Bolsonaro afirma a empresários chineses que Brasil “mudou para melhor”

O vice-primeiro-ministro chinês, Hu Chunhua, ressaltou que ambos os países são "parceiros naturais" e desejou o fortalecimento da cooperação em fóruns como o dos BRIC e do G-20

O presidente Jair Bolsonaro declarou nessa sexta-feira, ao abrir um fórum de negócios com empresários chineses em Pequim, que o Brasil “mudou para melhor” desde que assumiu o cargo, e destacou que pretende diversificar as relações do país com a China.

Bolsonaro anunciou que decidiu isentar de visto – sem expectativa de reciprocidade – os cidadãos chineses para as viagens de turismo e negócio ao Brasil, o que, segundo o presidente, demonstra “a confiança” do governo no país asiático.

Embora tenha afirmado durante a campanha eleitoral que a China “estava comprando o Brasil”, Bolsonaro moderou consideravelmente o tom desde que chegou ao cargo devido às relações econômicas entre os países. A China é o maior parceiro comercial do Brasil.

O presidente agradeceu o apoio do embaixador chinês no Brasil, Yang Wanming, por “reconhecer” a soberania do Brasil sobre a região amazônica “em um episódio recente por ocasião da reunião do G7”.

“Muito obrigado ao governo chinês. Para nós, não tem preço esse reconhecimento público e as suas palavras sobre essa região tão importante para o mundo e para o Brasil”, comentou.

Bolsonaro se mostrou “honrado e feliz” de estar na China e classificou sua presença como “uma prova concreta” de que o atual governo brasileiro quer “mais que aumentar, diversificar” o entorno de negócios.

“Não há país que não queira conversar conosco, afinal de contas o Brasil mudou, e mudou para melhor”, garantiu.

De acordo com Bolsonaro, o “perfeito” entendimento entre o Legislativo e o Executivo no Brasil permite reformas como a da Previdência, e anunciou que “em breve” serão realizadas outras mudanças.

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, enfatizou no fórum de negócios que a parceria com a China é “muito importante” para o Brasil, um país que “está diferente”, “mais seguro e com um marco regulador claro”.

“O país está com as portas abertas para que essa parceria seja cada vez maior. Não há risco para o investimento que se faz no Brasil”, argumentou.

O vice-primeiro-ministro chinês, Hu Chunhua, ressaltou que ambos os países são “parceiros naturais” e desejou o fortalecimento da cooperação em fóruns como o dos BRIC e do G-20. EFE

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e