Ares de Deserto em Minas e São Paulo

Chuva de poeira deixa o interior de São Paulo e Minas com ar de deserto em plena primavera

Comuns em climas desérticos, as tempestades de areia são muito comuns aos habitantes do Oriente Médio. Mas no domingo passado, moradores se assustaram com a visitinha feita a algumas cidades do interior de São Paulo e Minas Gerais. As cidades de Franca, Barretos, Araçatuba, Jales, Presidente Prudente, além das cidades mineiras de Ituiutaba, viram o dia virar noite por volta das 5 horas da tarde, quando a tempestade começou. Ela diminuiu a visibilidade, derrubou árvores e forçou comerciantes a fechar seus comércios mais cedo por causa do mau tempo causado e nunca visto antes por aquelas bandas.

As tempestades de areia são do tipo haboob, de acordo com a MetSul. São formadas a partir de uma tempestade comum de chuva e vento. Nessas tormentas tradicionais, o ar frio desce para o solo e se espalha depressa. Então, quando isso se dá em regiões semiáridas ou áridas, o vento pode levantar poeira, se transformando em uma haboob.

Segundo estações do Instituto Nacional de Meteorologia, no interior de São Paulo, foram registradas rajadas de vento de 50 km/h a 60 km/h, mas, acredita-se que em outras cidades a ventania foi ainda mais forte: o Aeroporto de Ribeirão Preto, por exemplo, chegou a ter rajadas de 92,7 km/h, antes de uma forte chuva com trovoadas.

VÍDEO: Tempestade de areia atinge cidades de São Paulo e Minas Gerais -  MACAUBENSE LIFE
Tempestade de areia

Segundo o Monitor de Secas da Agência Nacional de Águas (ANA),  o interior paulista está passando pela seca mais intensa do território brasileiro, e ainda conforme  imagens de satélite mostraram houve fortes áreas de instabilidade associadas ao calor na região. Com o tempo muito seco, com chuva escassa por semanas, em algumas cidades até por meses, o solo estava muito seco e com grande quantidade de poeira. A junção de nuvens carregadas e vento forte, formou-se a tempestade de poeira.

Nos últimos tempos temos observado cada dia mais situações relacionadas a fenômenos da natureza. As vezes parece a natureza reagindo a muitas das ações do homem, que por vezes insiste em avançar cada dia mais para espaços pertencentes a ela. Queimadas por todos os lados, avanço do homem sobre a faixa de areia do mar, como prevê a obra em Balneário Camboriú, após a construção de prédios tão altos e próximos ao mar, onde os banhistas quase nem sentem o sol, apenas a sombra dos arranha céus.

Não se sabe até quando o homem irá estabelecer embates com a natureza. Mas sabe-se que uma hora a conta chega e acaba trazendo ao homem tudo o que a natureza tem a dizer por meio dos fenômenos naturais que ocorrem cada dia de forma mais percebida por toda a sociedade.

Por

cristiane.lopes@oestadorj.com.br

* Jornalista e especialista em Gestão Cultural. Amante da cultura e das artes.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e