A Brevidade da Vida

Pensava eu:  “ Que receita compartilhar esta semana?”

Embora o universo gastronômico seja bem rico e, particularmente tenha nascido numa família de cozinheiras e cozinheiros, não fazia ideia do que postar. Às vezes é assim mesmo. A inspiração não vem, o texto não sai. Terrível.

Disposta a encontrar o tom, resolvi pedir ajuda aos meus filhos. A resposta foi imediata: Poxa mãe, coloca a nossa Palia Italiana!

Fofos! Mas já foi. Repeteco não rola.

De repente começa o Jornal Hoje, da Rede Globo, cuja matéria de abertura foram as imagens de uma idosa sofrendo maus tratos. Chocante! Na hora me veio a angústia, o impacto emocional das cenas fortes que a emissora exibia. Como não fazer o link com meu avô, vítima de Alzheimer também?!

O pai de minha mãe sempre foi um homem forte. Física, emocional e espiritualmente. Pelo menos assim sempre percebi. Uma fortaleza incapaz de ser atingida, impossível ficar demente. Ativo, esperto, imperativo, um “ luatdor” como se auto intitulava. Sentia um orgulho enorme de quem se tornara. Da vida que construíra.

Meu avô, ao contrário da senhorinha da reportagem, é muito bem tratado. Cercado de mimos e carinhos, continua o “ Patriarca” , mesmo parecendo um bebê. Permanece no “ comando , mesmo sem comandar absolutamente nada. A cabeceira ainda é dele. As refeições ainda são em torno de sua exigente digestão. Seus cabelos permanecem brancos e brilhantes. Penteados e cheirosos. Todos o tratam com o maior respeito. É chamado de “Doutor”. Minha avó ainda discute com ele. No bom sentido, claro. Tudo isso, apesar da decadência humana, camufla toda a degeneração da matéria. Mantém a casa de meus avós como a referência familiar, o ponto em comum dos descendentes.

Que sorte a do meu avô. E, apesar da violência sofrida, que sorte tem a “vovozinha “da matéria do Jornal Hoje também. Graças a uma família atenta, os destratos sofridos puderam ser descobertos.

A receita de hoje vai ser um bolinho que meu avô adorava. Chama-se Brevidade, conhecem? Fica ótimo com um chá, para acompanhar um momento de carinho, para curtir intensamente a brevidade das nossas vidas.

Uma Boa Semana!

Goole Imagens: Bolinho de Brevidade

Ingredientes

6 claras batidas em neve

6 gemas

8 colheres (sopa) de açúcar

8 colheres (sopa) de polvilho doce

1 colher (chá) de fermento em pó

Raspas de casca de limão

Açúcar de confeiteiro para polvilhar

Modo de Preparo

Bata as claras em neve e quando estiverem bem durinhas, vá acrescentando as gemas, uma de cada vez. Bata para misturar bem, inclua o açúcar, até obter uma massa homogênea. Misture com o polvilho, manualmente, com uma colher. Nesta fase, nada de batetedeira. Adicione o fermento, as rapas de limão e leve ao forno médio, em forma untada, por aproximadamente 40 minutos.

Por

Webjornal Oerj - O Estado RJ > No ar desde 28/05/2007 > Promovemos o Projeto Futuro Jornalista.

Comentários estão fechados.

http://api.clevernt.com/0d18126b-b33f-11e7-bb95-f213f22ad24e