As vozes que acalmam

Ligo o rádio e ouço uma música suave numa voz feminina. Fico esperando ela acabar para descobrir quem está cantando. No final, o locutor dá o nome da cantora e descubro que é uma nova voz que surge. Gosto da letra e melodia e me surpreendo quando descubro que foi ela quem fez

Vivemos um hiato deixado na música brasileira que pelo menos para mim é um fator que me faz repensar a qualidade do que estamos absorvendo. Não quero aqui, puxar para lado nenhum, pois quando me refiro a essa “qualidade”, quer dizer, em todos os gêneros – ops, desculpa o uso da palavra que nos últimos anos vêm trazendo muita controvérsia, mas que na sua origem, tratava-se apenas para definir o sexo biológico das pessoas, mas que passou a ter outras variantes. Voltando ao gênero musical, assim como o “outro”, aqui no Brasil é muito variado e com vertentes surpreendentes.

Sou uma pessoa eclética, mas com preferências, assim como todos, e isso me faz um pouco crítico, mas quem não é? Percebo que ao longo de anos vivemos uma seca de inspiração e artistas que possam resgatar a essência da boa música. Não, não sou seletista, mas gosto da música que toca o coração de algum modo. As vezes uma frase, um refrão ou mesmo a melodia podem me dar o ar do deslumbramento. A arte vem exatamente daí, da singularidade. Do momento sublime que uma palavra pode trazer até você. Gosto da nossa música, apesar de nos dias de hoje, poucos artistas me surpreenderem como no passado. Não podemos comparar o ontem com o hoje, não, mas perceber a queda de inspiração sim.

É esse o momento que vejo na nossa MPB. Poucas são as obras que nos remetem a qualidade. Nos fazer pensar e viajar ficou cada vez mais raro. Eu acredito que seja realmente um hiato e que ele está findando seu ciclo por aqui. E engana-se quem pensa que é um problema exclusivo de nós aqui, no Brasil, o mundo também se encontra sem inspiração. A música desde sempre foi artifício de sopro para a humanidade e seus líderes. Quando percebemos a falta desse lampejo, é um sinal ruim. Música é emoção no ar que nos alegra e nos faz feliz. Nos faz pensar, sentir emoções, navegar pelos melhores e mais intensos momentos. Música é vida.

O terceiro milênio começou nos trazendo a voz feminina com mais presença e liderança na música. Grandes artistas surgiram e outras se firmaram no cenário nacional. Nomes como Ana Carolina, Adriana Calcanhoto, Maria Gadu, Maria Rita, Céu, Ivete Sangalo, Vanessa da Mata e Fernanda Takai são alguns nomes que fixaram suas músicas em nossas mentes. Agora, tivemos novos talentos que nos mostraram o lado bom da vida. Entre eles, Roberta Sá, Tiê, Kell Smith, Manu Gavassi, Pitty, Anavitória, Roberta Campos, Ana Vilela, Iza, entre tantas outras.

Agora abro um parêntese aqui para falar de uma cantora em especial, a Luna LaBelle, ela é a nova sensação da música brasileira. Sensação sim, pois desde os 12 anos canta profissionalmente. Claro, fazia suas apresentações acompanhada dos pais e em horário liberado para crianças. Digo sensação, pois ela além de grande intérprete, é também compositora. E é justamente isso que anda faltando no mercado, cabeça pensante. Acompanho seu trabalho faz algum tempo. Na verdade, uma indicação de uma amiga, que me mostrou seu trabalho e eu logo me apaixonei pela escrita. Letras envolventes e interessantes, que falam de mim, de você e de todos. Luna escreve para o cotidiano, como faziam Chico e Caetano, não foi minha intenção rimar, mas deu rima. É isso que estou falando. da naturalidade de um trabalho consistente.

La bella Luna

Agora na pandemia, seu noivo, Jeovanni Alcântara, fez o que muitas mulheres gostariam que seu namorados e maridos fizessem, dar uma prova de amor. Ele foi do Rio de Janeiro até São Paulo (mais de 430 Km) levar suas músicas para o produtor musical Rick Bonadio, um dos melhores do Brasil. Daí surgiu uma parceria que já começa a aparecer. Ao receber o material entregue por Jeovanni, percebeu nele o talento pronto para explodir. Essa história viralizou na rede e trouxe um pouco mais da vida de Luna para o público. O resto é amor e sucesso.

Ela lançou seu mais novo single, “Porta Retrato” na última quinta feira. Apesar de cantar desde pequena, agora é que ela começa a ter a sua música conhecida e referenciada por todos. Sua participação no “Caldeirão do Huck” há dois anos atrás ajudou a seu talento ficar conhecido. De lá pra cá acumulou seguidores e novas músicas lançadas. Luna tem vários vídeos no seu canal do Youtube, sempre muito bem produzidos. Seu primeiro grande sucesso foi “Deixa Acontecer”, que até hoje é pedidos em seus shows.

Como eu disse, eu amo música, boa música. E as mulheres do Brasil estão em um nível acima do normal. cantam e compõem com maestria. Eu sou suspeito em falar sobre a mulher. Acredito que Deus a fez primeiro e depois para não jogar fora a forma que já estava desuntada, criou o homem. O sagrado feminino sempre esteve presente em nossas vidas através de nossas mães, depois mulheres e por fim, nos talentos que surgem através da arte. Por isso que digo e repito, a mulher e seu talento pode mudar o mundo. A arte traduzida na sua mão, voz, mente e atitudes salvam a humanidade do caos. Vida longa a mulher e seus talentos.

Por

alexandre.mauro@oestadorj.com.br

Jornalista e comentarista esportivo. Moro em Niterói há 22 anos. Fã de cultura e esportes. Ex-editor em jornais na cidade do Rio de Janeiro. Atualmente me dedico à interatividade cultural. Acredito na importância da divulgação por todos os meios da cultura nesse país.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e