A Família Addams no cinema

Criada pelo desenhista Charles Addams, a família que leva o sobrenome de seu criador se destacou por seus personagens peculiares, os quais em toda sua estranheza mostravam mais empatia, caráter e gentileza que as ditas pessoas “normais”. Uma crítica, carregada de ironia, a sociedade que prega a padronização de tudo, até do comportamento das pessoas.

Nascidos em tirinhas publicadas no The New Yorker em 1937, a Família Addams era composta inicialmente por Gomez, Morticia, Tio Chico, Tropeço, Vovó, Vandinha, Feioso e o Mãozinha. Uma família rica com comportamento considerado excêntrico, a qual o estilo macabro chocava aqueles que tinham que interagir com eles. Ao mesmo tempo que os personagens chocavam e divertiam os leitores, também mostravam de forma interessante um ponto de vista que questionava a diversidade, décadas antes do assunto se tornar pauta mundial.

A publicação das tirinhas de Charles Addams foi bem sucedida no The New Yorker na década de 1930, mas sua estranha família só ganhou destaque mundial em 1964, com a estreia da série de TV, em live action, de ‘A Família Addams’.

Sucesso que rendeu a família não só fãs adultos ao redor do mundo, mas um carinho especial das crianças. Chamando atenção dos estúdios Hanna-Barbera que fizeram uma versão animada dos Addams para a TV, lançada em 1973, que divertiu e inspirou uma geração.

Foto: Divulgação

No entanto, mesmo com um grande número de fãs, só em 1991 que os Addams chegaram às telas de cinema. E o sucesso foi tanto que em 1993 o filme, que tinha Anjelica Huston e Raúl Julia na pele do casal principal e líder da família, ganhou uma sequência, considerada tão boa quanto o primeiro filme.

Infelizmente depois do ótimo trabalho, não só de Anjelica Huston e Raúl Julia, mas dos outros atores ao interpretarem membros da família, não teve outras produções em live action à altura.

Talvez por isso os estúdios MGM decidiram fazer uma versão animada para o cinema, dando vida aos personagens das tirinhas de Charles Addams que esse ano chegaram às telonas de todo mundo.

A animação ‘A Família Addams’ com direção de Conrad Vernon e Greg Tiernan, produzida pela MGM, também traz uma novidade, apresentando uma história de origem inédita, já que não há nada do tipo sobre a família.

No roteiro assinado por Matt Lieberman e Pamela Pettler, a trama se inicia com a fuga da família de um linchamento bem no estilo medieval, com direito a grupo furioso com tochas em punho. Isso porque os vizinhos consideravam os Addams como “monstros” por serem diferentes. Situação que faz a família se isolar.

Infelizmente a ideia dos roteiristas não só tornou a trama muito parecida com a vista na franquia da Sony ‘Hotel Transilvânia’, como tirou a essência da família de Charles Addams que era dos “excêntricos muito gente boa, vivendo em meio às pessoas comuns”.

Mesmo que a ideia do roteiro funcione e esteja fazendo um sucesso razoável, suficiente para a MGM já confirmar uma sequência, a trama perde a força dos Addams que os fãs conhecem e tanto amam, virando uma história um tanto genérica de “Normais vs. Monstros”. O destaque fica para o visual da animação, onde os estúdios da MGM trabalhou de forma que a impressão é que as tirinhas de Charles Addams ganharam vida, dando ao filme um ar cartunesco.

Por

Ex-repórter redatora da editoria de Cultura do webjornal O Estado RJ, atualmente colunista (Curtindo Adoidado).

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e