Culturalizando

Não podemos perder a fé

Ninguém sabe onde isso vai parar ou acabar. Todos precisam de uma luz no fim de um túnel que se apresenta sem saída. Em quem podemos ou devemos apoiar.  Setembro em breve estará terminando e o que restará para o fim deste ano? Eu sei, mais três longos meses de incertezas e medo. E temos algum remédio para amenizar os estragos? Acredito que não, ou melhor, temos a fé. Isso mesmo, podem achar que estou levando nossa esperança para esferas espirituais, mas é exatamente isso. O ano de 2020 se tornou um espaço no tempo em que paramos para um ano sabático. Mas todos ao mesmo tempo? Como parar o planeta com todos repensando suas vidas e seus projetos? Estranho, mas foi mais ou menos isso que aconteceu por um certo tempo. De março até setembro nos deparamos com muitas incertezas e desconfianças. Paramos para ver se continuaríamos. Brigamos para saber quem estava certo. Ignoramos o óbvio por pura vaidade...
Leia mais

Hora de transformar o cinza em azul

Mudanças são sempre mudanças. Nos levam à comodidade e nos mostra a possibilidade. Mudamos sempre em relação a tudo que nos cerca quase que instantaneamente e nem percebemos, mas sofremos e levamos muito a sério quando a mudança é programada. Nos adaptamos diariamente e quase que por osmose a tudo que permitimos e desejamos. Agora, quando o assunto é mudar com data e hora, aí a coisa complica. Essa semana me permitir a mudar a cor do meu fundo de tela, já estava cansado do vermelho que abria toda vez que iniciava meu notebook. Mudei para o amarelo, aliás, são as duas cores que eu mais gosto. E não é porque são primárias não, apesar de eu me identificar com cores fortes. Mas essas duas cores representam força, energia e poder. Está explicado o meu total apreço por essas duas cores. Mas, voltando ao notebook, mudei porque já estava na hora. Gosto de mudar as coisas antes...
Leia mais

Como diz Sheldon Cooper: Uma bebida quente para quem está preocupado

Sentei em frente ao notebook e fiquei pensando no que escrever e de repente um branco invadiu minha mente. Não saiu nada. Quando parecia que iria fluir um assunto, logo percebia que o mesmo não vingaria mais que duas ou três linhas. Mas o que está acontecendo comigo? Será que a escassez de ideias começou? Será que a partir de agora ficarei entregue a lapsos de pensamentos? Logo eu, que tenho memória eidética? Bem, não vamos entrar em pânico, pois pode ser apenas um bloqueio temporário. E continuei por mais de hora sentado e olhando fixamente à minha frente e não vendo nada atrás do pote de ouro. Por fim, resolvi levantar e buscar ums caneca de cappuccino de baunilha, o meu preferido. Às vezes acredito que quando nos falta inspiração devemos buscá-la em algo. E lá fui eu beber uma bebida quente, como diz o Sheldon Cooper em The Big Bang Theory. Me deu uma saudade...
Leia mais

O ano que ainda não começou

Já estamos quase terminando o ano e o que fizemos? Essa pergunta venho me fazendo faz algum tempo e não consigo encontrar uma resposta plausível. Será porque não existe? Ou se existe, está difícil de acreditar? Não sei. Sinceramente. A única sensação que tenho é de que 2020 ainda não começou. Isso tudo é um grande sonho que ainda não acordamos para entrar realmente no ano. Uma coisa que me faz crer nessa hipótese é o fato de ter dias em que acordo e não consigo lembrar que dia é realmente. Já acordei domingo achando que era terça e que quarta era sexta e por aí em diante. No início o sono era mais real, talvez por eu estar mais livre de horários e dormindo mais que o normal ou mesmo trocando os horários. A fase REM (sigla em inglês para movimento rápido dos olhos), em que a nossa atividade cerebral se torna similar a de quando...
Leia mais

Agosto já começou com desgosto

E já estamos em agosto e o ano praticamente dando os sinais de que em breve estará nos deixando. E como nos deixou. Na verdade nos deixou totalmente destruídos. E digo isso em todos os sentidos da palavra. Conheço muitas pessoas que dizem que poderíamos tirar do nosso calendário o ano de 2020 e não faria a menor diferença, exceto pelas tragédias que não anunciou e nos permitiu vivenciá-las. Pobre de nós que viramos o ano na esperança de dias melhores e nos deparamos com isolamento e perdas. Além de disputas e orgulhos que não nos deram a proteção e o suporte que precisávamos para seguir em frente. Hoje nos encontramos à deriva de um navio que está perto de virar e afundar de vez. A esperança de que isso não ocorra esbarra na mentalidade de quem o conduz. E quem na verdade está no leme? Acho que ninguém sabe. O homem conseguiu neutralizar sua própria percepção e instinto...
Leia mais

É na madrugada que a inspiração aparece

Quem trabalha à noite tem a oportunidade de pensar mais e avaliar sua vida. A famosa frase "enquanto descanso, carrego pedra." Meu primeiro emprego foi na antiga Curt (Laboratório fotográfico). Meu horário era das 16h às 02h. Foi aí que comecei a perceber o quão importante é a noite para todos nós. Ao contrário dos que pensam que a noite foi feita para dormir, eu acredito que nossa mente trabalha melhor a noite ou pelo menos de uma boa parte da população mundial. Há algumas décadas percebemos que o trabalho noturno ganha força e mais empresas expandem seus negócios para mais um turno. É verdade que um fator vital para esse modelo é sem dúvida o aumento da população mundial e a necessidade de atender a todos. O tempo ficou curto e não conseguimos dar conta de tudo nas 15 horas que temos normalmente ativas. Isso, me baseio nas pessoas que acordam às 7 horas da manhã e...
Leia mais

Se juntarmos os anéis ainda seremos felizes

Conversando com meu grande amigo Juarez Botelho essa semana, pude perceber o quão importante é, guardarmos referências infantis. Isso mesmo, memórias de bolas de gude. Às vezes não nos damos conta, mas muitas coisas que vivemos ainda na infância pode fazer uma diferença enorme quando já passamos dos "entas". E durante a conversa nos lembramos de momentos especiais de uma época que agora só existe em nossas memórias. Tenho uma memória eidética e muitas vezes sou solicitado para elucidar duvidas ou trazer nem que por alguns instantes riquezas de detalhes de algo que ficou na saudade. Mas como estava falando sobre o papo com o Juarez, lembrávamos de uma época em que vivíamos sem preocupações e somente para a diversão e alegria. Lembro-me que sempre fui um aficionado por TV. Assistia a desenhos animados e séries desde os meus 3 anos de idade e até hoje lembro de alguns episódios que marcaram minha infância. Tenho meus desenhos...
Leia mais

Quarentena sem dilema

Ainda falando sobre a pandemia e suas consequências, o que pensar sobre o retorno à "nova normalidade"? Já temos algumas cidades e até estados que já começaram a flexibilizar o retorno ao trabalho e a aberturas do comércio. O que me causa preocupação é o critério utilizado. Os governantes dizem que são baseados em informações de especialistas e com aval da OMS (mas não é ela mesma quem se confunde nas posições tomadas?) que as medidas estão sendo tomadas. Que bom, assim aos poucos voltaremos a rever pessoas e almoçar no restaurante preferido e curtir aquele barzinho especial no happy hours. Já estou aqui me imaginando na situação. Não vejo a hora de isso acontecer. Os governantes dizem que são baseados em informações de especialistas e com aval da OMS (mas não é ela mesma quem se confunde nas posições tomadas?) que as medidas estão sendo tomadas. Que bom, assim aos poucos voltaremos a rever pessoas e almoçar no...
Leia mais

O Homem da capa – parte 2

E eis que meu amigo Juarez Botelho deu o ar da graça novamente. Essa semana ele me ligou e batemos um longo papo, na verdade passamos horas conversando. Tentando colocar a conversa em dia, mas ainda não deu. Foram muitos anos com quase nenhum contato. Ele esteve fora mais de uma década. E só agora, diante da pandemia, ele resolveu voltar para o Brasil e ficar ao lado da família. Bons tempos aqueles, em que todos os dias nos víamos e conversávamos sobre tudo. A sua ida para Europa coincidiu com primeira pandemia da H1N1. Fiquei preocupado com sua ida para a França, mas como ele precisava ir, não havia outro jeito se não... rezar. Juarez é uma espécie de irmão que a vida me deu. Um parceiro que sempre esteve comigo nos melhores e piores momentos. Sempre me deu importantes conselhos e dicas através de sua experiência de vida. Na verdade, Juarez Botelho é meu ídolo. Sou...
Leia mais

Chegou a hora de viver um novo Re…começo

E parece que as coisas estão querendo voltar a um "novo" normal. Será que eu entendi direito? "Novo normal. O que é isso? Uma espécie de nova era? Nova fase de um game? Acho que não, parece mais uma forma que achamos de tentar dar nome a nova etapa que o planeta irá começar a partir de agora, que se deu início com a descoberta do novo coronavírus e a pandemia que se alastrou pelo mundo no ano de 2020. Parece até um roteiro de filme do Steven Spielberg. Estamos realmente presenciando uma nova perspectiva de vida na Terra e isso requer tempo para adaptação. Ao contrário dos filmes, a sociedade precisa de um tempo maior para decorar suas falas e seu posicionamento na cena seguinte. Isso exigirá muita determinação e talento. Talento que faltou até agora em nossos governantes para que chegássemos ao novo milênio mais amáveis e sensíveis. Isso é o que mais preocupa no momento: a...
Leia mais
http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e