Sobre: Vanderlei Tenorio

É editor da página Cinema e Geografia, comentarista, colunista e repórter de cinema. Escreve para 4 portais e 1 site.

Postagens recentes por Vanderlei Tenorio

Perfil: Wes Anderson

Tenho apreço pela filmografia fantástica do excêntrico e peculiar diretor estadunidense Wes Anderson. Neste quesito, meus filmes favoritos são: ‘‘O Grande Hotel Budapeste’’ (2014), ‘‘Os Excêntricos Tenenbaums’’ (2001), ‘‘Moonrise Kingdom’’ (2012), ‘‘A Vida Aquática Com Steve Zissou’’ (2004), ‘‘The Darjeeling Limited’’ (2007) e ‘‘A Lula e a Baleia’’ (2005) (esse ele apenas produziu, a direção e o roteiro foram assinados por Noah Baumbach, um parceiro recorrente em suas mirabolantes produções comerciais com pegada de independente).

Wes dirigindo Ralph Fiennes

O estilo de Wes é totalmente único, próprio e de fácil reconhecimento, tanto que quando assistimos a um longa-metragem dele logo reconhecemos sua técnica, técnica essa muito difundida em todos os filmes que compõe sua dileta filmografia. O texano foi indicado cinco vezes ao Oscar, respectivamente, conta com três indicações na categoria Melhor Roteiro Original: por ‘‘Os Excêntricos Tenenbaums’’ (2001) escrito em parceira com...

Leia mais

Perfil: Mazzaropi

Entre 1952 e 1980, Amácio Mazzaropi escreveu 21 filmes, dirigiu 13, produziu 24, e atuou em todos os seus 32 longas que ainda hoje fazem sucesso. O ator, humorista, roteirista, produtor, cantor e cineasta viveu por 69 anos e faleceu, em 1981, vítima de câncer na medula. O grande Mazzaropi é considerado o maior artista cômico do início da época de ouro do cinema brasileiro, e um dos poucos a ficar milionário produzindo filmes no Brasil. No quesito cinematográfico, Mazzaropi foi responsável por mostrar a face caipira do Brasil (o que muito me orgulha) e os seus costumes no cinema dos anos 50, 60, 70 e início de 80. Amácio construiu uma vasta carreira no circo, teatro, TV e cinema que durou mais de 50 anos.

Segundo Wellington Viana Barbosa do Senac RIO, o cinema de Mazzaropi é a representação objetiva da luta de classes no Brasil e o faz da óptica do...

Leia mais

‘O Discurso do Rei’: A gagueira levada a sério

Como aponta o portal Drauzio Varella, a gagueira é um distúrbio neurobiológico da fluência da fala, que tem sua origem, provavelmente, no funcionamento inadequado dos núcleos de base, aglomerados de células nervosas envolvidos no controle da motricidade.

Cabe aos núcleos de base estabelecer a intercomunicação entre diferentes áreas do cérebro, o que permite a execução de atos motores complexos. Quando essas estruturas não funcionam adequadamente, entre outros problemas, podem interferir na sequência motora da automatização da fala, ocasionando os alongamentos, bloqueios e repetições da fala próprios da gagueira.

Nisso, a gagueira é um distúrbio multifatorial, que se manifesta na infância e pode persistir na vida adulta. Segundo a fonoaudióloga Fernanda Papaterra Limongi, três fatores estão envolvidos no aparecimento e manutenção da gagueira. São eles: os fatores predisponentes, os fatores precipitantes predominantemente ambientais e os fatores perpetuantes, incluindo sentimentos como o medo e a ansiedade diante de situações que pressupõem a comunicação oral. O...

Leia mais

‘A Lula e a Baleia’: O Impacto da Separação na Dinâmica Familiar

De acordo com o Instituto de Crescimento Infanto-juvenil (ICIJ), quando um casal decide se separar, frequentemente a maior preocupação é com os filhos: Será que vão ficar bem? Como dar a notícia a eles? A apreensão é justificada, especialmente quando se trata de crianças, que não têm entendimento total da situação e podem sofrer grandes prejuízos com o divórcio, inclusive em seu desenvolvimento a longo prazo. No entanto, os especialistas são unânimes em afirmar que é melhor ter pais separados do que um lar de brigas constantes e desarmonia.

Normalmente, o casal que já passou por um processo de divórcio tenta ao máximo evitar que o fim do relacionamento afete seus filhos. Infelizmente, isso é impossível porque não é realista dizer às crianças que nada vai mudar. Mesmo que os pais ajam com cautela e assumam a responsabilidade emocional, certas coisas mudarão. Por exemplo, é impossível para uma família continuar morando na mesma casa após...

Leia mais

‘Os Excêntricos Tenenbaums’: Pais narcisistas e o perigo da perfeição

O terceiro filme da filmografia célere do cineasta texano Wes Anderson marca por ser a consolidação palpável de seu estilo textual, estético e conceitual disposto em toda sua série de filmes. “Os Excêntricos Tenenbaums” evidencia de forma direta o conceito de excentricidade, delicadeza, subjetividade e experimentação comum em grande parte dos filmes produzidos pelo estadunidense.

Wes aplicou excepcionalmente todo esse conjunto teórico em uma família nada comum, ele conseguiu converter todo um contexto simples em algo relativamente emblemático, belo e sensível aos olhos. Sim, há uma magia nas entrelinhas do argumento de composição do texto, os personagens são versados de forma poética (são únicos e originais), o cenário e a ambientação carregam o charme do ato de ser excêntrico.

[caption id="attachment_126389" align="alignleft" width="300"] Família Tenenbaums[/caption]

Escrito pelo próprio Wes Anderson em parceria com o ator Owen Wilson, que também integra o elenco principal do filme (indicado ao...

Leia mais

Comentários recentes por Vanderlei Tenorio

    Sem comentários por Vanderlei Tenorio yet.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e