A preguiça e o servir

Somos seres que trazemos em nossas células um código, uma característica: a preguiça. Quando temos algo a realizar e realizamos, mesmo com todo comprometimento, com toda qualidade, não podemos dar por encerrada a nossa participação na realização de outras tarefas. Normalmente temos o seguinte pensamento: “já realizei minhas tarefas e então estou dispensado de fazer outras, que também não são responsabilidades minhas.” E complementamos para justificar muitas vezes: “ufa! Estou cansado”. É um raciocínio e pensamento egoísta. Basta olharmos a nossa volta e veremos que há muitas e muitas coisas a serem realizadas nesse mundo. Afinal, fazemos parte de um grupo maior: a humanidade.

Nessa perspectiva real, a nossa iniciativa é o elemento impulsionador ao cumprimento maior de nossa missão aqui nesse plano terreno. É a capacidade de fazer coisas para mim e para o outro espontaneamente. A iniciativa é também uma habilidade como outra qualquer e, portanto, podemos e devemos potencializá-la. Para isso podemos adotar um constante treinamento, que consiste em oferecer ajuda aos outros, para realizar tarefas e até mesmo resolver situações.

Tenha sempre em mente que a maior e mais importante atividade evolutiva de nosso Ser é o servir.   

Ufa! Venci minha preguiça ao dedicar essa hora da minha vida para escrever essa mensagem pra você, que não é remunerada com dinheiro mas, com a satisfação que sinto agora em te servir, mesmo sem te conhecer pessoalmente. Muito obrigado por ter doado um tempo de sua vida pra mim, lendo o que lhe escrevi. 

Por

Webjornal O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e