Astronauta alemão alerta do espaço para deterioração da Terra

"Não é que eu possa dizer que o ar é verde ao invés de azul, não é tão fácil, mas se não conseguirmos evitar a deterioração da atmosfera, será o fim da humanidade"

O astronauta da Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) Alexander
Gerst, que chegou no último dia 8 à Estação Espacial Internacional (ISS, na
sigla em inglês), alertou nesta terça-feira (12) para a deterioração da atmosfera
da Terra e assinalou que é possível ver do espaço o efeito do desmatamento
de Ûorestas.

Gerst deu uma entrevista coletiva da ISS para um grupo de jornalistas
reunidos no centro de astronautas da ESA em Colônia, no oeste da Alemanha.

O astronauta, que assumirá o comando da Estação durante a segunda parte
da missão Horizons, disse que “a mudança climática não é evidente, não é
algo que pode ser visto com clareza da rua, ou que possa ser mostrado em
uma foto”.

“Não é que eu possa dizer que o ar é verde ao invés de azul, não é tão fácil,
mas se não conseguirmos evitar a deterioração da atmosfera, será o fim da
humanidade”, comentou Gerst.

“Não temos um planeta B”, frisou o astronauta alemão, ao acrescentar que,
devido à fragilidade da atmosfera terrestre, “é nosso dever e nossa
responsabilidade” preservar o sistema climático da Terra “para as próximas
gerações”.

O geofísico alemão vai testar formas de operar e trabalhar com robôs para
desenvolver as técnicas necessárias e avançar na exploração humana e
robótica do Sistema Solar, como o uso de rovers, como os que estão na
superfície de Marte.

Gerst relatou que a viagem espacial de dois dias até a ISS não foi muito
romântica, pois houve um problema técnico com um sensor do qual ele teve
que se ocupar como copiloto e, por isso, não teve tempo de olhar pela janela.

A tripulação da missão Horizons, formada por Gerst, pelo cosmonauta russo
Sergei Prokopyev, comandante da nave, e pela astronauta americana Serena
Auñón-Chancellor, chegou na última sexta-feira à ISS depois de uma viagem
de dois dias a bordo de uma nave Soyuz MS-09.

Com a sua chegada o número de ocupantes da Estação volta a ser de seis
pessoas, pois já estavam no módulo o comandante da Expedição 56, o
americano Drew Feustel, seu compatriota Ricky Arnold e o russo Oleg
Artemyev.

Feustel, Arnold e Artemyev permanecerão a bordo da ISS até outubro,
enquanto Auñón-Chancellor, Gerst e Prokopyev retornarão à Terra em
dezembro.

Por

Webjornal O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e