Ciência e Tecnologia

Cientistas brasileiros revelam descoberta de ovos de pterossauros com embriões

O Museu Nacional, no Rio de Janeiro, apresentou os detalhes de uma descoberta na China de centenas de restos de ossos de pterossauros e mais de 300 ovos, alguns deles com embriões preservados. O achado envolveu cientistas brasileiros e chineses. Um estudo sobre o assunto será publicado na edição que começa a circular amanhã (1º) da revista Science, uma das mais conceituadas publicações de divulgação científica do mundo. De acordo com o paleontólogo brasileiro Alexander Kellner, a descoberta ocorreu em expedições realizadas em 2015 e 2016 na região de Hami, no noroeste da China. Encontrou-se no local a maior concentração de ovos de vertebrados extintos conhecida até então. Eles estavam em um bloco de pouco mais de 3 metros quadrados. "É uma das mais importantes descobertas sobre vertebrados extintos nos últimos 10 anos", avaliou Kellner. Os pterossauros são répteis voadores. Foram os primeiros animais vertebrados a desenvolverem a capacidade de voo ativo, antes mesmo das aves. Parentes próximos dos dinossauros, eles...
Leia mais

Pessoas que nunca tiveram dengue não devem tomar vacina da doença, diz Anvisa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária divulgou nessa quarta-feira (29) que o laboratório Sanofi-Aventis, fabricante da vacina da dengue, apresentou informações que sugerem que pessoas que nunca tiveram contato com o vírus da dengue podem desenvolver formas mais graves da doença caso tomem a vacina. A vacina Dengvaxia foi aprovada no Brasil em 28 de dezembro de 2015 e não é oferecida pelo Programa Nacional de Imunizações. A suspeita do laboratório, apresentada nesta semana,  ainda não é conclusiva, mas, diante do problema, a recomendação da Anvisa é que a vacina não seja tomada por pessoas que nunca tiveram dengue. Apesar de esclarecer que a vacina por si só não é capaz de desencadear um quadro grave da doença nem induzir ao aparecimento espontâneo da dengue - para isso, é preciso ser picado por um mosquito infectado -, existe a possibilidade de que pessoas soronegativas desenvolvam um quadro mais agudo de dengue caso sejam infectadas após terem recebido o medicamento. A...
Leia mais

Planeta com temperatura similar à da Terra é achado próximo ao sistema solar

Uma equipe internacional de cientistas descobriu um planeta com tamanho e temperatura similares ao da Terra, situado a apenas 11 anos-luz do sistema solar, segundo informou o Observatório Europeu do Sul (ESO). O planeta, que foi chamado de Ross 128 b, é o mais próximo já descoberto que orbita em torno de uma estrela anã vermelha inativa, o que pode aumentar a probabilidade de reunir as condições necessárias para abrigar vida, de acordo com estudo publicado pela revista Astronomy & Astrophysics. A equipe responsável pela descoberta utilizou o caçador de planetas Harps (motor de busca de alta precisão por velocidade radial) da ESO, instalado no Observatório La Silla, do Chile. O novo planeta é agora o segundo com temperatura similar à Terra mais próximo - após Proxima b - e será, de acordo com o observatório, um alvo perfeito para o telescópio ELT (Extremely Large Telescope) do ESO, capaz de buscar biomarcadores na sua atmosfera. Segundo as observações feitas até agora, o...
Leia mais

Cientistas encontram câmara vazia na Grande Pirâmide de Quéops

Um grupo internacional de cientistas descobriu uma nova estrutura no interior da Grande Pirâmide de Quéops, em Gizé, no Egito, segundo revela um estudo publicado pela revista Nature. A pesquisa, liderada por especialistas do Japão, Egito e da França, levou à descoberta de uma grande câmara vazia na maior das pirâmides de Gizé e poderia ajudar a explicar como este espetacular monumento foi erguido. A Pirâmide de Quéops, a mais importante construção do antiguidade, foi construída durante o reinado de Khufu (2550 a.C. a 2527 a.C.), segundo faraó da quarta dinastia, e batizada por Heródoto, mas os especialistas ainda desconhecem que técnicas foram usadas na construção. Para descobrir os mistérios que ainda estão escondidos no seu interior, os cientistas analisaram as imagens geradas por uma partícula cósmica conhecida como muon, que é ativada quando partículas subatômicas procedentes do espaço exterior entram em contato com a atmosfera terrestre. A partícula muon apresenta diferentes trajetórias quando penetra a pedra ou atravessa o ar, o que permite aos pesquisadores...
Leia mais

Urina e fezes: o potencial dos dejetos humanos como combustíveis do futuro

O nosso planeta tem um problema. Os humanos, como todas as outras criaturas vivas, produzem muito... bem, muitos restos desagradáveis. Na forma de cocô e xixi. Se não forem tratados, podem contaminar reservatórios de água, poluir rios e acabar com áreas litorâneas. A falta de água tratada e de saneamento básico ainda é um enorme problema em regiões em desenvolvimento, e nas áreas mais avançadas grandes quantidades de energia são necessárias para o tratamento. Mas talvez estejamos olhando para nosso esgoto pelo lado errado - ele pode ser uma commodity preciosa, em vez de um subproduto malcheiroso das nossas vidas diárias. Vários engenheiros criativos estão encontrando maneiras de aproveitar o potencial dos nossos dejetos corporais, transformando-os em energia para iluminar nossas casas e dar combustível aos nossos carros. Aqui estão alguns exemplos de como algumas ideias, digamos, nojentas podem ser grandiosas: O poder do xixi Uma abordagem inovadora é transformar urina em eletricidade com ajuda de bactérias. Pesquisadores da Universidade do Oeste da Inglaterra...
Leia mais

Cientistas dizem que furacões como o Irma são evidência de aquecimento global

A ocorrência este mês de dois furacões em um prazo de uma semana - o Harvey, no  Texas, e o Irma, em países do Caribe e da Flórida - reacendeu o debate sobre as mudanças climáticas e trouxe novas críticas ao posicionamento da gestão Trump. A maior parte da comunidade científica americana relaciona a incidência de furacões mais destrutivos ao aumento da temperutura global. Um estudo chamado Relatório Especial Ciência e Clima, do Programa de Investigação da Mudança Global dos Estados Unidos (CSSR, a sigla em Inglês), que reune cientistas da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica  (NOAA), da Nasa e de mais 11 agências federais do país, afirma que a atividade humana contribui para o aumento da temperatura global e, consequentemente, a incidência de furacões. No estudo, a incidência de furacões mais destrutivos é usada como evidência de que é “muito provável que mais da metade do aumento das temperaturas, ao longo das últimas quatro décadas, foram causadas pela atividade humana. O...
Leia mais

Cientistas da Austrália avançam na criação da internet quântica

Uma internet capaz de atender as exigências da computação quântica é um dos principais desafios dos cientistas no futuro, mas uma equipe da Australia National University (ANU) deu um importante passo adiante com uma descoberta publicada pela revista científica Nature Physics. O grupo, comandado pelo professor associado da ANU Matthew Sellars, provou que um cristal reforçado com érbio é especialmente indicado para tornar possível uma rede global de comunicações que se aproveite das estranhas propriedades da mecânica quântica. A criação de um computador quântico - até o momento só existem protótipos - é um dos desafios enfrentados por cientistas, representantes da indústria e dos governos. A base desse novo equipamento é a física quântica, que estuda as partículas subatômicas, cujas propriedades são muito diferentes das da física clássica. "Os esforços para construir um computador quântico foram descritos, com frequência, como a 'corrida espacial do século XXI', mas os computadores atuais não foram cientes de seu potencial até termos a internet", indicou Sellars,...
Leia mais

Pesquisa mostra que parasita que causa malária em macacos pode infectar humanos

Um estudo liderado por pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) aponta que um parasita que causava malária apenas em macacos está relacionado a casos humanos ocorridos na região de Mata Atlântica do Rio de Janeiro. Publicado na revista científica The Lancet Global Health, o trabalho demonstra que o estado do Rio de Janeiro é o segundo foco encontrado no mundo com transmissão desse tipo de malária. O primeiro local em que o protozoário foi encontrado em humanos foi na Malásia, na Ásia. Conhecido como Plasmodium simium, o parasita foi responsável pela infecção de 28 pessoas na região de Mata Atlântica fluminense em 2015 e 2016. Enquanto de 2006 a 2014, o Rio registrava média de quatro casos autóctones (locais) de malária por ano, em 2015 e 2016, esse índice subiu para 33 e 16, respectivamente. Com a descoberta, o protozoário torna-se causador do sexto tipo de malária humana. No Brasil, a doença era conhecidamente causada por três espécies do gênero Plasmodium: P. vivax, P....
Leia mais

Ciência comportamental pode auxiliar no desenvolvimento das políticas públicas

Na busca pela melhor compreensão do comportamento humano, a ciência comportamental oferece uma nova perspectiva sobre como funciona a tomada de decisão dos indivíduos. Este campo científico surgiu na década de 1970, mas agora um dos setores que têm absorvido seus princípios e técnicas é o de políticas públicas. Já são vários os exemplos de sucesso, principalmente no exterior e, mais recentemente, no Brasil. “As ciências comportamentais derivam da própria psicologia. É entender como a cabeça das pessoas funciona para pensar, por exemplo, em políticas públicas, essa é uma das aplicações e a principal, é a que interessa mesmo”, explica a psicóloga Vera Rita de Mello Ferreira, professora e doutora em Psicologia Econômica. Ela esclarece que, embora o Marketing já utilize os princípios há muito tempo, a novidade é atuação em prol da população. “A grande novidade é quando as ciências comportamentais se posicionam a favor do cidadão, trazendo contribuições em diferentes ramos para ajudar as pessoas a tomarem...
Leia mais

Cientistas criam bactéria ‘ciborgue’ que gera combustível verde a partir da luz do sol

Cientistas criaram micro-organismos cobertos por semicondutores que, assim como as plantas, podem gerar energia a partir da luz do sol, dióxido de carbono e água, mas de forma muito mais eficiente. As bactérias "ciborgues" produzem ácido acético, que pode ser transformado em combustível e em plástico. Durante testes realizados em laboratório, a bactéria se provou muito mais eficiente em absorver energia do sol do que as plantas. O estudo foi apresentado em um encontro da Sociedade Americana de Química (ACS, na sigla em inglês) em Washington, nos Estados Unidos. Há muitos anos cientistas vinham tentando replicar artificialmente a fotossíntese. Ciborgues Na natureza, a clorofila é a chave para esse processo, ajudando as plantas a converter gás carbônico e água, usando a energia solar, em oxigênio e glicose. Mas cientistas dizem que esse processo, embora funcione, é relativamente ineficiente. Isso tem representado um grande problema para a maioria dos sistemas artificiais desenvolvidos até agora. O experimento busca aprimorar essa eficiência ao equipar a bactéria com "painéis solares". Depois...
Leia mais
http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e