A dinâmica da confiança

O segredo é a autoabertura

Quando nossas comunicações resultam em término de nossos inter-relacionamentos, na maioria das vezes é pela falta de capacidade de falarmos total e francamente. Isso significa na prática termos a capacidade de autorevelar uma personalidade sadia, que é estar livre para ser capaz de dizer julgamentos e valores; expor temores e frustrações e admitir erros e vergonhas.

 O maior obstáculo à autorevelação é o medo de não sermos totalmente aceitos pelo outro, de não termos valor. Resultado: comunicação cautelosa, ritualizada. Numa situação ameaçadora  a tendência é ninguém se abrir. Ao invés disso, devemos substituir a dinâmica do medo pela dinâmica da confiança.

Autoabertura só tem lugar numa atmosfera de boa vontade.  É necessário assumir o risco de autorevelar-se para estimular a boa vontade. Confiança gera confiança; autoabertura gera autoabertura. O comunicador eficaz é aquele que consegue criar um clima de confiança em que a abertura recíproca pode florescer.

Quanto mais eu sei a seu respeito e quanto mais você sabe a meu respeito mais eficaz a comunicação e as nossas inter-relações.

Por

* Cientista Social, Pesquisador e Consultor de Desenvolvimento Humano e Empresarial. Especilizações em Psicologia Social, Análise Transacional, Administração Mercadológica, Psicodrama e Dinâmica de Grupo. Autor de livro e de programas de treinamento comportamental, com reconhecimento científico a nível nacional.

Comentários estão fechados.