Curtindo Adoidado

Cinema em casa para relaxar

No entanto, muitas pessoas estão procurando filmes do tipo apocalipse epidêmico, o que talvez não ajude a relaxar e venha a causar mais ansiedade. E um dos motivos principais para não assistir tais filmes nesse momento, é que geralmente são roteiros carregados no exagero, mesmo quando inspirados em informações reais. Tudo porque o objetivo do roteirista em filmes do tipo apocalipse epidêmico é gerar altas doses de tensão e drama e nada melhor que usar a licença poética na criação de roteiro para exagerar em absolutamente tudo. Os roteiristas vão exagerar na proporção de tudo que puder, umas mais, outras menos. Seja fazer um vírus que causa mutação genética e transformar infectados em zumbis, até uma absurda contaminação em segundos. Por isso, talvez o melhor a fazer é relaxar com gêneros em que o exagero não vá causar tanta ansiedade, como as comédias, os exageros são para fazer o público rir, ou filmes de ação, onde o exagero sempre será...
Leia mais

Não se fazem mais bruxas como antigamente, nem bruxos

No início do cinema, seguindo a linha da literatura mundial, de autores como os Irmãos Grimm, as histórias que envolviam bruxas geralmente retratavam mulheres horrendas ou que usavam a magia para esconder sua face maligna. Foi com o autor L. Frank Baum, escritor, editor, ator, roteirista e produtor de cinema que as bruxas começaram a ser retratadas de uma forma um pouco diferente, graças ao sucesso do livro 'O Maravilhoso Mágico de Oz', publicado em 1901, e adaptado para o cinema em 1939. Valendo destacar o fato de que antes do filme ser produzido, o livro já tinha um versão musical para o teatro que ficou na Broadway, em New York, de 1902 até 1911. 'O Mágico de Oz', filme dirigido por Victor Fleming e com roteiro escrito pelos roteiristas Noel Langley, Florence Ryerson e Edgar Allan Woolf, é um filme musical que, além de um dos primeiros filmes em Technicolor, não só soube usar brilhantemente a nova tecnologia cinematográfica,...
Leia mais

O poder do título certo de um filme

Uma das coisas que ainda hoje dá muita dor de cabeça para uma produção cinematográfica é o título do filme. Tudo porque é no nome que você pode ter um trunfo na hora de atrair o público geral às salas de cinema. Nem sempre quem vai ao cinema ver um filme já viu trailer, tampouco é cinéfilo que sabe de todas as produções em cartaz. Em boa parte dos casos o público geral vai escolher o filme no dia ou mesmo na hora que vai assistir. Passeando em um shopping sem compromisso e sendo atraído para o cinema por conta de um cartaz atraente. É nessa fração de segundo que o nome pode fazer uma enorme diferença, atraindo não só alguém que em outras circunstâncias não veria determinado filme, como tendo a chance de conquistar um novo público. Um conhecido exemplo do poder de um nome é da produção 'Se Beber, Não Case!', de 2009, e nem se trata do...
Leia mais

Uma breve história sobre a principal premiação do cinema mundial

Criada na década de 1920, a mais famosa premiação do cinema já teve altos e baixos, mas atualmente o Oscar é considerado o principal prêmio do cinema em todo mundo. A primeira cerimônia ocorreu em 16 de maio de 1929, em Los Angeles, Califórnia, Estados Unidos, premiando produções do cinema dos anos de 1927 e 1928. A premiação foi organizada pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas (Academy of Motion Picture Arts e Sciences), grupo da indústria cinematográfica, sem fins lucrativos, criado por 36 personalidades mais importantes da época. A cerimônia passou a ser realizada anualmente e entre os prêmios estavam de melhor filme, direção, ator e atriz, entregues inicial em jantares realizados em hotéis de Los Angeles. As primeiras cerimônias de entrega do Oscar foram transmitidas ao vivo pelo rádio e em 1953 houve a primeira transmissão pela TV. Foto: Divulgação O prêmio oficialmente é chamado de "Academy Award of Merit", mas ganhou o apelido de Oscar, o qual ninguém sabe...
Leia mais

Aprendendo com o cinema

Uma questão eterna é sobre o cinema ser mais que entretenimento. Tanto que vários cineastas já buscaram fazer do cinema pura arte, com a produção de filmes focados em fotografia e estética cinematográfica. Assim como os que produzem filmes documentais, que focam no trabalho de pesquisa e exposição de um determinado assunto. No entanto, não precisa fazer dos filmes documentais algo extremamente didático para ensinar. Bem como não só os filmes didáticos podem ter seu valor educativo. Porque as produções com o objetivo de entretenimento também podem ensinar. Bem escritos, com textos divertidos, filmes de entretenimento também ensinam, sem deixar de entreter. Um curioso exemplo é o filme 'Serpentes a Bordo' (Snakes on a Plane, 2006), um filme de terror feito aos moldes do cinema catástrofe, onde a ação se passa em um avião, durante uma viagem entre Hawaii e Los Angeles, que corre risco de queda. Foto: Divulgação Durante toda a trama o público não só se diverte com Samuel L....
Leia mais

Dos palcos para as telonas

Tem algum tempo que produções de cinema estão ganhando versões para o teatro, como foi o caso de 'A Família Addams', que inclusive teve uma versão da peça feita para os palcos brasileiros. Por conta disso, acharam que o inverso também valia ser feito. No entanto, o contrário é um pouco mais complexo que adaptar um roteiro de teatro para o cinema, porque ao formatar para o teatro, em geral, precisa resumir o texto. Já quando um roteiro de teatro é adaptado para o cinema, geralmente vão precisar de cenas extras para compor uma narrativa coerente e é aí que surgem os problemas. Dois ótimo exemplos da dificuldade de adaptar do teatro para o cinema são os recentemente lançados 'Minha Mãe é uma Peça 3' e 'Cats'. Sucesso do teatro, a franquia iniciada com o filme baseado em 'Minha Mãe é uma Peça', um monólogo que ganhou uma adaptação cinematográfica em 2013, que em seu terceiro filme conclui a história de...
Leia mais

Produções Cinematográficas Natalinas no Brasil

Quando a época do Natal chega, o cinema, assim como a TV e, atualmente, os streamings, busca focar em produções natalinas repletas de mensagens de boa vontade e paz na Terra. No entanto, curiosamente, não são filmes como os clássicos natalinos 'Milagre da Rua 34', 'Natal Branco' ou mesmo 'A felicidade não se compra' que são populares no Brasil. Enquanto nos cinemas brasileiros o romântico filme natalino 'Uma segunda chance para amar' faz o público pensar em coisas da vida, na TV são sucessos do cinema como os dois primeiros filmes da franquia 'Duro de Matar' e 'Gremlins', com sua sequência, que dão o pontapé inicial na programação de fim de ano nos canais brasileiros. Mostrando que no Brasil os clássicos natalinos tem que ter mais que luzes de Natal e diálogo inspiradores. Foto: Divulgação Enquanto isso, nos streamings, as doses de ação e terror são substituídas por dose de comédia e o clima de Natal conta com destaques como o segundo...
Leia mais

As Panteras no cinema, na TV e em todo lugar

A série de TV 'Charlie's Angel', que no Brasil ganhou o nome de 'As Panteras' estreou nos Estados Unidos na década de 1970 e ganhou o mundo. No Brasil, 'As Panteras' também foi sucesso e atualmente a série é reprisada na TV com a dublagem original da época, sendo mais popular que os dois primeiros filmes efeitos para o cinema, 'As Panteras' (2000) e 'As Panteras Detonando' (2003). Esse ano, as Panteras retornam aos cinemas mundiais em uma nova produção que não é só inspirada na série dos anos de 1970, mas que dá continuidade às histórias mostradas no cinema. O novo filme não é um remake e também não é um reboot, 'As Panteras' (2019) é uma continuação das histórias, tendo uma trama totalmente nova e atual. Foto: Divulgação O roteiro conta uma história original, mas que consegue criar links que reúnem, tanto a trama da TV como a do cinema, apresentado uma nova geração de Panteras, cerca de 40 anos desde...
Leia mais

As Mulheres do diretor de cinema Paul Feig e seu novo filme

Muito conhecido pelo filme 'Missão Madrinha de Casamento' e mais recentemente pela polêmica de ter tornado todo o quarteto principal do remake de 'Caça-fantasmas' em mulheres, o diretor Paul Feig parece ter um talento nato de fazer filmes com foco no público feminino, carregado de boas doses de drama e também comédia. No entanto, não são produções com aquele conhecido estereótipo "história de mulherzinha", o diretor não usa conceitos pejorativos para fazer graça, muito menos drama. As mulheres de seus filmes não são super, tão pouco cartunescas. São mulheres bem realistas, mulheres que podemos encontrar nas ruas das cidades, mulheres que podem ser uma mãe, uma tia, uma avó, uma prima, uma irmã ou mesmo uma amiga. O diretor cria situações das mais variadas em seus filmes, para o choro ou as gargalhadas serem inevitáveis. Alguns críticos insistem em dizer que Paul Feig abusa nas piadas, como seria o caso de 'Missão Madrinha de Casamento', mas ao fazer comparações a...
Leia mais

A Família Addams no cinema

Criada pelo desenhista Charles Addams, a família que leva o sobrenome de seu criador se destacou por seus personagens peculiares, os quais em toda sua estranheza mostravam mais empatia, caráter e gentileza que as ditas pessoas "normais". Uma crítica, carregada de ironia, a sociedade que prega a padronização de tudo, até do comportamento das pessoas. Nascidos em tirinhas publicadas no The New Yorker em 1937, a Família Addams era composta inicialmente por Gomez, Morticia, Tio Chico, Tropeço, Vovó, Vandinha, Feioso e o Mãozinha. Uma família rica com comportamento considerado excêntrico, a qual o estilo macabro chocava aqueles que tinham que interagir com eles. Ao mesmo tempo que os personagens chocavam e divertiam os leitores, também mostravam de forma interessante um ponto de vista que questionava a diversidade, décadas antes do assunto se tornar pauta mundial. A publicação das tirinhas de Charles Addams foi bem sucedida no The New Yorker na década de 1930, mas sua estranha família só ganhou destaque...
Leia mais
http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e