Afinal, por que “Lightyear” merece ser visto no cinema?

Lightyear, filme sobre a história de Buzz, estreia nesta quinta (16)

“Lightyear” é um filme importante por várias razões. Primeiro, ele fornece um contexto essencial para o mito de “Toy Story”, dando ao público no mundo real um vislumbre do filme que inspirou Andy a comprar um brinquedo Buzz Lightyear em primeiro lugar.

“Lightyear” é efetivamente a versão deste universo de “Star Wars”, então Andy e todas as outras crianças naturalmente iriam querer figuras de ação de seu patrulheiro espacial favorito – agora eu quero uma versão do xerife Woody no velho oeste.

Em um contexto muito mais real, “Lightyear” é significativo porque marca a primeira vez em mais de dois anos que um filme da Pixar chega aos cinemas. O último filme a fazer isso foi “Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica”, de 2020, que saiu logo antes da pandemia do COVID-19 causar paralisações em massa.

Desde então, todos os filmes da Pixar foram direto para o Disney+, incluindo “Soul”, “Luca” e “Red: Crescer é Uma Fera”. Esses eram todos conceitos originais para filmes, mas “Lightyear” tem alguma propriedade intelectual pré-existente para acompanhá-lo.

Como tal, marca o retorno triunfante da Pixar à tela grande, e o diretor do filme explicou recentemente por que o público deveria parar em seu cineplex local para vê-lo.

Naturalmente, o público pode se perguntar se deveria ver “Lightyear” na maior tela possível, sabendo que ele chegará ao Disney + em um futuro próximo. No entanto, de acordo com os cineastas por trás de “Lightyear”, o filme merece ser visto com uma centena de outras pessoas. 

Angus MacLane (co-roteirista e diretor) e Galyn Susman (produtor) sentaram-se para fazer uma entrevista com Grace Randolph sobre o próximo filme da Pixar. Eles foram questionados sobre o que torna o filme “cinematográfico” na opinião deles, e MacLane respondeu:

“Muito da narrativa se destina a ser visto com um público para experimentá-lo coletivamente. Muito parecido com uma comédia é muito assim. Você quer sentir a eletricidade do público, então a experiência cinematográfica beneficia tremendamente este filme.” 

Parece que “Lightyear” foi projetado para ser visto na maior tela imaginável, o que faz sentido. Não é uma história realista de amadurecimento ou algo assim. É uma grande e épica montanha-russa de ficção científica, e Susman acrescentou:

“É uma experiência imersiva”

Com base nas críticas dos críticos até agora, a Pixar arrasou mais uma vez, então, se você não foi ao cinema desde o início da pandemia, “Lightyear” parece uma ótima desculpa para revisitar e se surpreender.

Lightyear estreia no Brasil em 16 de junho, exclusivamente nos cinemas.

Por

vanderlei.tenorio@oestadorj.com.br

Jornalista, comentarista de cinema, correspondente no Brasil para alguns veículos portugueses e bacharelando em Geografia pela Universidade Federal de Alagoas.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e