A continuidade é inimiga da atualidade

Estamos quase no meio do ano e parece que foi ontem que brindamos a chegada dele. Já se perguntou o que fez até agora que havia prometido fazer na virada do ano? Quantas promessas cumpridas até agora? Bem, eu ainda estou tentando me lembrar das tantas que fiz. Só consigo me lembrar de uma coisa: onde coloquei o zíper para fechar a boca na hora das refeições. Fora isso, caminho para lembrar todas as minhas promessas e projetos.

Mas a verdade é que nos esquecemos dos planos feitos no fim de cada ano e só lembramos quando chegamos ao fim do ano seguinte e com ele a certeza de que nada fizemos para mudar. Seja qual for a vontade e o desejo sempre caímos na mesma armadilha, o cotidiano. Aquela certeza de que amanhã eu começo, amanhã eu vou, amanhã eu paro…

Amanhã eu prometo que não falarei mais sobre o que não posso deixar de fazer, pois se falar provavelmente eu acabarei esquecendo. A famosa “Lei de Murphy” quanto mais programamos algo maior a chance de não dar certo. Por isso agora não fico mais com aquilo na cabeça. Não me programo mais, deixo acontecer naturalmente.

Enquanto escrevo essa coluna percebo que ainda não comecei a caminhar como havia prometido a mim mesmo no fim de 2018. Caramba! Preciso cumprir o que programei. Reza a lenda que se não cumprir o que prometeu nada dará certo no ano. Me peguei agora pensando sobre isso. Será que é uma bobagem ou pode mesmo acontecer? E agora? Será que ainda tem tempo para que eu faça as coias que prometi no reveillon de 2018 e ainda não fiz?

Acho que posso começar a mudar agora, afinal, ainda estamos em 2019 e tenho ainda sete meses para dar continuidade ao que ainda nem comecei, meus projetos. Ótimo! Então amanhã vou levantar cedo, ir à praia caminhar e dar um mergulho, rever os amigos que não vejo faz tempo. Começar a minha dieta que estou protelando há pelo menos três anos. Depois quem sabe ainda me sobre energia para enfim arrumar meu escritório e doar 90% dos Cds que ainda tenho e alguns livros.

Se eu conseguir chegar ao fim do dia fazendo tudo que disse eu já serei um vencedor, pois precisei passar por aproximadamente 150 dias do ano para dar o pontapé inicial de meus projetos para 2019. Ufa! O importante é que iniciei o processo e agora é só dar continuidade. Palavra estranha essa tal de “continuidade”, ela nos remete a algo que deve ser feito com frequência ou pelo menos até acabar um processo iniciado. Nos dias de hoje vejo que continuidade e atualidade são incompatíveis, pois o mundo moderno não nos permite tempo para ajustes.

Pronto, acho que não vou conseguir fechar o ciclo. Amanhã já tenho uma reunião e não sei que horas vai acabar. Mais tarde tenho um programa para fazer e preciso fazer a pauta e a programação e isso leva um tempo. Percebo que terei que empurrar pelo menos mais uns dias a realização de minhas tarefas programadas com antecedência desde o ano passado por falta de tempo. Estou começando a entrar em desespero uma vez que sinto que não conseguirei atingir minha meta anual por não conseguir dar a tal continuidade às tarefas.

O fato é que não perderei as esperanças em conseguir chegar ao fim de 2019 com minhas metas e tarefas atingidas, afinal de contas, precisamos ter algum objetivo para que nossas vidas tenham sentido.
E você, já fez o que prometeu ano passado?

Por

Jornalista e comentarista esportivo. Moro em Niterói há 22 anos. Fã de cultura e esportes. Ex-editor em jornais na cidade do Rio de Janeiro. Atualmente me dedico à interatividade cultural. Acredito na importância da divulgação por todos os meios da cultura nesse país.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e