisa ser uma ocasião especial. Embora seja uma ótima ideia combiná-la com uma sessão de filme, não existe nenhuma lei que nos proíba até de jantar pipoca quando quisermos. A pipoca é um grão não processado: De fato, é a combinação do amido no interior com a camada externa fibrosa que faz a pipoca estourar. Rica em fibras, ela ainda contém uma quantidade relevante de polifenóis, que ajudam a reduzir o nível de açúcar no sangue e auxiliam na digestão. “A pipoca é um lanche que traz saciedade devido ao volume que ocupa no estômago, o que...
Leia mais

Lagostas e caranguejos sentem dor e não deveriam ser cozidos vivos

Polvo, caranguejos e lagostas são capazes de sentir dor ou sofrimento, de acordo com uma análise encomendada pelo governo do Reino Unido, que acrescentou as criaturas a uma lista de seres sencientes a serem protegidos pelas novas leis de bem-estar animal. O relatório de especialistas da London School of Economics analisou 300 estudos científicos para avaliar as evidências de senciência, e eles concluíram que cefalópodes (como polvos, lulas e chocos) e decápodes (como caranguejos, lagostas e lagostins) devem ser tratados como seres capazes de sentir ou perceber através dos sentidos. Os vertebrados (animais com coluna vertebral) já são classificados como sencientes na nova legislação de bem-estar animal atualmente em debate no Reino Unido. “O projeto de Lei de Bem-Estar Animal fornece uma garantia crucial de que o bem-estar animal seja corretamente considerado ao desenvolver novas leis. A ciência agora está clara que decápodes e cefalópodes podem sentir dor e, portanto, é justo que sejam cobertos por esta parte vital da legislação”, disse o ministro do Bem-Estar Animal,...
Leia mais

Arqueólogos afirmam ter encontrado um templo perdido de 4.500 anos no Egito

Arqueólogos descobriram o que eles acreditam ser um dos “templos do sol” perdidos do Egito, datando de meados do século 25 a.C. A equipe descobriu os restos mortais enterrados sob outro templo em Abu Ghurab, a cerca de 19 quilômetros ao sul do Cairo, disse o codiretor Massimiliano Nuzzolo, professor assistente de egiptologia do Instituto Polonês de Ciências para Culturas Mediterrâneas e Orientais, em Varsóvia, na segunda-feira (16). Em 1898, os arqueólogos que trabalhavam no local descobriram o templo solar de Nyuserra, também conhecido como Neuserre ou Nyuserre, o sexto rei da 5ª dinastia, que governou o Egito entre 2.400 e 2.370 a.C. Agora, as descobertas feitas durante a última missão sugerem que ele foi construído sobre os restos de outro templo solar. “Os arqueólogos do século 19 escavaram apenas uma pequena parte deste edifício de tijolos de barro abaixo do templo de pedra de Nyuserra e concluíram que esta era uma fase anterior de construção do mesmo templo”, disse Nuzzolo. “Agora, nossas descobertas...
Leia mais

Gatos podem rastrear presença de humanos usando apenas as orelhas

Enquanto você vasculha armários e fendas tentando encontrar o novo esconderijo favorito do seu gato, eles também podem estar de olho em você. Um novo estudo no Japão descobriu que um gato parado pode rastrear a localização de seu dono usando pistas de áudio – especificamente, a voz do tutor. Saho Takagi, primeira autora do estudo e estudante de doutorado na Universidade de Kyoto, disse que sempre se interessou pelas habilidades auditivas dos gatos. Ela gosta de felinos, mas disse que sua parte favorita são as orelhas. Os gatos têm orelhas sensíveis que podem se mover em direções diferentes. “Eu vi um gato com apenas uma das orelhas inclinada para trás, ouvindo o som por trás dele, e senti que eles devem estar pensando em muitas coisas a partir do som”, disse Takagi. “Desta vez, eu investiguei se eles mapeiam a posição de seu dono espacialmente a partir de sons.” O estudo, realizado em uma casa e em um café para gatos, observou...
Leia mais

Homo bodoensis: a nova espécie que alguns cientistas consideram ancestral direto dos humanos

Há um período na história da evolução humana que os cientistas ainda não entendem muito bem. Se sabe muito pouco sobre essa época que é conhecida como "a confusão", porque os especialistas ainda não concordam sobre as espécies que nela existiam. Trata-se de uma época entre o surgimento do Homo erectus e o do homem moderno, o Homo sapiens. Um grupo de pesquisadores nomeou uma nova espécie que poderia esclarecer essa confusão e que, segundo suas análises, seria o ancestral direto dos humanos. Trata-se do Homo bodoensis, que viveu na África há cerca de 500 mil anos e que, segundo os autores do estudo, ajuda a resolver o quebra-cabeça de um período-chave da evolução humana. Novos rótulos O período de confusão corresponde ao Pleistoceno Médio, que desde 2020 é conhecido como chibaniano, e que ocorreu entre 774 mil e 129 mil anos atrás. Os especialistas, entretanto, não estão têm certeza sobre a quais espécies pertencem os vários fósseis daquele período. E, ligado a isso,...
Leia mais
http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e