Sobre: Plinio da Franca

* Cientista Social, Pesquisador e Consultor de Desenvolvimento Humano e Empresarial. Especilizações em Psicologia Social, Análise Transacional, Administração Mercadológica, Psicodrama e Dinâmica de Grupo. Autor de livro e de programas de treinamento comportamental, com reconhecimento científico a nível nacional.

Postagens recentes por Plinio da Franca

Integridade e coerência

O comprometimento é algo que todos querem que as pessoas tenham quando são contratadas e/ou convidados a realizarem qualquer atividade, seja profissional ou social. 

Para termos uma chance de alcançarmos o comprometimento esperado, precisamos iniciar esse processo conosco mesmo. Inicia-se na capacidade que temos de relacionar com integridade e coerência. Isso faz com que as pessoas se comprometam e cooperem conosco. Para isso é preciso estabelecer constantemente o espírito da confiança. Devemos buscar sempre potencializar alguns pontos: analisar as situações em que houve um descomprometimento com alguma tarefa, para localizar as causas e eliminá-las no futuro; informar aos outros quando não poderemos cumprir com uma tarefa, para não perder nossa credibilidade; reconhecer nossos erros perante os demais; habituarmos a fazer planejamento para diminuir retrabalhos. Agir de acordo com o que pensamos e falamos é o ponto fundamental para fincarmos a bandeira da  integridade e da coerência e estabelecermos a confiança e a liderança.

Quando vou fazer algo que quero fique belo, excelente, que sirva ao bem de todos preciso me tornar:

- um religioso, para conseguir religar verdadeiramente e não dogmaticamente, minha alma do polo da terra ao céu, para buscar  as melhores e sábias ideias, lá que é o mundo delas;  

 - um cientista para investigar e escolher os elementos, as técnicas, os métodos e as práticas adequadas que irão transformar formas;  

- um artista apurando minhas sensibilidades, para transformar essas ideias em concretude harmonizando saberes, sentimentos, estéticas...

- um político ao trabalhar para o bem comum oferecendo tudo de melhor que construo enquanto religioso, cientista e artista, respeitando a tudo e todos;  

- um Ser Humano, para vivenciar sentimentos do bem e adotar comportamentos mais nobres perante todas as coisas e seres da natureza.

Só eu posso...

Leia mais

Reflexões

Se trabalhar para o bem de todos, o seu tempo para sofrer diminuirá.

 A sua vida é a reprodução do seu pensamento.

 A vaidade e o orgulho moram com você e são seus inimigos.

Não gaste o dinheiro que consegue com coisas ilusórias, pois irá deturpar a sua boa maneira de viver e alimentará seus inimigos: vaidade, egoísmo e orgulho. 

Dar sentido, significado ao que olha é ver a verdade.

Agradeça aos problemas, pois ao superá-los vivenciará o verdadeiro sabor da vitória da conquista e a alegria de ter sabido perseverar.

Já que você não pode fazer você mesmo ser como quer, não se irrite e nem perca sua vida jogando fora seu tempo em tentar conseguir fazer os outros serem do seu jeito ou do jeito que quer que sejam.

Você não possui o...

Leia mais

O Ser e o saber

A humanidade está vivendo momentos de inteiro caos. Essa desordem parece muito com o mito da construção da Torre de Babel. A grande era do saber: elementos de informação disseminados aleatoriamente pelos quatro cantos do mundo, pelo alicerce do desenvolvimento tecnológico, que vem com o intuito de trazer mais conforto, mais bens materiais, mais tudo que existe na vida material, que é transitório e, portanto, pode ser tirado, abastecendo cada vez mais o pensamento materialista e empobrecendo assustadoramente os alicerces do Ser humano constituídos pela moral: conjunto de valores, virtudes como honradez, honestidade, fraternidade...tudo aquilo que forma o caráter do Homem e que não pode ser tirado por ser eterno.

Tem-se dado primeiro o saber(a informação) antes da formação do Ser, então, não poderíamos esperar outro resultado senão a dilapidação das vidas dos seres planetários, incluindo a nossa como consequência. Conhecimento e informação nas mãos de quem não tem...

Leia mais

Qual é a sua proposta?

Imagine acreditando prá valer, que você só terá para viver aqui na Terra 7 dias. Em 7 dias você morrerá. Então te pergunto, para que respondas a si mesmo.

1) Que coisas fez de bom para você e para os outros e que repetiria?

2)  Que coisas fez de ruim para os outros  e para você que não repetiria?

3)  O que deixou de fazer por medo de ser julgado pelos outros, por julgar-se incapaz, por traumas que adquiriu ao longo de sua jornada?

4) Por causa de que e de quem, ficou magoado, com raiva, triste? Valeu a pena?  O que perdeu e continua perdendo com isso?

5) Como utiliza das suas 24 horas? Busca conhecimentos importantes, significativos e coloca em prática esse conhecimento ao bem da humanidade ou pelo menos daqueles que te cercam?

Comentários recentes por Plinio da Franca

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e