Caminhões FNM serão produzidos novamente no Brasil a partir deste ano

Extinta no início década de 1980, a consagrada estatal, Fábrica Nacional de Motores (FNM), teve a marca registrada novamente por uma startup do Rio de Janeiro

Sucesso entre as décadas de 1950 e 1970, os icônicos caminhões FNM, conhecidos popularmente como “FeNeMê”, estão prestes a retornarem a indústria e ao transporte brasileiro, mas desta vez repletos de inovação, tecnologia e com um impressionante olhar para o futuro.

Extinta no início década de 1980, a consagrada estatal, Fábrica Nacional de Motores (FNM), teve a marca registrada novamente por uma startup do Rio de Janeiro.

Agora batizada de Fábrica Nacional de Mobilidades, e sob o comando dos irmãos empresários gaúchos, José Antonio Severo Martins (Zeca) e Alberto Martins, a empresa concentrará o desenvolvimento e produção de soluções de mobilidade de alta tecnologia em Caxias do Sul (RS), em parceria com uma montadora local.

“Isso vai trazer um novo impulso de modernidade para o Estado do Rio Grande do Sul”, prevê Zeca.

Inicialmente a nova FNM prevê a produção de dois caminhões 100% elétricos, destinados a operações nos segmentos de médios e semipesados. O primeiro será o FNM 832, com comprimento de 6,30 metros e PBT (Peso Bruto Total) de 13 toneladas. Já o segundo modelo, batizado de FNM 833 contará com 7,20 metros de comprimento e PBT de 18 toneladas. Ambos serão produzidos neste primeiro momento com componentes nacionais e internacionais, como por exemplo, motores, baterias, subsistemas e inversores.

Além dos caminhões, a empresa também pretende concentrar as atividades no desenvolvimento e produção de ônibus elétricos e do sistema RePower, tecnologia que permite a remotorização de veículos diesel para elétricos.

A expectativa da FNM é de que as novas soluções de mobilidade incentivem o desenvolvimento de uma logística sem poluentes, silenciosa, segura, sustentável no transporte de cargas e de passageiros.

As apostas da Fábrica Nacional de Mobilidades (FNM) são se resumem apenas aos sistemas elétricos. A empresa também aposta no nióbio para a fabricação de diversos componentes dos veículos, chassis, freios, suspensões, rodas, entre outras peças, afim garantir aos veículos alta performance, durabilidade, resistência e tara reduzida.

De acordo com os investidores, nesta primeira fase, a nova FNM irá operar por demanda pré-contratada. Já os primeiros caminhões produzidos pela empresa devem ficar prontos ainda em 2020.

Sobre a Fábrica Nacional de Motores

Inaugurada em 1942, durante a gestão do Presidente Getúlio Vargas, a Fábrica Nacional de Motores (FNM) concentrou suas atividades especialmente na produção de motores aeronáuticos até 1948.

Em 1950 a FNM foi vendida para Alfa Romeo. Em 1952 lançou o FNM D-9500, reconhecido principalmente pela robustez. Em 1972, os modelos FNM 180 e 210 foram apresentados ao mercado brasileiro.

Já em 1976 a Fiat comprou a marca e encerrou a produção em 1979, passando a fabricar o Fiat 190.

*Caminhões e Carretas

Por

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e