Culturalizando

Nessas horas o melhor é curtir sua música preferida

 Me arrumo e desço para pegar um sol e só rostos escondidos temendo o pior. Como diz um amigo, "que fase". Abril chegou e a vontade de que as coisas mudem é muito intensa. Mas o que fazer? São tantas as possibilidades, mas que acabam bloqueadas por medidas nem sempre inteligentes ou mesmo que façam sentido. Ainda aguardo pela vacina que espero que encontre meu braço e não qualquer outro lugar. Enquanto a hora não chega que tal a distração? Ou mesmo o entretenimento? Eis que a dúvida paira no ar. Bem, agora eu fiquei confuso. Quero uma distração ou entretenimento. As palavras aparecem como sinônimas em muitas coisas, mas será que distrair com o intuito de desviar a atenção é a mesma coisa que entreter se divertindo com algo? Está aí uma boa oportunidade para conversarmos sobre o tema. A verdade é que distração é sinônimo de entretenimento, mas o mesmo não é sinônimo de distração. Essa diferença...
Leia mais

A cíclica da Semana Santa

Estamos entrando na nossa segunda Semana Santa de quarentena. E o que falar disso? Quando pensávamos que seria apenas um período que ficaríamos presos, isolados e mal pagos, eis que como diria um certo ex-presidente da República, que "forças ocultas" fariam com que esse mal se alastrasse por mais um ano. falo aqui como cidadão que paga seus impostos e age dentro da lei e civilidade. Mas o que faremos? O que nos espera lá na frente? Como sairemos desse problema de saúde? Já me fiz diversas vezes essas perguntas e até hoje não encontrei uma resposta capaz de acalmar os ânimos e crer no amanhã. Parece nome de programa religioso, mas é a única tábua de apoio que encontrei para lidar com o assunto. Morte, palavra que todas as famílias ou quase todas do Brasil já ouviu nesses quase 13 meses de Covid-19 em nosso meio. [caption id="attachment_127113" align="alignright" width="295"] Crer, amar, cuidar. Se possível , acreditar.[/caption] Já vivemos todas...
Leia mais

Assim falou Zaratustra…

Se é verdade essa teoria, imagino que somos seres pouco evoluídos, pois até hoje não conseguimos aprender muita coisa. Como havia falado semana passada sobre a coluna que trazia inúmeras possibilidades de debates de ideias e opiniões sobre temas nem sempre levados à sério por nós. Resolvi falar um pouco mais sobre cada um nas próximas colunas. E hoje vou começar com um tema bastante interessante e que a cada dia carrega novos adeptos e pessoas que começam a estudar tais possibilidades. [caption id="attachment_126906" align="alignright" width="209"] De onde viemos, para onde vamos?[/caption] Como diriam os teóricos dos "Antigos Astronautas", nós viemos para cá trazidos por alienígenas inteligentes e nos deram suporte e condições de propagar a raça humana na Terra. Teoria que ganha corpo a cada questionamento para se entender de onde viemos e para onde vamos. Assunto para mais de um cafezinho naquele fim de tarde na varanda de uma casinha no interior do Brasil, onde o cheiro do mato...
Leia mais

O início do fim? Ou clareza dos fatos?

O mundo anda tão complicado por aqui que não me surpreendo em nada com novas informações que nos tem chegado através de documentos (verdadeiros ou fake) que a internet solta a cada semana sobre vários assuntos. Não estou falando sobre política ou coisa parecida. O negócio vai muito além de nossa imaginação. Ets, Ovnis, aparições sem explicações, espíritos vistos por algumas pessoas, enfim, o que não falta é novidade. O assunto é muito interessante e desde os primórdios da humanidade existe interesse. Pessoas acreditam em muitas coisas e por isso são taxadas como “loucas” ou simplesmente desacreditadas. Eu acredito em coisas que não podemos explicar. Acredito em teses e teorias, mas e você? Entre o céu e a terra existem coisas que nossa imaginação duvida. Não falo isso para impressionar, não, falo por acreditar que nossa mente não trabalha apenas 10% de sua capacidade. Imagina o que poderíamos com 20%? Frequentemente vemos na internet vários vídeos sobre aparições e revelação...
Leia mais

Setenta e quatro anos e ainda esperamos uma resposta

O ano era 1947, Roswell, Novo Mexico, EUA. Destroços de uma espaçonave caem e as autoridades americanas tratam de abafar o evento. Um fato verdadeiro, pois aconteceu. Os EUA dizem que foi uma sonda.  Não é de hoje que as teorias sobre extraterrestres e viagens até a Terra são contadas por pessoas comuns. Eu já tive a oportunidade de entrevistar um homem que foi abduzido por alienígenas aqui no Brasil. A história não diverge das tantas que estamos acostumados a ouvir. A diferença é que a idoneidade dele nos deixa intrigado com a possibilidade de ser real a sua história. Mas voltando ao ano de 1947, quando a suposta aeronave alienígena caiu sobre Roswell, a população estava certa que se tratava de extraterrestres que por algum motivo acabaram sofrendo um acidente e caíram na terra. As autoridades negaram antes e negam até hoje. Talvez para não alarmar a população terrestre ou mesmo para não deixar que o mundo confirme que...
Leia mais

A vacina e o Zepelim

E o carnaval já acabou sem mesmo ter começado. Essa é a sensação que eu tenho, pois segui a risca o isolamento nesse período e não saí da casa, aliás, não tenho saído faz um tempo. Ainda bem que tenho máquina para cortar meus poucos cabelos. É verdade, mesmo para mim que quase não tenho, se deixar crescer fica muito estranho. E por falar nisso, acho que está na hora de cortar novamente. Mas voltando ao Carnaval, esse ano ele ficou muito parecido com a famosa viúva Porcina, interpretada pela atriz Regina Duarte, na novela Roque Santeiro, de 1985 na Rede Globo. Na ocasião ela era a "viúva sem nunca ter sido", uma referência a ser reconhecida como a viúva de Roque Santeiro, personagem vivido pelo saudoso José Wilker. Na trama de Dias Gomes, ela nunca havia se casado com o Roque. Por motivos escusos, ela se passou a viúva, pois assim a história de Roque ganharia mais veracidade. Depois...
Leia mais

Pra você que não vai viajar, foi a melhor escolha!

Um Carnaval virtual em tempos de pandemia é a melhor opção. A suspensão do carnaval de rua, blocos e escolas de samba, além de bailes em clubes, fará desse Carnaval uma espécie festa íntima. Isso porque algumas pessoas levarão a sério o risco de contágio da COVID19 e farão de tudo para se isolarem em suas casas com seus familiares, ao passo que boa parte sairá a todo vapor atrás de um trio elétrico que não vai passar, e o que encontrar ao final será uma quarta feira "negra". Estou aqui com meus botões aguardando os acontecimentos. Parece que a população ainda não percebeu que a cada evento e aglomeração, as coisas só pioram e muitas pessoas falecem, até mesmo sem ter participado de tamanha irresponsabilidade. Sei que vivemos num mundo altamente competitivo e veloz. Vejo também que de nada vai adiantar colocar os carros na frente dos bois nesse momento porque podemos não ter tempo de...
Leia mais

A luz que se apagou no fim do túnel

Venho aqui para lembrar um pedaço da história moderna que fez parte da minha vida e da de muitas outras pessoas. O ano era 1981, o filme Menino do Rio arrecadava milhões em bilheteria e era a febre da juventude na época. Flamengo se encaminhava a se sagrar campeão mundial de clubes no Japão, Pelé recebia o título de atleta do século, iniciava-se o processo de abertura política aqui em terras brasileiras, era criado pelo então presidente da República João Batista Figueiredo o Estado de Rondônia, entre tantas outras coisas. Mas um evento ganharia o planeta e se tornaria um ícone mundial, o casamento do príncipe Charles e a Lady Diana. 29 de julho de 1981, na Catedral São Paulo em Londres, com mais de 3.500 convidados e assistida por mais de um bilhão de pessoas pelo mundo, o casamento de Diana Frances Spencer e Príncipe Charles foi um dos eventos mais assistido até hoje. Tornando-se a...
Leia mais

Do amor a razão: a globalização que esfria o homem

 Computador, celular, interatividade. Hoje não sei se viverei tanto para ver a tão sonhada descoberta da possibilidade do teletransporte. Em tempos difíceis que estamos vivendo é importante lembrar que faz pouco tempo já tivemos um mundo mais romântico e poético. Hoje me atrevo a dizer que demoraremos muito ou quem sabe jamais voltaremos a viver o que vivemos poucas décadas atrás. O mundo sofreu uma transformação sem igual nos últimos 30 anos que, ao voltarmos no tempo, jamais poderíamos imaginar tamanha transformação. Hoje acordei meio nostálgico, me peguei pensando em como tudo começou. Hoje não podemos imaginar como vivemos no passado sem a internet e seus benefícios. Isso mesmo, pois desde meados dos anos de 1990 que ela faz parte de nossas vidas e não pretendemos deixá-la nunca mais. Parece que não reconhecemos o tempo em que a única forma de interagir com as pessoas era o telefone fixo e a carta enviada pelos Correios. Que tempo, hein!...
Leia mais

Entre Deus, a vida e o Coach – O recomeço é certo

Hoje é um daqueles dias em que você olha as notícias e pensa em algo diferente para escrever e nada lhe vem à cabeça. Será porque as notícias são sempre as mesmas? Ou será que a máxima de que o novo sempre vem é falsa? Ou o novo já nos chega velho? Enfim, o fato é que comecei a digitar essas linhas e não consegui pensar em nada capaz de prender a sua atenção. Será que o problema sou eu? Será que a escassez, palavra da moda para muitos "coaches" chegou e agora me deixou sem assunto? Vou ligar meu sinal de alerta. Acho que vou ligar para o meu amigo Juarez Botelho, afinal, ele sempre me salva com suas histórias interessantes. Pensando bem, ele já deve estar de saco cheio de minhas ligações nas madrugadas para extrair algo novo e mostrar para vocês. Já sei, vou escrever sobre a estreia da nova novela da Rede Record,...
Leia mais
http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e