BNDES lança chamada de projetos para Internet das Coisas

As instituições tecnológicas públicas ou privadas sem fins lucrativos terão até 31 de agosto para submeter as propostas ao banco

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Ministério de Ciência, Tecnologia e Comunicação (MCTIC) lançaram nesta quinta-feira (14) uma chamada para a seleção de projetos-pilotos de Internet das Coisas (IoT), que é a tecnologia de conectividade e troca de informações entre máquinas e equipamentos.

O objetivo da instituição é selecionar iniciativas de integração e avaliação de soluções de IoT voltados para as áreas de cidades inteligentes, saúde e ambiente rural. O valor mínimo do apoio do BNDES será de R$ 1 milhão, limitado a 50% do total de cada projeto.

As instituições tecnológicas públicas ou privadas sem fins lucrativos terão até 31 de agosto para submeter as propostas ao banco. As iniciativas propostas nos projetos-pilotos terão sua tecnologia testadas em plataformas de experimentação e em ambientes reais.

O presidente do BNDES, Dyogo Oliveira, disse que a expectativa da instituição é de que a chamada para a seleção de projetos envolva investimentos de pelo menos R$ 40 milhões, se levado em conta os recursos não reembolsados a serem liberados pelo banco e as contrapartidas das empresas envolvidas no processo.

Hoje vivemos momentos diferentes de desenvolvimento tecnológico. E as tecnologias não têm mais impactos de séculos, como no passado. As tecnologias têm impacto menos duradouros e as inovações acontecem de forma muito mais rápida. E a IoT é a tecnologia que terá maior impacto na vida das pessoas nas próximas décadas”, disse.

Bola da vez

Na avaliação do Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, C, o apoio do BNDES é fundamental para o avanço no domínio da tecnologia das coisas. “A bola da vez hoje no mundo é a tecnologia das coisas e a participação do BNDES com o seu apoio é fundamental para que a gente possa ter no nosso país cada vez possibilidades de avanço no desenvolvimento dessa tecnologia”.

Focos

Poderão ser apoiadas soluções executadas por instituições tecnológicas públicas ou privadas sem fins lucrativos dentro do foco de cada um dos seguintes ambientes: cidades inteligentes, ambiente rural e saúde.

No caso de cidades, os projetos devem ter foco em redução de desperdícios, iluminação pública, aumento da capacidade de vigilância e monitoramento e aumento da atratividade de transportes públicos.

No ambiente rural, os focos devem ser no uso eficiente de maquinário e dos recursos naturais e em segurança sanitária e bem-estar do animal. Já em relação à saúde, o objetivo é focar em monitoramento de pacientes, ativos e insumos e diagnóstico descentralizado.

Regras

Cada instituição poderá apresentar até três pilotos dentro de um mesmo plano voltado a cada um desses ambientes. O valor global deve ser de pelo menos R$ 2 milhões em itens financiáveis, com prazo de 24 meses. O grupo de avaliação das propostas será composto de empregados do BNDES e representantes externos.

Ao fim dos processos, as instituições que forem apoiadas pelo BNDES deverão obrigatoriamente publicar a avaliação dos resultados dos projetos-piloto, informando de forma detalhada os testes realizados e o desempenho observado.

Indústria

O Banco informou que também avalia, em parceria com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, o lançamento de futura chamada voltada ao ambiente industrial, contribuindo para o desenvolvimento da indústria 4.0 no país. O termo é utilizado para designar a integração de diversos tipos de tecnologias no processo produtivo.

Por

Webjornal O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e