Brasil e Argentina vão debater tarifas dos EUA na cúpula do Mercosul

Em 2018, o governo Trump anunciou que imporia tarifas sobre o aço (25%) e o alumínio (10%) de Brasil e Argentina, que até então estavam isentos da medida

O secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais, Marcos Prado Troyjo, e o ministro da Produção da Argentina, Dante Sica, vão se reunir durante a cúpula do Mercosul, realizada nesta semana em Bento Gonçalves (RS), para discutir as tarifas anunciadas ontem pelo presidente dos Estados Unidos sobre as importações de aço e alumínio dos dois países.

Fontes do governo argentino disseram nessa terça-feira (3) que Troyjo e Sica conversaram na segunda-feira, após o anúncio das tarifas, e decidiram se reunir em algum momento durante a cúpula, que termina na quinta-feira, para debater o tema.

A pasta argentina – na qual Sica permanecerá até o próximo dia 10, quando deixará o posto de ministro devido à posse do novo governo liderado por Alberto Fernández – iniciou ontem contatos com a embaixada dos EUA em Buenos Aires para solicitar um diálogo com o secretário de Comércio americano, Wilbur Ross. Já o chanceler Jorge Faurie pediu para falar com o vice-secretário do Departamento de Estado, John Sullivan.

Em 2018, o governo Trump anunciou que imporia tarifas sobre o aço (25%) e o alumínio (10%) de Brasil e Argentina, que até então estavam isentos da medida, por terem aceitado cotas de exportação com um teto de 180 mil toneladas por ano desses metais.

Essa exceção permitiu que a Argentina exportasse US$ 700 milhões em aço e alumínio ao mercado americano em 2018, cumprindo quase integralmente as cotas de exportação definidas.

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e