Algumas áreas para você investir

Durante muitos anos, a taxa de sobrevivência das pequenas empresas brasileiras era assustadora

Nem 30% dos negócios sobreviviam aos primeiros 2 anos. Segundo o estudo do Sebrae sobre o tema, a média nacional de sobrevivência chegou a 75,6%. O relatório de sobrevivência mediu empresas criadas em 2007 e que tinham informações atualizadas em 2010 na Receita Federal. A taxa foi melhor do que as de 2005 e 2006.

Assim, só duas em cada dez empresas criadas em 2007 não completaram dois anos. Para Luiz Barretto, presidente do Sebrae, três fatores foram indispensáveis para isso. “O aumento do mercado interno, a melhora nos níveis de escolaridade dos empreendedores e a reforma tributária que criou o Supersimples foram os principais responsáveis”, diz.

Apesar de a sobrevivência ser apenas um dos indicadores de sucesso para pequenas empresas, esta taxa indica que os empresários brasileiros têm superado o período mais crítico dos primeiros dois anos. “São decisivos para a sobrevivência porque ele está começando, não tem expertise, está formando clientela, tem que passar por fases boas e não tão boas”, afirma.

Uma boa gestão é um dos principais motivos de sucesso. “É preciso ter bom planejamento, não errar na capacidade financeira, ter controle de caixa, não misturar as finanças e ser atento aos que os concorrentes estão fazendo”, ensina Barretto.

Confira a seguir alguns negócios que apresentaram taxas de sobrevivência acima da média no relatório:

Comércio de instrumentos musicais / Fabricação de equipamentos de informática / Comércio de equipamentos para uso industrial / Comércio varejista de material elétrico / Comércio de produtos farmacêuticos para uso humano e veterinário / Comércio varejista de tintas e materiais para pintura / Comércio varejista de vidros / Comércio varejista de móveis, colchões e iluminação / Manutenção de motocicletas / Comércio varejista de calçados e artigos de viagem / Incorporação de empreendimentos imobiliários / Fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias / Impressão e reprodução de gravações / Comércio de ferragens e ferramentas / Comércio de materiais médicos / Comércio de joias e relógios / Fabricação de produtos de borracha e plástico / Fabricação de produtos de madeira / Comércio para veículos automotores / Comércio de artigos recreativos / Comércio de peças para aparelhos eletroeletrônicos / Instalações hidráulicas, de sistemas de ventilação e refrigeração / Confecção de artigos do vestuário e acessórios / Metalúrgica / Preparação e fabricação de couro / Comércio varejista de livros, jornais, revistas e papelaria / Mercados / Reparação de equipamentos de informática e comunicação / Fabricação de produtos alimentícios / Comércio varejista de equipamentos de telefonia e comunicação / Comércio de cosméticos, produtos de perfumaria e de higiene pessoal / Comércio varejista de produtos de padaria / Comércio de tecidos e artigos de cama, mesa e banho / Alojamento / Atividades cinematográficas e produção de vídeos / Açougues e peixarias / Comércio de hortifrutigranjeiros.

Esses são apenas alguns dos negócios que se mantêm de pé após 2 anos e arrebentam no mercado financeiro. Se você tem investido em alguns destes citados, pode comprovar o que o Sebrae diz, e se quiser investir dentro destas áreas, eis um bom caminho.

Vamos seguir com os investimentos sem preguiça, sem medo, sem desânimo e muito menos sem negatividade. Nenhum investimento é fácil, seja no início, no meio, existirá problemas a serem resolvidos, assuntos a serem negociados e por aí vai… O importante é seguir com sabedoria para administrar cada detalhe e superar fases. Você é um empreendedor de sucesso e sabe o ponto de equilíbrio nesta gestão.

Eu acredito em você!

Por

* Radialista, Fotógrafa e Palestrante Motivacional.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e