Conexão Ténorio

In Memoriam: Roger Michell (1956-2021)

Filho de um diplomata, Roger Michell nasceu em 5 de junho de 1956 na África do Sul e viveu sua infância em Beirute, Damasco e Praga antes de retornar ao Reino Unido. Começou a carreira no teatro e na televisão, onde dirigiu séries e filmes. Reprodução / dafilms.com Ele fez a transição para as telas no começo dos anos 1990, dirigindo a minissérie ‘‘Downtown Lagos’’ (1992) para a BBC e consagrando-se no ano seguinte com a enormemente aclamada ‘‘The Buddha of Suburbia’’ (1993), adaptação do romance homônimo de Hanif Kureishi estrelada pelo então jovem Naveem Andrews (‘‘Lost’’). Michell também dirigiu o clipe da música-tema da atração, composta por ninguém menos que David Bowie. Em seguida, assinou seu primeiro longa televisivo, ‘‘Persuasion’’, adaptação do romance homônimo de Jane Austen, que venceu o BAFTA, troféu da Academia Britânica de Artes Cinematográficas e Televisivas, como Melhor Telefilme de 1995. O Pipoca Moderna recorda que a repercussão positiva dos trabalhos na TV o levou ao cinema....
Leia mais

Wes Anderson: conheça os principais filmes do cineasta

Wes Wales Anderson nasceu em 1 de maio de 1969, em Houston (quarta cidade mais populosa dos Estados Unidos) no estado estadunidense do Texas, é o segundo dos três filhos do publicitário Melver Leonard Anderson e da arqueóloga Texas Ann Buroughs. Wes foi educado na escola St. John’s School, que mais tarde serviu de locação para as filmagens de seu segundo longa-metragem, ‘‘Rushmore’’ (1998), ingressou na Universidade do Texas, onde estudou filosofia e viria a conhecer seu maior parceiro cinematográfico, Owen Wilson. Ainda no período universitário, os dois produziram curtas e entre eles estava ‘‘Bottle Rocket’’ (1994), estrelado por Owen e seu irmão, Luke Wilson. Este curta-metragem foi muito bem recebido no Festival de Sundance e deu origem a um longa de mesmo nome, que em nosso país foi lançado em 1996, com o título de ‘‘Pura Adrenalina’’. O filme não se tornou um campeão de bilheterias, mas ganhou uma audiência cult, a ponto de ter entre seus admiradores...
Leia mais

‘Jurassic World 3’ promete retornar às raízes da franquia

Jurassic World: Dominion, terá a oportunidade única de retornar a franquia às raízes sci-fi do filme Jurassic Park original (1993). O diretor Collin Trevorrow deixou claro que este novo filme encerrará quase três décadas de narrativas movidas a dinossauros e, embora poucos detalhes sobre a história de ‘‘Jurassic World 3’’ sejam conhecidos, Dominion será um thriller de ficção científica que explorará os riscos do poder genético e da arrogância humana.  Em tese, isso abre as portas para o mais recente filme da sequela ‘‘Jurassic World’’ incorporar temas de ficção científica de uma forma que as sequências anteriores não incorporaram. Os filmes da trilogia ‘‘Jurassic Park’’ (1993 - 2001) e da sequela ‘‘Jurassic World’’ (2015 - 2022), é claro, sempre apresentaram elementos de ficção científica. Contudo, nesse contexto, em uma história que envolve criaturas pré-históricas sendo ressuscitadas nos tempos modernos por meio de experimentação genética e clonagem, uma ajuda generosa para contar histórias inspiradas na ciência é obviamente necessária. Nisso, enquanto a franquia está...
Leia mais

4 filmes para conhecer o estilo glauberiano

No dia 22 de agosto de 1981, o Brasil perdia um de seus melhores cineastas, o polêmico, lendário e brilhante Glauber Pedro de Andrade Rocha (1939-1981), o grande Glauber Rocha. Rocha figura entre os expoentes do Cinema Novo, movimento que, na década de 1960, propunha um cinema engajado na realidade do país e voltado para a transformação da sociedade. Glauber Rocha nasceu em Vitória da Conquista (BA) em março de 1939. Em 1947, mudou-se para Salvador e começou a participar do teatro da escola. Rocha frequentou a Faculdade de Direito da Bahia, hoje a Federal, onde participou de um grupo de cinema amador. A informação é do site Omelete. Reprodução / Plano Crítica O gênio baiano iniciou sua notável e inesquecível carreira em 1958, com o curta-metragem “O Pátio”, uma produção experimental de poucos recursos. Como lembra o Omelete, seu primeiro longa, “Barravento”, veio em 1961. A obra dele foi realizada no período que antecede ao golpe militar de 1964 e se estende à...
Leia mais

A teocracia retrofuturista de ‘‘A Bússola de Ouro’’

O enredo de ‘‘A Bússola de Ouro’’ (2007), de Chris Weitz (‘‘Lua Nova’’ – Saga Crepúsculo) decorre num mundo paralelo, em uma teocracia retrofuturista onde a energia vem do âmbar, as viagens são feitas de balão e zeppelin (um tipo de aeróstato), há ursos polares inteligentes que governam Svalbard (um arquipélago norueguês do ártico), e a alma de cada humano tem um equivalente animal chamado de ‘daemon’. Divulgação Na época do lançamento, um fato levou ao desespero certos católicos do planeta não foi a (falta de) qualidade do filme, e sim uma instituição que aparece na obra escrita e no longa, o ‘‘Magistério’’. Na obra de Philip Pullman, ele é descrito explicitamente como uma igreja poderosa que atua na intenção de controlar e cercear o livre pensamento dos habitantes de um mundo paralelo ao nosso. Um editorial publicado pelo G1, em 25/12/2007, destacou que a polêmica surgiu pelo fato de que, nesse ambiente imaginário, o poder está nas mãos do Magistério...
Leia mais

“Estado de Sítio” um filme necessário em tempos de ruptura

Em texto publicado no site da Fundação Getúlio Vargas (FGV), a historiadora e especialista em relações internacionais Alexandra de Mello e Silva contextualiza que a Guerra Fria teve suas origens nas divergências entre EUA e URSS ainda durante a Segunda Guerra Mundial e se instalou definitivamente a partir de 1947, quando as diferenças entre os dois países, que emergiram da guerra não apenas como os grandes vencedores, mas também como duas superpotências mundiais, adquiriram o caráter de um conflito permanente. Tratava-se de um conflito de natureza principalmente estratégica e militar, mas que se revestia também de aspectos econômicos e político-ideológicos, opondo, de um lado, um bloco capitalista, cujo modelo de organização política tendia a ser a democracia, e, de outro, um bloco socialista, cuja organização político-social reproduzia, em maior ou menor medida, o socialismo autoritário vigente na URSS. Ricardo Flaitt, assessor de imprensa da Federação dos Metalúrgicos do Estado de São Paulo e colaborador no Centro de Memória Sindical reitera...
Leia mais

Na despedida de Daniel Craig, conheça todos os atores que deram vida ao agente mais famoso do MI6

Os filmes do agente inglês 007 representam uma das franquias mais populares e lucrativas do cinema, essa que tem como temática principal a ação do agente secreto James Bond. Em termos de arrecadação, só fica atrás de Harry Potter, Star Wars e do Universo Marvel (o MCU), nessa ordem. Em 60 anos, os 24 filmes de James Bond fizeram quase US$ 7 bilhões em bilheteria – fora a grana que vem de merchandising das dezenas de marcas que brigam para conquistar um espaço ao lado do agente britânico. Ao longo de 60 anos, o personagem teve 6 interpretes. Reprodução / SPINOFF "007 – Sem Tempo Para Morrer", filme mais recente da franquia, marca a despedida do ator Daniel Craig que interpretou o icônico espião James Bond durante 15 anos em 5 filmes. Craig entra para a história como o ator que mais tempo passou a serviço de sua majestade sob a alcunha de 007, superando ícones do cinema como...
Leia mais

Documentário ‘A Braskem passou por aqui: A catástrofe de Maceió’, a crônica do maior desastre em curso do Brasil

O documentário conta com a direção do escritor, cineasta, teatrólogo, e ativista argentino naturalizado brasileiro Carlos Pronzato. O argentino possui uma célere filmografia que inclui filmes e documentários que exploram diversas situações e dramas brasileiros. O expoente do país do eterno Maradona (1960-2020), já dirigiu mais 70 documentários. Como lembra o Sindicato dos Servidores Públicos Federais da Educação Básica e Profissional no Estado de Alagoas (Sintietfal), ao longo de sua trajetória, o cineasta coleciona diversos prêmios sobre temas distintos, como do Conselho Latino-Americano de Ciências sociais, em 2008; O “Roberto Rossellini”, em 2008 na Itália; e “Liberdade de Imprensa”, pelo Jornal Tribuna da Imprensa Sindical, em 2017, no Rio de Janeiro. Foto: Marco Aurélio Martins Pronzato acredita na força do resgate da memória para renascer revoltas populares, esse renascimento é abordado com excelência no documentário “A Braskem passou por aqui: A catástrofe de Maceió”. Sobre a ligação entre memória e resistência, em entrevista concedida em 2020 à Katia Marko e Fabiana Reinholz, do Brasil...
Leia mais

In memoriam: Jean-Paul Belmondo o emblema da Nouvelle Vague

Nesta segunda-feira (6), a França perdeu um de seus maiores atores. Jean-Paul Belmondo, astro francês que fez fama ao estrelar filmes de Jean-Luc Godard, Claude Chabrol (1930-2010) e François Truffaut (1932-1984). A notícia foi confirmada pelo advogado do ator à agência AFP. A causa da morte não foi divulgada. Foto: REUTERS Belmondo ficou conhecido pela participação em filmes como ‘‘Acossado’’ (1960) e ‘‘O Demônio das Onze Horas’’ (1965), clássicos da Nouvelle Vague dirigidos por Godard. De acordo com o advogado Michel Godest, o ator ‘‘estava muito cansado há bastante tempo. Ele morreu tranquilamente’’. Em artigo publicado na segunda-feira (6), a agência Reuters lembrou que Belmondo mudou na década de 1960 para filmes convencionais e se tornou um dos principais heróis de comédia e ação do cinema francês. Ao longo de mais de meio século de carreira, Bébel, como era conhecido pelos amigos e fãs, foi também produtor e estrela de teatro. Em 2011, ele recebeu a Palma de Honra do Festival de Cannes, principal...
Leia mais

Perfil Glauber Rocha

Cineasta de temperamento polêmico, Glauber Pedro de Andrade Rocha é considerado o grande nome do Cinema Novo, movimento que, na década de 1960, propunha um cinema engajado na realidade do país e voltado para a transformação da sociedade. Nascido em 1939, o baiano de Vitória da Conquista já sabia, aos seis anos de idade, qual seria a sua profissão. Ainda adolescente, desenvolve uma carreira de poeta e ator. Abandona o curso de Direito em Salvador para trabalhar como crítico de cinema e documentarista. FOTO: Paula Gaitan Neste período, conhece o cineasta Luiz Paulino dos Santos (1932-2017), com quem colabora no curta-metragem ‘‘Um dia na Rampa’’. Em 1959, dirigiu seu primeiro curta-metragem, ‘‘O pátio’’. Atuou como produtor executivo de ‘‘A grande feira’’, de Roberto Pires (1934-2001), e dirigiu ‘‘Barravento’’, concluído em 1962. Glauber tornou-se o líder de um movimento que pregava um cinema autenticamente nacional, de autor, voltado para uma temática social e com preocupações com a linguagem. No Rio de Janeiro o grupo é encabeçado por Nelson Pereira dos Santos e Joaquim Pedro de...
Leia mais
http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e