Comportamento

Sou um procrastinador e agora?

[caption id="attachment_73663" align="alignleft" width="300"] Foto: kevin[/caption] Quem nunca deixou de fazer alguma coisa para última hora porque achou que não tinha muita importância naquele momento? Ou adiou uma tarefa simples como lavar louças, por exemplo, por preguiça? Se você se identificou, você é um procrastinador! Procrastinação é o diferimento ou adiamento de uma ação. Para a pessoa que está a procrastinar, isso resulta em stress, sensação de culpa, perda de produtividade e vergonha em relação aos outros, por não cumprir com as responsabilidades e compromissos. Embora a procrastinação seja considerada normal, torna-se um problema quando impede o funcionamento normal das ações. Popularmente conhecido, o procrastinador é aquele que costuma empurrar com a barriga, tarefas e obrigações, deixando para depois o que pode ser feito na hora. Embora essa conduta seja universal, os brasileiros são culturalmente procrastinadores, pois são tradicionalmente despreocupados com prazos e atrasos. Na visão da professora de Ética e Responsabilidade Social, Amélia das dores, na vida, o cidadão está sempre...
Leia mais

Me formei e agora?

  Me formei e agora? Essa é uma das preocupações para quem está saindo da faculdade em busca do sucesso profissional.  A grande maioria almeja um emprego na sua área de formação. Entretanto, nem sempre é o que acontece. Se durante a faculdade o universitário não teve experiências profissionais como estágios ou cursos, é interessante começar devagar no mercado, pois algumas empresas requerem experiência e conhecimento técnico. Estudar e se manter atualizado nos assuntos pertinentes a sua área de formação é extremamente importante. O que também pesa na vida do estudante recém-formado é ter fluência em outro idioma. O inglês, por exemplo, é um dialeto universal e maioria das empresas pede um bom nível da língua. Investir em um curso de inglês ou até mesmo fazer um intercâmbio proporcionará para o recém-formado uma experiência incrível, além do melhor domínio do idioma. A importância da qualificação acadêmica na vida do profissional Um diploma de graduação em si, é um papel com o seu...
Leia mais

Brasil registra queda no número de casamentos e aumento de divórcios em 2016

O Brasil registrou 1.095.535 casamentos civis em 2016, dos quais 1.090.181 entre pessoas de sexos diferentes e 5.354 entre pessoas do mesmo sexo. Houve queda de 3,7% no total de casamentos em relação a 2015. É o que mostra a pesquisa Estatísticas do Registro Civil 2016, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A redução foi observada tanto nos casamentos entre cônjuges de sexos diferentes quanto entre cônjuges do mesmo sexo, com exceção das regiões Sudeste e Centro-Oeste que apresentaram aumento nos casamentos civis entre pessoas do mesmo sexo, de 1,6% (de 3.077 para 3.125 casamentos) e 7,7% (de 403 para 434 casamentos), respectivamente. No Brasil, nas uniões civis entre cônjuges solteiros de sexos diferentes, os homens casam-se, em média, aos 30 anos, e as mulheres, aos 28 anos. Nas uniões entre pessoas do mesmo sexo, a idade média no casamento era de cerca de 34 anos, tanto para homens quanto para mulheres. Divórcios Em 2016, a pesquisa apurou que foram...
Leia mais

TOC- Quando deixa de ser mania e passa ser doença  

[caption id="attachment_73523" align="alignleft" width="300"] Divulgação[/caption] Conhecido popularmente como “mania”, essa manifestação atormenta milhares de pessoas em todo mundo. O transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) é um transtorno de ansiedade caracterizado por pensamentos obsessivos e compulsivos, no qual o indivíduo tem comportamentos considerados estranhos pela sociedade ou por si próprio. Normalmente trata-se de ideias exageradas e irracionais de saúde, higiene organização, simetria, perfeição ou manias e "rituais" que são incontroláveis ou dificilmente controláveis. O jornal O Estado RJ convidou a Bióloga, Mestre em Psicologias, professora responsável pela disciplina de Neurociências do Departamento de Psicologia da PUC-Rio, coordenadora de extensão da Faculdade Souza Marques, palestrante e pesquisadora de temas relacionados à memória, Norma Moreira Salgado Franco, para falar como esse transtorno pode afetar na vida do individuo, os desafios da doença e como é o tratamento. O Estado RJ: Como é o diagnóstico de TOC? Prof.Norma: O diagnóstico é clínico. Para  que seja estabelecido o diagnóstico de TOC é necessário que as obsessões ou compulsões consumam um tempo razoável do dia (por ex. lavar...
Leia mais

Despedidas podem trazer aprendizado

A vida reserva muitas surpresas, encontros e desencontros, chegadas e partidas, e consequentemente muitas despedidas. Segundo a definição do Dicionário Informal despedida é uma saudação que representa um adeus, separação de pessoas, ato de ir. Não necessariamente com seres humanos, mas, com todo e qualquer ser vivo, a despedida faz parte da nossa existência. É necessário saber enfrentar cada uma delas. A perda de um ente querido, de um animal de estimação, de um amor, de um amigo, da morte, ou seja, qual for, a despedida, é necessária, todos vão passar por ela algum dia. A despedida da morte, por exemplo, pode ser dolorosa e desesperadora. Não é fácil perder alguém, independente da forma como se deu, o último adeus, sempre é triste. Entretanto, é fundamental saber  eternizar na memória, as lembranças dos que partiram. A dona de casa Renata Fernanda diz sofrer até hoje a perda do marido, ex-policial Antônio Carlos de 58 anos. “Foi um baque, até hoje parece que...
Leia mais

Brasil cai 11 posições em ranking em desigualdade entre homens e mulheres

Depois de uma década de progresso lento, mas contínuo, em direção à igualdade de gênero, pela primeira vez o Fórum Econômico Mundial constatou aumento das disparidades entre homens e mulheres no planeta. A informação consta do Relatório de Desigualdade Global de Gênero 2017, divulgado pela organização. Por causa da queda da participação feminina na política, o Brasil caiu 11 posições em apenas um ano. O estudo indica que 68% da desigualdade de gênero no planeta foi combatida, contra 68,3% em 2016 e 68,1% em 2015. Todos os quatro pilares do relatório apresentaram piora na comparação entre homens e mulheres: acesso à educação, saúde e sobrevivência, oportunidade econômica e empoderamento político. Até o ano passado, os dois últimos itens vinham apresentando evoluções. Pelo cálculo atual, seriam necessários 100 anos para acabar com a desigualdade de gênero em todo o mundo. No ano passado, a previsão era 83 anos. A pior situação é a do mercado de trabalho, em que a organização estima que...
Leia mais

A desvalorização dos idosos na sociedade

Nos dias de hoje,  aquele que não produz não serve absolutamente para nada. A sociedade é obrigada a produzir absurdamente para ser ou ter alguma coisa. Com o passar dos anos, a “temida velhice” chega, e com ela, os problemas de  saúde e alimentação, despesas com medicamentos e doenças. Sem sombra de dúvida, chegar à terceira idade não é nada fácil. Segundo o estatuto do idoso, no Art. 3o é obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Poder Público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária.  Mas, não é o que acontece. O desrespeito com a figura do idoso é constante. Deixam de ser amparados pelos filhos na velhice, sendo destinados a asilos ou até hospitais, em alguns casos são extorquidos pelos próprios familiares. O...
Leia mais

Maioria das crianças das classes D e E acessa internet apenas pelo celular

A maioria das crianças e dos adolescentes das classes D e E, pertencentes a famílias que recebem menos de 3 salários mínimos, acessa a internet exclusivamente pelo celular. Segundo a pesquisa TIC Kids Online, divulgada pelo Comitê Gestor da Internet (CGI.br), 61% dos jovens de 9 a 17 anos nessa faixa de renda que, no período de três meses, usaram a rede ao menos uma vez fizeram o acesso apenas pelo telefone móvel. O índice cai para 12% entre crianças e adolescentes das faixas de renda mais altas, classes A e B. No total dos jovens, 37% acessam a internet apenas pelo celular. Enquanto 54% navegam no mundo virtual tanto pelos dispositivos móveis quanto pelo computador, apenas 7% acessam a rede exclusivamente por computador. De acordo com o estudo, em relação a toda a população com idade entre 9 e 17 anos, 82%, ou seja, 24,3 milhões de jovens acessam a internet. O levantamento foi feito com base em 3 mil entrevistas...
Leia mais

Postura nas redes sociais deve ser adequada

Nos tempos em que as redes sociais ganham a atenção no período ocioso, é importante adotar uma conduta adequada também na vida virtual. Postagens, fotos, depoimentos, compartilhamentos, comentários e curtidas, em conteúdos inapropriados, podem custar caro para um indivíduo.  As redes sociais podem ser uma porta para novos projetos e oportunidades, mas também pode queimar o filme do usuário. Muitas empresas já adotaram métodos de seleção de seus candidatos ou até acompanhamento de seus funcionários pelas redes.  Alguns recrutadores descartam um candidato só de ver a postura do cidadão nas redes sociais. Comentários machistas, fotos com conteúdo impróprio, compartilhamento de vídeos que ferem a dignidade alheia, xingamentos, entre outros, podem ser prejudiciais para o próprio. Algumas redes sociais, como o Linkedin, são especificamente voltadas para o mercado de trabalho. A forma como cada um se expõe nesses meios, pode chamar a atenção de outras empresas e possibilitar novas oportunidades na carreira. Esse material, revelador, no entanto, pode também ter efeito contrário. O...
Leia mais

Como lidar com a crise existencial nos adolescentes

[caption id="attachment_72249" align="alignleft" width="300"] Créditos :Ryan Moreno[/caption] Todos já passaram por crises existenciais em algum momento da vida. Na adolescência não é diferente. A famosa Crise Existencial da pré- adolescência ou a crise dos 15. Mas, o que de fato é essa crise? Crise existencial é um momento no qual o ser humano questiona os próprios fundamentos de sua vida: se esta vida possui algum sentido, propósito, ou valor. Geralmente ocorre quando tudo esta indo bem, um bom relacionamento familiar, uma boa vida acadêmica, um bom relacionamento social, tudo indo perfeitamente bem, aos olhos alheios.  A crise começa por dentro, com um vazio, sem ninguém saber, não é notória. A mente se encontra sempre barulhenta, embora do lado de fora, o silêncio esteja sempre presente. Para detectar se um adolescente está passando por uma crise, seja ela existencial ou não, precisa-se levar em consideração alguns sinais: Depressão, privação do sono, isolamento prolongado, insatisfação com a própria vida, grande trauma psicológico, o sentimento de...
Leia mais
http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e