Mundo do Samba

Sorte de uns, azar para outros

Em clima de paz e harmonia, a Liesa realizou na noite da última quinta-feira o sorteio da ordem de desfile do grupo especial das escolas de samba do Rio de Janeiro. Algumas tiveram motivos para comemorar, outras nem tanto. Vamos a uma rápida análise sobre o sorteio e o que isso pode influenciar na apresentação de cada uma. Cabe lembrar que o desejo de todas as escolas é desfilar na segunda-feira, pois é desse dia que sai a maioria das campeãs, desde a inauguração do sambódromo. Domingo Estácio de Sá. Por ter ascendido como campeã do grupo de acesso, a tradicional vermelha e branca já tinha posição definida e terá a árdua tarefa de abrir o carnaval das grandes. Unidos do Viradouro. A agremiação de Niterói, vice-campeã em 2019, não teve a sorte ao seu lado. Tirou a pior bolinha do sorteio e será a segunda a desfilar. Pegará a avenida ainda fria e precisará mostrar que a...
Leia mais

Paz momentânea no samba

Esta semana ficou finalmente resolvido o imbróglio envolvendo o resultado do desfile do grupo especial das escolas de samba do Rio de Janeiro. A Liesa realizou a assembleia geral que ratificou o cumprimento do regulamento e o descenso da Imperatriz Leopoldinense e do Império Serrano. Também ficou decidida a permanência do presidente Jorge Castanheira, que ameaçara renunciar ao cargo, caso prevalecesse a virada de mesa. Com isso, parece afastada a crise na entidade e a disputa de poder está momentaneamente abafada. No entanto, nos bastidores a divisão se mantém, com dois grupos com posições diferentes. Isto se reflete até mesmo no resultado da votação na assembleia. O placar de 28 a 13, a favor de Castanheira, indica que o grupo que apoiou a Imperatriz, embora perdedor, continua firme em suas posições. O importante é que, superada a confusão, agora as escolas começam a pensar em 2020. Na próxima quarta-feira acontecerá o sorteio da ordem...
Leia mais

O samba não pode parar

Os bastidores do mundo do samba seguem agitados. Com o imbróglio do resultado do último carnaval no grupo especial ainda indefinido e entregue à decisão judicial, a Liesa - Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro - agora está envolta numa disputa de poder. Por trás disso, dois grupos lutam pela sucessão do demissionário presidente Jorge Castanheira, que não aceita a virada de mesa e anunciou sua intenção de renunciar ao cargo. De um lado, Beija Flor, Viradouro, Vila Isabel, Mangueira e Portela. De outro, Imperatriz Leopoldinense, São Clemente, Estácio, Mocidade e Salgueiro. Resta saber como ficarão União da Ilha, Unidos da Tijuca e Paraíso do Tuiuti, que na virada de mesa votaram com a Imperatriz, mas logo depois, diante da pressão do Ministério Público, mudaram o voto. A entidade, que historicamente escolhia suas direções por unanimidade, dessa vez passa por uma renhida disputa que pode ter consequências imprevisíveis. Teme-se até a implosão da maior...
Leia mais

Mais samba e menos conversa

Seguem as confusões, incertezas e reviravoltas no mundo do samba. Esta semana, após a nova reunião na Liesa que anulou a virada de mesa que manteve a Imperatriz Leopoldinense no grupo especial, um outro fato importante chamou a atenção. Num encontro entre o governador do estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, e o prefeito da capital, Marcelo Crivela, foi discutida uma nova concepção de desfile das escolas de samba, que seria assumido totalmente pela iniciativa privada. Comenta-se nos bastidores que existem grupos interessados em bancar a festa. Fala-se inclusive no grupo americano Disney. Algumas fontes relatam que a mudança na postura da Liesa em reverter sua decisão anterior, não é apenas por pressão do Ministério Público e do pagamento da multa pelo descumprimento do regulamento. Tem mais a ver com o chamado compliance de empresas interessadas em patrocinar o Carnaval e que exigem posturas éticas. O que está definido mesmo e reafirmado mais uma...
Leia mais

Mais democracia para o samba

Os últimos acontecimentos envolvendo as associações representativas das escolas de samba do Rio de Janeiro revelam uma crise sob diversos ângulos. Esta semana, foi a vez da Liesb - Liga das Escolas de Samba do Brasil - ser atingida pela crise. A entidade organiza os desfiles dos grupos B, C e D, na avenida Intendente Magalhães. Oito agremiações do grupo B, descontentes, abriram uma dissidência e anunciaram a criação de uma nova entidade, a Livres - Liga Independente da Verdadeira Raiz das Escolas de Samba. Esta crise de representatividade das três ligas - Liesa, Lierj e Liesb- é caracterizada pela desconfiança em relação aos seus diretores. As escolas descontentes alegam falta de transparência nas ações, a não prestação de contas financeiras e principalmente a manipulação no julgamento dos desfiles. Mas um aspecto que fica claro é a intempestividade dessas dissidências. Por que não se tentar um acordo interno, antes de simplesmente se romper os laços? Será...
Leia mais

Nova virada de mesa indigna sambistas

O que todo o mundo do samba temia, aconteceu na última segunda-feira. Reunião realizada na Liesa - Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro deliberou uma virada de mesa pelo terceiro ano consecutivo, que rasgou o regulamento do desfile e anulou o descenso da Imperatriz Leopoldinense. Indignação geral entre os sambistas e mais um ingrediente na crise do carnaval carioca que se arrasta e só se agrava há três anos. Mas há muito mais coisas nessa virada de mesa. Instalou-se uma crise com feridas abertas na entidade. As cinco escolas que votaram contra a medida - Beija Flor, Mangueira, Portela, Vila Isabel e Viradouro ameaçam um racha que pode desembocar na criação de uma nova entidade representativa das agremiações. Esta é, sem dúvida, a maior crise da Liesa, desde a sua criação em 1984. Uma crise que pode ser terminal. O Carnaval e as escolas de samba são culturalmente importantes para o Rio, vitrine do turismo, um...
Leia mais

Compositores do Brasil na luta pelo samba

Há cerca de dois anos um grupo de sambistas preocupados com as transformações da cena musical do país e a falta de espaço para mostrar sua arte, resolveram se unir em torno de um projeto chamado Compositores do Brasil. A partir daí, a iniciativa se consolidou e vem ganhando novos adeptos a cada dia. O grupo conta com uma diretoria eleita, cujo presidente é Alexandre Barreto, conhecido no mundo do samba como Barreto Baixada. Um domingo por mês, o coletivo realiza uma roda de samba fixa na quadra do bloco carnavalesco Boêmios de Irajá, onde sempre uma personalidade sambística é homenageada. Já passaram por lá, nomes como Zé Catimba, Marquinhos Diniz, Elaine Machado e o produtor musical Milton Manhães. No próximo dia 8 de junho, às 15 horas, será a vez de Mestre Birinha, músico e filho do grande ícone mangueirense já falecido, o compositor Padeirinho. Excepcionalmente, esta homenagem será realizada na Comunidade...
Leia mais

As novas da semana no samba

Muitas notícias movimentaram o mundo do samba esta semana. No último domingo aconteceram eleições em duas agremiações. Na Portela, maior campeã do carnaval carioca, o presidente Luiz Carlos Magalhães foi reeleito para um novo mandato, tendo agora como vice, o membro comissão de Carnaval, Fábio Pavão. Na Acadêmicos do Cubango, escola de samba do município de Niterói, que desfila no grupo de acesso A, também foi reeleito o atual presidente Rogério Belizario. Na terça-feira, em entrevista para a jornalista Mônica Bergamo, na rádio Bandnews, o prefeito do Rio, Marcelo Crivela reafirmou que não vai subvencionar as escolas de samba com recursos públicos para o próximo carnaval. Novamente ele comparou a festa a um bebê parrudo, que precisa se desmamar da mãe. Ele argumentou que não acha correto a prefeitura bancar uma festa onde quem mais lucra são Liesa, a TV Globo, a Ambev e a rede hoteleira. Finalizou dizendo que o carnaval tem que ser financiado totalmente pela iniciativa...
Leia mais

Três encontros com Beth

Beth Carvalho era uma personalidade facilmente encontrada e disponível. Não era difícil eventualmente vê-la pela cidade em rodas de samba, quadra de escolas, blocos carnavalescos, atos políticos e em locais tipo o Bar Bip Bip, em Copacabana, no antigo Encontros Cariocas, no Centro do Rio e em estádios de futebol torcendo pelo nosso Botafogo. Para mim, não obstante as incontáveis ocasiões em que a assisti em shows a avistei pelas andanças da vida, três vezes especialmente se tornaram inesquecíveis. A primeira vez que vi a madrinha do samba pessoalmente foi nos idos do carnaval de 1983. Desfilava o Clube do Samba pela avenida Rio Branco e Beth, radiante e bela, lá estava à frente do bloco, ao lado do presidente e fundador João Nogueira, levando no colo sua filha Luana, ainda bebê. Junto com vários sambistas conhecidos, entoava o refrão de protesto naqueles tempos de ocaso do regime militar e empréstimos do FMI, o Fundo Monetário Internacional: "Ai ai...
Leia mais

Novo racha no mundo do samba

Na última semana, o mundo do samba vivenciou o ápice de uma crise que vem se desenrolando há algum tempo. Ela envolve as escolas de samba do grupo de acesso e a entidade que as representa: a Lierj - Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro. O imbróglio tem como pivô nove agremiações descontentes, que queriam mudanças na direção da entidade. Após perderem uma ação judicial, que resultou na permanência do presidente Renato Martins, o Thor, no comando da Lierj, as escolas se rebelaram e anunciaram a criação de uma nova associação representativa: a Liga - Liga Independente do Grupo de Acesso. O presidente da entidade original contra-atacou e numa dura nota acusou os dissidentes de buscarem o poder a qualquer custo, além de serem manipulados por dirigentes de uma outra associação, a Liesb - Liga das Escolas de Samba do Brasil, que comanda os desfiles das pequenas escolas da avenida Intendente Magalhães. Esta disputa...
Leia mais
http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e