‘Carma’, minha filha, esse é seu karma, carregue-o com carinho até que seja pago

Quando um pássaro está vivo, ele come as formigas, mas quando o pássaro morre, são as formigas que o comem

Sim, pago, não tenho outra opção. E se tiver ainda milianos de “castigo”? E se não forem divinos? “Carma, carma, tudo se arresorve”, no final você nem vai perceber o quanto já mexeu nas suas cicatrizes. E o que é ter um carma, pagar um carma? Pela filosofia hinduísta e budista, o karma ou carma é a “lei que afirma a sujeição humana à causalidade moral, de tal forma que toda ação (boa ou má) gera uma reação que retorna com a mesma qualidade e intensidade a quem a realizou, nesta ou em encarnação futura. A transformação pode dar-se em direção ao aperfeiçoamento (mocsa, o fim do ciclo das reencarnações) ou de forma regressiva (o renascimento como animal, vegetal ou mineral)”.

Animal, mineral ou vegetal. Interessante. Posso ter sido, então, uma bolinha de gude, que bateu na vidraça do senhorio, daí renasci com esse karma de ser estabanada e quebrar tudo o que aparece na minha frente. Faz sentido. Tem salvação ou estarei danada até o fim dos tempos? Nada é eterno, nem mesmo as coisas horripilantes que você tenha feito em outra vida. Ter essa amnésia de vida passadas já é uma pequena amostra de que tudo é perdoável.

Mesmo sem saber, sua alma sabe o que você fez e não vai deixar que faça novamente. Assim seja. Assim será. Isso me fez lembrar de quando era pequena e levava tudo para o lado sombrio de existir. Nada tinha ou fazia algum nexo, então eu estava sempre com pressa. Corria para escrever, corria para chegar na frente, corria para ser a primeira que acabava ou a primeira em trazer as novidades para casa. Ledo engano. Tudo fazia parte do meu Karma, até então desconhecido.

Isto posto, karma apresentado e reconhecido, corri ainda mais. Sempre com muita pressa, aprendi a escrever e a ler bem cedo, fui para a escola ainda antes dos 5 anos, cresci, comecei a namorar também cedo. Pau na máquina: engravidei e casei. Ali continuava meu karma.

Quando vejo pessoas que, por algum motivo sofrem um acidente sério, noto que os pontos mais delicados são os que sofrem algum tipo de perda. Eram os mais importantes naquela pessoa, o que faziam com que saíssem da cama com vontade de viver. Chegou o cobrador do karma.

João do Pulo, por exemplo, o nosso recordista do salto triplo em 1975, que um dia sofreu um acidente nas estradas e teve uma perna amputada. Ninguém mais fala dele. ou se lembra. Maguila, o nosso campeão de boxe: não morreu, mas está com uma “demência pugilística” de tanto levar pancadas na cabeça. Eder Jofre, nosso também campeão, está com encefalopatia crônica. O maestro João Carlos Martins, se não tivesse sido amparado por um designer que criou uma luva biônica, possibilitando que ele voltasse a tocar pianos e a reger orquestras, estaria por aí, vagando com suas músicas para ninguém.

O que é Karma? - Significado, lei, conceito e definição
“A vida é um eco. Se você não está gostando do que
está recebendo, observe o que está emitindo”. Buda

E aqueles atores que estão ficando com doenças nada agradáveis e são obrigados a sair de cena, porque não pode mais enganar seus fãs com olhos sedutores e sorrisos? Robin Williams, Bruce Willis, Michel J. Fox e agora a mais recente “vítima de si mesmo”, Angeli, um dos meus top 10 cartunistas e que vai ficar na minha lembrança pra sempre com suas tiradas e tirinhas inesquecíveis desde quando eu era ainda uma pré-adulta. Seu karma já está fechando a conta. Hora de agradecer por ter seguido esse cara por toda sua trajetória.

Políticos, então? A todo momento é um que cai duro porque teve um AVC, perdeu a memória e se esqueceu da senha do cofre ou, pior ainda, aparece com um câncer na laringe e não pode mais falar, berrar, xingar. Mas continuam roubando, bebendo, desviando, mentindo. Aposto que devem estar num esquema karmático de corrupção. E outros tantos casos que surgem por aí sem que saibamos.

Sei que às vezes falamos ou agimos como uns perdidos no espaço, ou pensando em coisas que não nos dizem nenhum respeito. Continuaremos nos atrevendo, beliscando um pedacinho do anzol por vez. Um dia a conta chega. Então vem a minha dúvida atroz em querer saber se teremos uma isca dessas para morder. Melhor que seja antes de receber o seu carnê final de vidas a pagar, confirmar se seu karma já foi pago, carimbar sua passagem só de ida ou checar quantas parcelas ainda terá e qual a taxa de juramentos e juros que terá à sua disposição.

Se for esse o seu caso, chame a gerenta, troque de senha e volte como uma pedra, assim você tem a chance de ser uma pedra no sapato de alguém ou, quem sabe, uma pedra de gelo numa deliciosa e inesquecível bebida única. Será que tudo isso é karma mesmo e não teria outro jeito de viver?

Pois lhes digo: o peixe morre pela boca. E o ser humano morre pela língua.

Por

paula.toom@oestadorj.com.br

Jornalista, tradutora, revisora e redatora. Tem 3 cachorros, 3 gatos fixos e mais um monte ao seu redor. Cuida para que eles não sejam abandonados pelas sarjetas. É editora-chefe das colunas que você lê aqui.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e