Baixada terá a 1ª Roda de Samba das Mulheres Iguaçuanas

O evento é um grito de ordem a todos os movimentos femininos, para ressalta e alerta a violência que vem crescendo a cada instante contra a mulher

No dia 8 de março, quando se comemora o Dia Internacional da Mulher, a baixada Fluminense terá a 1ª Roda de Samba das Mulheres Iguaçuanas. O evento é um grito de ordem a todos os movimentos femininos, para ressaltar e alertar a violência que vem crescendo a cada instante contra a mulher, nesta região.

As organizadoras Michele Pessanha e Márcia Dias

O projeto nasceu de uma conversa entre as iguaçuanas, Michele Pessanha e Márcia Dias, que perceberam que a região possui uma carência de um evento cultural, que possa levantar questões sobre a violência feminina.

No dia do evento haverá também uma Campanha de doação de uma lata de leite em pó, para ser doada posteriormente às instituições que atendam mulheres e crianças que se encontram em situação de vulnerabilidade social.

O alto índice de feminicídio

Em geral, o perfil das vítimas na Baixada é de mulheres negras, entre 30 a 59 anos e com baixa escolaridade. Em 50% dos casos, os agressores são companheiros e ex-companheiros da vítima e utilizam agressão física e verbal nos atos de violência contra elas. Duque de Caxias e Nova Iguaçu são os municípios com maior registro de casos violentos contra mulheres na Baixada. O período entre 18 h e 23 h possui o maior número de atos violentos e assassinatos as mulheres. Porém, a maior parte dos casos de feminicídios e violência contra mulheres não chegam a ter registros oficiais.

Em 2018 foram registrados 70 feminicídios no Rio de Janeiro, 31% desses assassinatos ocorreram na Baixada Fluminense, sendo o dobro dos casos de feminicídios em relação ao ano anterior, representando um total de 22 mortes de mulheres na Baixada.

Em relação a tentativas de feminicídios, os casos registrados mais que duplicaram em 2018, passando de 38 para 80 casos de tentativa de execução de mulheres na região.

Manifestar através do samba

A abertura do evento será às 14 h e contará com a presença mulheres ilustres da Baixada Fluminense que serão homenageadas no dia. Haverá leituras de poesias, pequenas enquetes teatrais, e a apresentação das cantoras: Raquel Lopes, Nathalia Negresco, Priscila Gouveia e Will Barros, com apoio do Grupo EfiKaz.

“Mais do que nunca precisamos estar atuantes dentro da sociedade e ocupar os lugares públicos para grande e pequenos eventos culturais e falar sobre a violência contra a mulher, violência doméstica, dentre outros assuntos, que nos últimos meses vêm crescendo abusivamente. Mostrar a todas as mulheres que juntas somos mais fortes, temos voz e atitudes”, diz uma das organizadoras, Márcia Dias.

“A sobrecarga do trabalho da mulher e a violência com que a mulher sofre em seu cotidiano precisam ser tratados com seriedade e responsabilidade. Somos discriminadas, recebemos menos que os homens e sofremos violências das mais diversas. Nessa pauta, surge ainda a necessidade de salientar a realidade das lésbicas, que são invisibilizadas nos debates feministas e em especial na pauta da segurança e saúde. A especificidade da mulher camponesa também foi trazida à tona devido ao agravamento da distância territorial com os aparelhos do estado e deficiência no transporte público”, concluiu ela.

SERVIÇO:

Evento: 1ª Roda de Samba das Mulheres Iguaçuanas

Show: Raquel Lopes, Nathalia Negresco, Priscila Gouveia e Will Barros, com apoio do Grupo EfiKaz

Dia: 08 de março

Horário: 14 h

Local : Rua Capitão Edmundo Soares, 15 – Praça do K11 , Nova Iguaçu

*Obs: A doação de uma lata de leite em pó, poderá ser feita até o final evento.

Por

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e