Sobre: Paula Toom

Jornalista, tradutora, revisora e redatora. Tem 3 cachorros, 3 gatos fixos e mais um monte ao seu redor. Cuida para que eles não sejam abandonados pelas sarjetas. É editora-chefe das colunas que você lê aqui.

Postagens recentes por Paula Toom

O melhor cachorro do mundo vira latas, fura sacos, rouba nossa comida. Isso lá é vida de cachorro?

Imagine quando ele vê você e vem correndo a 150km/h, numa felicidade de invejar o mais feliz dos seres. Ele chega, pula no seu colo com aquelas patas cheirando a terra ou a qualquer outra coisa indefinida. E você não tem voz de comando, simplesmente porque a raça dele é indefinida. Rottweiler? Pitbull? Dogo Argentino? Pastor Alemão? Belga Malinois? Nada disso, ou tudo disso num mesmo tufo de pelos.

Uma pessoinha (sim, pessoinha, gentinha, coisinha) dessas, privilegiada por ter as raças misturadas para que ele tenha qualidades de raças cheias de pompa, de trelelês, de não me toques. Vira-lata é a melhor de todas as raças depositadas ali na mamãezinha e nos papaizinhos deles, porque aquela cadela de rua não pôde ter o luxo de escolher quem seria o pai das crianças, então no sangue deles também outras raças, de outras vidas, de outras manias. Genéricos.

Quando falo...

Leia mais

Teve festa no céu, o Dia dos Namorados passou e ninguém o sapo beijou

Todo ano é a mesma história: Dia dos Namorados, meninas procurando seu príncipe, cada vez mais desencantado. Quando crescem, não sabem mais que porcaria de conto foi esse e, pior, mal sabem a cara que um sapo pode ter. Pois eu vos aviso: o sapo do vizinho pode ser maior e mais bonito que o seu.

Pergunte a você mesmo: quantos sapos você viu durante sua vida até hoje? E quantos deles podem ter virado príncipe e você, de novo, nem viu? Vos digo novamente: sapo bom é sapo de brejo, daqueles bem nojentos, que andam pelas ruas como um saco de cimento. Esses são os sapos de verdade. Engoli-los também faz parte e cuspi-los não é nada aconselhável.

Se procurar um pouquinho só no Google, vai achar ao menos 15 tipos de sapos. Tenho certeza de que existem muito mais, principalmente aqueles sapos diários, que surgem do...

Leia mais

É rabo ou cauda? Tanto faz, é só abanar

Como não poderia deixar de ser, essa semana recebi uma missão, uma das melhores da vida: abrigar a cadelinha da minha sogra/mãe e cunhada/irmã, pois uma mudança para um lugar menor, sobrecarregaria demais, tanto as humanas como a quase humana.

Veio para minha casa, num terrenão enorme, tudo de acordo com a velocidade da mocinha. Seu rabo já a denunciava: vira-lata pura. Manchinha branca no peito, aquele rabo em formato de gancho. Tipicamente vira-lata, sem raça definida, fura-saco. Preta, nega, zulu, qualquer um deles serve para ela, sem ofensas raciais, sem frescura. Por aqui, só carinho.

E o rabo com cara de gancho já nos diz como está o humor de hoje: abanando freneticamente para todos os lados, ininterruptamente mostra que a cadelinha está muito, muito, muuuuuito feliz. Ou com uma coceira danada nas partes baixas.

O meu outro, o Barbosa, tem...

Leia mais

O nosso café quente num dia gelado pra cachorro

É claro que hoje falaria do Dia Nacional do Café, que é exatamente hoje, 24 de maio. Nada mais me vem à cabeça que um cafezinho quentinho, na beira da lareira, entre meus Golden Retrievers e São Bernardos de pelos longos aos meus pés. Dormindo placidamente, eles mal levantam as pestanas para ver que os meus 5 gatos Maine Coon estão tamborilando nos meus ombros. Na hora tocou o despertador, caí da cama, gelada, e ainda levei uma arranhada do meu gato de pelos curtos que estava no meu colo se esquentando.

Como sonhar ainda é de graça e sem impostos, sonhei também que todos tinham direito a um cobertor, a uma cama macia e a uma lareira portátil, que podia ser carregada por onde você fosse, sem bloqueios, sem filas, sem ladrão querendo te matar pra pegar essa porcaria, sem gente e bichos nas ruas no outono mais gelado...

Leia mais

As borboletas do seu jardim não são as mesmas das minhas flores

Outono, época de renovação, de folhas caindo, de pré-gelo do inverno. É também de borboletas se escondendo, afinal, logo mais o frio chega e tudo para. Menos a Suellen, minha gata ex-grávida de mentira, ex-gata de rua. Minha amadinha.

Atualmente ela faz bicos aqui em casa como chefe de oficina, babá de bolinhas, esquentadora de cadeira, dona dos ronrons mais lindos. E, claro, caçadora de borboletas no outono. Mas vem a pergunta: se as borboletas voam principalmente na primavera, coisa de pólen e tal, que raios essas moças estão voando aqui em pleno outono?

Simples como o sol que nasce todos os dias, veio a resposta de um milhão de reais: "Assim como baixas temperaturas e pouca incidência da luz do sol podem levar ao congelamento deste inseto, períodos de altas temperaturas e aquecimento solar levam as espécies ao risco de dessecação. Nos horários de muito calor...

Leia mais

Comentários recentes por Paula Toom

    Sem comentários por Paula Toom yet.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e