Amanda Schott conquista o bronze no Mundial de levantamento de pesos

O ouro foi para a uzbeque Tursunoy Jabborova, que levantou 106 quilos

O Brasil foi ao pódio pela segunda vez no Campeonato Mundial de levantamento de pesos, disputado em Tashkent (Uzbequistão). Nesta quinta-feira (16), Amanda Schott conquistou o bronze da categoria até 87 quilos na prova do arranco, onde o atleta levanta a barra até acima da cabeça de uma vez, sem apoiá-la no corpo.

Amanda ergueu a barra primeiro com 102 quilos, e depois com 106. Na terceira e última investida a brasileira não conseguiu validar o movimento com 109 quilos, que poderia lhe render a prata, já que foi a marca alcançada por Ankhtsetseg Munkhjantsan, da Mongólia, que ficou em segundo. O ouro foi para a uzbeque Tursunoy Jabborova, que levantou 106 quilos.

“Estou mega, ultra, absurdamente feliz. É apenas a minha segunda competição internacional e é o meu primeiro Mundial. Sem dúvidas a minha postura aqui foi, de longe, a minha melhor de todos os campeonatos que participei. Estou muito feliz em representar a seleção brasileira e é inacreditável a conquista da medalha. É só o início, ainda tenho muita história para escrever”, comemorou a pesista à Confederação Brasileira de Levantamento de Pesos (CBLP).

“Pensamos que seria possível na categoria para 81 quilos, mas ela pediu [para competir na] 87 quilos e lutou muito bem e conseguiu se concentrar na competição. É um resultado sensacional para alguém que fez a primeira competição deste porte na vida”, completou o técnico Dragos Stanica, também à CBLP.

Diferente da Olimpíada, onde apenas a soma dos resultados de arranco e arremesso (quando o pesista levanta a barra na altura do ombro, depois acima da cabeça e espera a liberação dos árbitros para soltá-la) é levada em conta, no Mundial as premiações são separadas. No arremesso, Amanda ficou em quinto lugar ao movimentar 130 quilos, cinco a menos que a russa Dariia Akhmerova, medalhista de bronze. A mongol Ankhtsetseg e a norueguesa Solfrid Koanda ergueram os mesmos 141 quilos, mas a europeia ficou à frente pelos critérios de desempate.

No geral (arranco mais arremesso), a brasileira também ficou na quinta colocação, com 236 quilos de somatória. Ankhtsetseg levou o ouro (250 quilos), a uzbeque Jabborova (244 quilos) foi prata e a norueguesa Koanda (244 quilos) conquistou o bronze.

Na terça-feira (14), Laura Amaro já havia sido vice-campeã mundial na categoria até 76 quilos, também no arranco, ficando em quarto no arremesso e no geral. A medalha foi a primeira de uma brasileira na história da competição.

Antes de Laura e Amanda, somente Fernando Reis havia medalhado em um Mundial entre pesistas brasileiros. Em 2018, ele herdou dois bronzes (arranco e geral) depois que o uzbeque Rustam Djangabaev foi pego no doping e teve o terceiro lugar em ambas as disputas cassado. Atualmente, o próprio Fernando está suspenso por doping, flagrado em exame feito em maio, que custou a participação na Olimpíada de Tóquio (Japão).

Por

contato@oestadorj.com.br

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e