Mundo do Samba

Baixada, batuques e preconceitos

O samba-enredo da Grande Rio de 2020 abre uma importante discussão, presente atualmente na sociedade, sobre preconceitos e intolerância. Além disso, também destaca a forte presença das religiões afrobrasileiras na região da Baixada Fluminense. Já abordamos aqui neste espaço a vida do personagem homenageado no enredo, o pai de santo Joãozinho da Gomeia. Entretanto, uma das motivações para a escola de Duque de Caxias contar essa historia, é a intolerância contra as religiões de matrizes africanas, principalmente por parte de grupos evangélicos neopentecostais. Mas não é só isso. Ainda recentemente, criminosos do narcotráfico, que atuam nas comunidades do Rio de Janeiro, proibiram cultos de umbanda e candomblé em suas áreas de atuação. Chegaram a invadir terreiros, destruir imagens sagradas e expulsar seus adeptos. A escola de samba Grande Rio está localizada em Duque de Caxias, onde Joãozinho da Gomeia foi morar e fincou seu terreiro quando saiu de Salvador. Por isso, este enredo é tão simbólico. Por outro lado, a...
Leia mais

Fim de semana de maratona de samba

Durante quatro dias deste fim de semana, o mundo do samba vive uma verdadeira maratona de finais de disputa de samba-enredo. Nada mais do que sete das 13 agremiações do grupo especial do Rio de Janeiro escolherão suas trilhas sonoras do desfile. A maratona começou na quinta-feira, quando a Beija Flor fez a escolha para o enredo "Se essa rua fosse minha". A disputa, muito equilibrada entre os três finalistas, acabou consagrando a obra dos compositores Magal Clareou, Júlio Assis, Diogo Rosa, Thiago Moraes, Jean Costa e Dario Junior. Na madrugada de sexta feira para sábado , a corrida prosseguiu com a decisão entre os três finalistas do Salgueiro. Na Portela, também três composições disputaram a primazia de serem cantadas na avenida no próximo ano. Hoje, sábado, mais três escolas escolhem seus hinos. A Mangueira decide entre três finalistas quem vencerá para cantar o enredo "A verdade vos libertará", que faz uma releitura sobre a vida de Jesus Cristo. A Estácio de...
Leia mais

Tata Londirá é um grito contra a intolerância

A escola de samba Acadêmicos do Grande escolheu, na semana passada, o seu samba enredo para o Carnaval 2020. A obra vencedora foi a dos compositores Derê, Toni Vietnam, Robson Morateli e Rafael Ribeiro, e confirma, mais uma vez, a máxima de que um grande enredo sempre dá em um bom samba. O enredo que a tricolor caxiense levará para a avenida é "Tata Londirá, o canto do caboclo no quilombo de Caxias", que contará a história de vida de Joãozinho da Gomeia, o pai de santo que se tornou celebridade nas décadas de 50 e 60. Joãozinho saiu de Salvador, na Bahia, e se estabeleceu em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Seu terreiro de candomblé foi frequentado não somente por uma multidão de anônimos, mas também por políticos, artistas, gente da alta sociedade, intelectuais, presidentes da República. Até a rainha da Inglaterra, mesmo de longe, era sua admiradora, concendedo-lhe o título de Rei do Candomblé....
Leia mais

Finais de samba e mudanças no desfile

Neste fim de semana, prossegue a escolha dos sambas-enredo das escolas do grupo especial. Na semana passada, a Mocidade Independente definiu, sem surpresa, a parceria favorita encabeçada por Sandra de Sá, o preferido da comunidade da verde e branca da zona Oeste. Neste sábado, é a vez de Unidos do Viradouro e Acadêmicos do Grande Rio escolherem as obras que vão embalar seus desfiles na Marquês de Sapucaí em 2020. A vermelha e branca de Niterói conta com três finalistas, numa disputa equilibrada, embora o samba liderado pelo compositor Dadinho apresente melhor o enredo, com uma melodia mais adequada ao desfile. Na tricolor caxiense o equilíbrio aponta uma total indefinição para o resultado. Não há como cravar qualquer prognóstico diante dos cinco finalistas, numa safra considerada a melhor da Grande Rio nos últimos 20 anos. Mudanças no desfile A Liesa - Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro - definiu, esta semana, mudanças no regulamento...
Leia mais

Samba agita o fim de semana

Para quem gosta das várias vertentes de samba, este final de semana está um prato cheio no Rio de Janeiro. Sem gastar muito e com opções variadas, a diversão está garantida. A Mocidade Independente de Padre Miguel abre, entre as escolas do grupo especial, a temporada das finais de escolha dos sambas enredo. No sábado, a partir das 22 horas, a verde e branca da zona Oeste escolhe o seu hino, na quadra da Avenida Brasil, diferentemente das eliminatórias, que foram realizadas na Vila Vintém. São quatro composições finalistas de uma safra excelente. Destaque para a parceria de Sandra de Sá, apontada como favorita a embalar os independentes na Marquês de Sapucaí em 2020. A Portela, por outro lado, inicia o seu período de disputa, que este ano será bem curta em Madureira, em apenas um mês. São 24 composições que disputam a primazia de cantar o enredo "Guajupiá, terra sem males", que aborda a origem indígena do...
Leia mais

Disputas de samba entram na reta final

Seguindo uma tendência recente, os concursos para escolha dos sambas enredos estão se tornando mais curtos. Disputas que antes se arrastavam por até quatro meses, agora estão durando no máximo 50 dias. Algumas escolas de samba, como Portela, Mangueira e Salgueiro, ainda não iniciaram o processo e farão a escolha em apenas um mês. De acordo com o calendário da Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro - Liesa - todos os sambas devem estar prontos para entrar em estúdio de gravação na primeira quinzena de outubro. Este encurtamento das disputas se deve principalmente à crise econômica que afeta o carnaval. As escolas de samba estão diminuindo os custos, tanto delas com a infraestrutura do evento, como para os compositores concorrentes. Nas diversas quadras, tanto do grupo especial como no acesso, as apresentações afunilam e vão revelando favoritos. Destaque para Grande Rio, Viradouro e Mocidade, com safras de grandes sambas concorrentes, o que faz o resultado...
Leia mais

O reencontro da Imperatriz com Lalá

A Imperatriz Leopoldinense não tem saído do noticiário desde o início do ano, seja para o bem ou para o mal. A verde e branca do bairro de Ramos, depois de muitas polêmicas e sacramentado o seu rebaixamento, finalmente começou a se movimentar rumo a 2020. Na semana passada, a agremiação anunciou que irá reeditar o enredo "O teu cabelo não nega", com o qual sagrou-se bicampeã em 1981. Surpreendente, também, foi o anúncio de Leandro Vieira como o carnavalesco que irá desenvolver esta reedição, acumulando a função com a Mangueira, atual campeã do grupo especial. O aclamado artista já definiu a alteração do título do enredo para "Só dá Lalá ", aproveitando um verso do samba enredo, que homenageia o compositor Lamartine Babo. Segundo ele, é uma forma de adaptar aos atuais tempos do politicamente correto. A iniciativa, entretanto, não amenizou a crítica de alguns sambistas. Os mais radicais torceram o nariz e alegam o racismo machista da...
Leia mais

É hora do samba entrar em cena

Depois de um período conturbado, que se estendeu da quarta-feira de cinzas até cerca de 15 dias atrás, o samba finalmente volta a ser protagonista no mundo do carnaval. Saem as polêmicas e viradas de mesa, saem as decisões de governos e entram os compositores e o sonho de ver suas obras serem cantadas na avenida. É hora das disputas tomarem conta das quadras e das discussões nas redes de grupos de samba e dos aficcionados. As torcidas já começam a se formar.No grupo especial, os concursos para escolha dos hinos que vão embalar o próximo desfile, já começaram na Mocidade Independente e Beija Flor. No grupo de acesso, já comecaram no Império Serrano, Porto da Pedra e Unidos de Padre Miguel. Nas próximas semanas, outras agremiações também iniciarão este processo. As quadras começam a se movimentar, ônibus com torcidas, os bares das proximidades tocando as obras em disputa, compositores nervosos, entrando e saindo a todo instante, checando os últimos...
Leia mais

Sorte de uns, azar para outros

Em clima de paz e harmonia, a Liesa realizou na noite da última quinta-feira o sorteio da ordem de desfile do grupo especial das escolas de samba do Rio de Janeiro. Algumas tiveram motivos para comemorar, outras nem tanto. Vamos a uma rápida análise sobre o sorteio e o que isso pode influenciar na apresentação de cada uma. Cabe lembrar que o desejo de todas as escolas é desfilar na segunda-feira, pois é desse dia que sai a maioria das campeãs, desde a inauguração do sambódromo. Domingo Estácio de Sá. Por ter ascendido como campeã do grupo de acesso, a tradicional vermelha e branca já tinha posição definida e terá a árdua tarefa de abrir o carnaval das grandes. Unidos do Viradouro. A agremiação de Niterói, vice-campeã em 2019, não teve a sorte ao seu lado. Tirou a pior bolinha do sorteio e será a segunda a desfilar. Pegará a avenida ainda fria e precisará mostrar que a...
Leia mais

Paz momentânea no samba

Esta semana ficou finalmente resolvido o imbróglio envolvendo o resultado do desfile do grupo especial das escolas de samba do Rio de Janeiro. A Liesa realizou a assembleia geral que ratificou o cumprimento do regulamento e o descenso da Imperatriz Leopoldinense e do Império Serrano. Também ficou decidida a permanência do presidente Jorge Castanheira, que ameaçara renunciar ao cargo, caso prevalecesse a virada de mesa. Com isso, parece afastada a crise na entidade e a disputa de poder está momentaneamente abafada. No entanto, nos bastidores a divisão se mantém, com dois grupos com posições diferentes. Isto se reflete até mesmo no resultado da votação na assembleia. O placar de 28 a 13, a favor de Castanheira, indica que o grupo que apoiou a Imperatriz, embora perdedor, continua firme em suas posições. O importante é que, superada a confusão, agora as escolas começam a pensar em 2020. Na próxima quarta-feira acontecerá o sorteio da ordem...
Leia mais
http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e